GESTÃO SOCIAL DA VALORIZAÇÃO DA TERRA NO PLANO DIRETOR DE IJUÍ/RS

Autores

Palavras-chave:

Gestão Social, Plano Diretor, Planejamento Urbano

Resumo

A gestão social da valorização da terra tematiza processos de planejamento dos municípios brasileiros, e possibilita conhecer instrumentos para a promoção da justa distribuição entre ônus e benefícios decorrentes das intervenções públicas na malha urbana; promover a participação e a cidadania; estabelecer meios para o efetivo cumprimento da função social da propriedade. É o plano diretor que estabelece tais parâmetros. Por isso, este trabalho aborda o plano diretor de Ijuí/RS, objetivando conhecer como os instrumentos de gestão social da valorização da terra estão presentes no planejamento urbano deste município.

Biografia do Autor

Aline Benso, PPGDR/UNIJUÍ

Doutoranda em Desenvolvimento Regional no PPGDR/Unijuí; Bolsista Prosuc/Capes. Mestre em Desenvolvimento pelo PPGDR/Unijuí (2013). 

Sérgio Luís Allebrandt, PPGDR/UNIJUÍ

Professor Titular do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (Mestrado e Doutorado) - PPGDR/UNIJUÍ. Bolsista Produtividade em Pesquisa do CNPq. Doutor em Desenvolvimento Regional pelo PPGDR/UNISC (2010); Mestre em Gestão Empresatrial pela EBAPE/FGV (2001).

 

 

 

 

Referências

ALLEBRANDT, S. L.; PREDIGER, R. P. Escopo metodológico. In: ALLEBRANDT, S. L.; TENÓRIO, F. G. Controle social de territórios: teoria e prática. Ijuí: Ed. Unijuí, 2018. p. 29-44.

ALVES-MAZZOTTI, A. J. O método nas ciências sociais. In: ALVES-MAZZOTTI, A.J.; GEWANDSZAJDER, F. O Método nas Ciências Naturais e Sociais Pesquisa Quantitativa e Qualitativa. Thompson Learning Pioneira. 2ª ed. 1999. p 107-187.

BATTAUS, D. M. A.; OLIVEIRA, E.A.B. O direito à cidade: urbanização excludente e a política urbana brasileira. Lua Nova, São Paulo, 97: 81-106, 2016

BRASIL, Lei 5788/90. Estatuto da Cidade. Presidente da República em 10 de julho de 2001. BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília, DF: Senado Federal: Centro Gráfico, 1988.

CANÇADO, Airton Cardoso; PEREIRA, José Roberto; TENÓRIO, Fernando Guilherme. Fundamentos teóricos da gestão social. DRd-Desenvolvimento Regional em debate, v. 5, n. 1, p. 4-19, 2015.

CARDOSO, M. S. S. et al. Ações de regularização fundiária e de mensuração das desconformidades urbanas. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), v. 6, n. 3, p. 307-322, set./dez. 2014

CASTELLS, Manuel. Redes de indignação e esperança: movimentos sociais na era da internet. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2013. 271 p

DEPARTAMENTO de Economia. Perfil Socioeconômico. Rio Grande do Sul: Secretaria de Planejamento, Governança e Gestão, 2021. Disponível em: http://deedados.planejamento.rs.gov.br/feedados/#!pesquisa=1. Acesso em: 27 set. 2021.

CAVALCANTE, A. F. B.; LEÔNCIO, É. M. C. G. As leis não bastam, os lírios não nascem da lei: IPTU progressivo no tempo como possibilidade de efetivação da função social da propriedade no Brasil. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, 11, 2019.

DOWBOR, Ladislau. O que é poder local? Imperatriz: Ética, 2016. 144 p.

FAIRCLOUGH, Norman. MELO, Iran Ferreira de. Análise Crítica do Discurso como método em pesquisa social científica. Linha d’Água, São Paulo, v. 25, n. 2, 31 out. 2012. Tradução, p. 307-329. DOI https://doi.org/10.11606/issn.2236-4242.v25i2p307-329. Disponível em: https://www.revistas.usp.br/linhadagua/article/view/47728. Acesso em: 18 abr. 2021.

GILL, Rosalind. Análise de Discurso. In: PESQUISA Qualitativa Com Texto, Imagem e Som: Um manual prático. 12. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2014. cap. 10, p. 244-271. ISBN 9788532627278.

GALVÃO, M. C. B.; RicarteI. L. M. Revisão Sistemática da Literatura: Conceituração, Produção e Publicação. Logeion: Filosofia da Informação, v. 6, n. 1, p. 57-73, 15 set. 2019.

GALVÃO, M. C. B.; PLUYE, P.; RICARTE, I. L. M. Métodos de pesquisa mistos e revisões de literatura mistas: conceitos, construção e critérios de avaliação. InCID: Revista de Ciência da Informação e Documentação, v. 8, n. 2, p. 4-24, 2017.

GRANT, M. J.; BOOTH, A. A typology of reviews: an analysis of 14 review types and associated methodologies. Health information and libraries journal, v. 26, n. 2, p. 91–108, jun. 2009.

GUARESCHI, P. A.; VERONESE, M. V. Hermenêutica de profundidade na pesquisa social. Ciências Sociais Unisinos [on-line], 42, maio/ago. 2006.

HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005. 252 p. ISBN 8574194964.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Divisão Regional do Brasil em regiões geográficas imediatas e regiões geográficas intermediárias. Rio de Janeiro, IBGE, 2017.

MARICATO, Ermínia. As idéias fora do lugar e o lugar fora das idéias. Planejamento urbano no Brasil. In: ARANTES, Otília. VAINER, Carlos. MARICATO, Ermínia. A cidade do pensamento único: desmanchando consensos. 3ª Ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2000. 192 p.

NETO, P. N. , MOREIRA, T. A. Operação Urbana Consorciada da Linha Verde: limites e oportunidades à luz da gestão social da valorização da terra. Cad. Metrop., São Paulo, v. 15, n. 30, pp. 583-603, dez 2013.

TENÓRIO, F.G. Cidadania e desenvolvimento local: critérios e análise. Rio de Janeiro: FGV, 2012.

OLIVEIRA, C.M., LOPES, D. SOUSA, I.C.N. Direito à participação nas políticas urbanísticas. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), 2018 maio/ago., 10(2), 322-334.

PEREIRA, G. Das fintas ao tributo: a trajetória da Contribuição de Melhoria no Brasilurbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana (Brazilian Journal of Urban Management), v. 4, n. 2, p. 207-213, jul./dez. 2012.

RABELLO DE MELLO, S. A. A influência das políticas públicas quanto a aplicação do imposto predial e territorial urbano progressivo no tempo como instrumento do Estatuto da Cidade. Semestre Económico, volumen 13, N° 27, pp. 63- 80, julio-diciembre de 2010, Medellín, Colombia

ROLNIK, Raquel. Estatuto da Cidade: novos horizontes para a reforma urbana. Caderno Pólis, São Paulo, n. 4, p. 5-9, 2001.

ROLNIK, Raquel._. O quê é cidade? 3ª ed. Brasiliense, São Paulo 1995.

SILVEIRA, Rogério Leandro Lima da et al. As áreas urbanas funcionais das cidades médias de Ijuí, Santo Ângelo e Santa Rosa na Região Funcional de Planejamento 7 Rio Grande do Sul. In: SILVEIRA , Rogério Leandro Lima da; FACCIN, Carolina Rezende (org.). Urbanização, Cidades Médias e Dinâmicas Urbanas e Regionais. São Carlos: Pedro & João Editores, 2021. p. 97-124. Disponível em: https://pedroejoaoeditores.com.br/site/urbanizacao-cidades-medias- e-dinamicas-urbanas-e-regionais/. Acesso em: 15 mar. 2021.

THOMPSON, John. Ideologia e Cultura Moderna: Teoria social e crítica na era da dos meios de comunicação de massa. 9. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2012. 425 p.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

BENSO, A.; ALLEBRANDT, S. L. GESTÃO SOCIAL DA VALORIZAÇÃO DA TERRA NO PLANO DIRETOR DE IJUÍ/RS. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22952. Acesso em: 25 maio. 2024.

Edição

Seção

ST1 – Gestão social e controle social de territórios

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>