COOPERVEREDA UMA REDE ALIMENTAR ALTERNATIVA E DE (R)EXISTÊNCIA AGRÍCOLA

Autores

  • Luis Gustavo Rios PPGDR/UTFPR
  • Cristiane Maria Tonetto Godoy PPGDR/UTFPR
  • Leoni Terezinha Wammes PPGDR/UTFPR
  • Paulo Henrique de Oliveira PPGDR/UTFPR

Palavras-chave:

Agricultura, Agroecologia, Sustentabilidade, Alimentos Saudáveis

Resumo

As atuais formas de comercialização de alimentos têm formado os grandes impérios alimentícios, o que acabou gerando diversas críticas sobre como se produz esses alimentos, visto que são alimentos de baixa qualidade nutricional além que contribui para o aumento das desigualdades sociais e impactos ambientais. Nesse panorama, surgem redes alimentares alternativas com bases em agriculturas ecológicas e que buscam produzir e distribuir alimentos mais saudáveis e de maior qualidade nutricional, valorizando o local e em cadeias curtas de comercialização. O presente artigo tem como objetivo apresentar e analisar a rede alimentar alternativa da Cooperativa dos Produtores Orgânicos e Agroecológicos do Sudoeste do Paraná (COOPERVEREDA), município de Verê, Paraná/Brasil, buscando contextualizar o micro e o macro dessa cooperativa observando suas resistências e (r)existências às redes convencionais de produção, sua história, singularidade e sua identidade.

Biografia do Autor

Luis Gustavo Rios, PPGDR/UTFPR

Mestrando em Desenvolvimento Regional no PPGDR/UTFPR. Bolsistas Capes.

Cristiane Maria Tonetto Godoy, PPGDR/UTFPR

Doutora em Extensão Rural, Pós-Doutoranda PPGDR/UTFPR. Bolsistas PNPD/Capes.

Leoni Terezinha Wammes, PPGDR/UTFPR

Doutoranda em Desenvolvimento Regional no PPGDR/UTFPR.

Paulo Henrique de Oliveira, PPGDR/UTFPR

Doutor em Fitotecnia, Docente Titular do PPGDR/UTFPR.

Referências

ABRAMOVAY, Ricardo. É necessário cobrar resultados de assentados: pesquisador defende lógica empreendedora da agricultura familiar para os assentados. O Estado de São Paulo, 21 dez. 2003. Nacional, p. 7. Entrevista.

BAUMAN, Z. O mal-estar da pós-modernidade. Zahar, 1999.

BECK, U. A reinvenção da política: rumo a uma teoria da modernização reflexiva. In: GIDDENS, A.; BECK, U.; SCOTT, L. (Orgs.). Modernização reflexiva: política, tradição e estética na ordem social moderna. São Paulo: UNESP. 1997.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Orgânicos: Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos. Disponível em: https://www.gov.br/agricultura/ptbr/assuntos/sustentabilidade/organicos/cadastro-nacional-produtores-organicos. Acesso em: 10 maio 2021.

BUTTEL, F. H. Transiciones agroecológicas en el siglo XX: análisis preliminar. Agricultura y sociedad, n. 74, p. 9-38, 1995.

CENTRO DE APOIO AO PEQUENO AGRICULTOR. Nossa história. Disponível em: http://www.capa.org.br. Acesso em: 28 abr. 2021.

CASTILLA, E. J.; HWANG, H.; GRANOVETTER, E.; GRANOVETTER, M. Social networks in Silicon Valley. In: MOON LEE, C.; MILLER, W. F.; HANCOCK, M. G.; ROWEN. H. S. (Ed.). The Silicon Valley edge: a habitat for innovation and entrepeneurship. San Francisco: Stanford University, 2000.

CASTRO JUNIOR, P. C. P. de. et al. Ambiente alimentar comunitário medido e percebido: descrição e associação com Índice de Massa Corporal de adultos brasileiros. 2018. 175 f. Tese (Doutorado em Epidemiologia em Saúde Pública) - Escola Nacional de Saúde Pública. Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2018. Disponível em: https://www.arca.fiocruz.br/handle/icict/27009. Acesso em: 28 abr. 2021.

CRUZ, F. T. da; MATTE, A.; SCHNEIDER, S. Produção, consumo e abastecimento de alimentos: desafios e novas estratégias. Editora da UFRGS, 2016. 324 p. COOPERATIVA DOS PRODUTORES ORGÂNICOS E AGROECOLÓGICOS DO SUDOESTE DO PARANÁ. Institucional. 2022. Disponível em: https://capa.org.br/parceriasvere/. Acesso em: 2 mar. 2021.

DAROLT, M. R. et al. Redes alimentares alternativas e novas relações produção-consumo na França e no Brasil. Ambiente & Sociedade, v. 19, p. 01-22, 2016.

ELLIS, F. Rural livelihoods and diversity in developing countries. Oxford: Oxford University, 2000.

ESCOBAR, A. O lugar da natureza e a natureza do lugar: globalização ou pósdesenvolvimento?. In: EDGARDO L. (Org.). A colonialidade do saber: eurocentrismo e ciências sociais. Perspectivas latino-americanas.). CLACSO, Ciudad Autónoma de Buenos Aires, Argentina. 2005. p.133-168. (Colección Sur Sur)

GIDDENS, A. As conseqüências da modernidade. Unesp, 1991.

HAESBAERT, R. Território e multiterritorialidade: um debate. GEOgraphia, v. 9, n. 17, p. 19-45, 2007.

HALL, S. A identidade cultural na pós-modernidade. 12. ed. Lamparina, 2020.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário 2006. 2006. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas/economicas/agricultura-epecuaria/9827-censo-agropecuario.html?=&t=destaques. cesso em: 27 ago. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Agropecuário 2017. 2017. Disponível em: https://sidra.ibge.gov.br/pesquisa/censo-agropecuario/censoagropecuario-2017. Acesso em: 19 mai. 2021.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Brasileiro de 2010. 2010. Disponível em: ttps://cidades.ibge.gov.br/brasil/pr/vere/panoram>. Acesso em: 19 mai. 2021.

PLOEG, J. D. V. D. Camponeses e Impérios Alimentares Lutas por Autonomia e Sustentabilidade na Era da Globalização. Porto Alegre: UFRGS Editora, 2008.

PLOEG, J. D. V. D. Sete teses sobre a agricultura camponesa. In: PETERSEN, P. (Org.), Agricultura familiar camponesa na construção do futuro. Rio de Janeiro: AS-PTA, 2009. p. 17-32.

POLANYI, K. A grande transformação: as origens de nossa época. 2. ed. Rio de Janeiro: Compus, 2000. 10

PORTER, M.E.; LINDE, C.V.D. Green and competitive: ending the stalemate. Harvard Business Review, v. 73, n. 5, p. 20-134, 1995.

PORTO-GONÇALVES, C. W. De saberes e de territórios: diversidade e emancipação a partir da experiência Latino-Americano. GEOgraphia, v. 8, n. 16, p. 41-55, 2010.

REDE ECOVIDA. Rede de Agroecologia ECOVIDA. 2022. Sobre. Disponível em: http://ecovida.org.br/. Acesso em: 10 jan. 2022.

SANTOS, M. A urbanização brasileira. Edusp, 2013. SCHNEIDER, S.; ESCHER, F. A contribuição de Karl Polanyi para a sociologia do desenvolvimento rural. Sociologias, Porto Alegre, ano 13, n. 27, p.180-219, 2011.

SEYFERTH, G. Campesinato e o Estado no Brasil. Mana, v. 17, n. 2, p. 395-417, 2011.

SILVA JÚNIOR, G. L. da; DE SOUZA, R. M. As Comunidades Tradicionais e a Luta por direitos étnicos e coletivos no Sul do Brasil. Revista da Faculdade de Direito da UFG, v. 33, n. 2, p. 128/142-128/142, 2009.

ZIZEK, S.; MILBANK, J. The monstrosity of Christ: paradox or dialectic?. MIT Press, 2011.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

RIOS, L. G.; GODOY, C. M. T.; WAMMES, L. T.; OLIVEIRA, P. H. de. COOPERVEREDA UMA REDE ALIMENTAR ALTERNATIVA E DE (R)EXISTÊNCIA AGRÍCOLA. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22851. Acesso em: 24 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)