COTAS RACIAIS:

UMA ANÁLISE DOS NUMEROS NA GRADUAÇÃO E NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU, MESTRADO E DOUTORADO

Autores

  • Fagner Fernandes Stasiaki PPGPPD/UFFS
  • Edemar Rotta PPGPPD/UFFS

Palavras-chave:

Educação Superior, Ações Afirmativas, Cotas Raciais

Resumo

O Ensino Superior brasileiro é marcado por intensas desigualdades sociais, regionais, étnicoraciais e econômicas, o que motivou as ações afirmativas de cotas em prol dos estudantes historicamente segregados. Transcorrido 10 anos da aprovação da Lei nº 12.711/2012, o presente artigo visa analisar, sob a ótica do princípio da igualdade, as cotas raciais na graduação e nos cursos de Pós-Graduação Stricto Sensu, Mestrado e Doutorado, fazendo assim, um estudo ancorado em dados estatísticos. Metodologicamente opera-se nas premissas da dialética, analisando documentos das Universidades selecionadas (Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul – UNIJUÍ; Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI; e Universidade Federal da Fronteira Sul – UFFS) e produções bibliográficas. Por conseguinte, a pesquisa consiste em pensar as cotas raciais como um processo interativo, observando as desigualdades sociais, bem como o elitismo da educação superior brasileira. Por fim, as cotas raciais ao possibilitar o acesso à universidade, materializa também, o direito à educação, o Princípio da Igualdade e da Dignidade da Pessoa Humana.

Biografia do Autor

Fagner Fernandes Stasiaki, PPGPPD/UFFS

Mestrando em Desenvolvimento e Políticas Públicas no PPGPPD/UFFS - campus de Cerro Largo; Bolsista CAPES. Bacharel em Direito pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai (URI), campus de Santo Ângelo.

Edemar Rotta, PPGPPD/UFFS

Doutor, com Estágio Pós-Doutoral em Serviço Social (PUCRS); Mestre em Sociologia (UFRGS); Professor do quadro permanente do Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Políticas Públicas – Mestrado, da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS). Pesquisador na área de desenvolvimento, gestão social e políticas sociais.

Referências

ALMEIDA, Silvio Luiz de. Racismo Estrutural. 1.ed. São Paulo: Sueli Carneiro; Polén, 2019.

BARRETO, Ana Cristina Teixeira. Igualdade entre sexos: Carta de 1988 é um marco contra a discriminação. Conjur. Disponível em: https://www.conjur.com.br/2010-nov-05/constituicao-1988-marco-discriminacao-familiacontemporanea#:~:text=O%20princ%C3%ADpio%20da%20igualdade%20atua,distin%C3%A7%C3%B5es%2C%20exceto%20as%20constitucionalmente%20autorizadas. Acesso em: 22 Ago. 2022.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília – DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 17 Ago. 2022

BRITO, Débora. Cotas foram revolução silenciosa no Brasil, afirma especialistas. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/educacao/noticia/2018-05/cotas-foram-revolucaosilenciosa-no-brasil-afirma-especialista Acesso em: 27 Ago. 2022

COSTAS, Gilberto. Cresce o total de negros em universidade, mas o acesso é desigual. Agencia Brasil. Disponível em: https://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2020-11/cresce-total-de-negros-em-universidades-mas-acesso-e-desigual. Acesso em: 24 Ago. 2022

DIREITO HUMANOS: os Direitos das Minorias. Ficha Informal nº 18, p. 1-30. 2008. Rev. I. Disponível em: https://gddc.ministeriopublico.pt/sites/default/files/documentos/pdf/ficha_informativa_18_direitos_minorias.pdf. Acesso em: 19 Ago. 2022

DOS SANTOS, Clarissa Nascimento. Ações afirmativas e a política de cotas à luz do princípio da igualdade e da dignidade da pessoa humana. 2008. Monografia (Bacharel em Direito). Faculdade de Direito – Universidade do Sul de Santa Catarina. Disponível em: https://repositorio.animaeducacao.com.br/bitstream/ANIMA/6138/1/92424_Clarissa.pdf. Acesso em: 20 Ago. 2022.

FABRIZ, Daury Cesar; TEIXEIRA, Marcelo Tolomei. A Crise do Estado de Bem-Estar-Social na perspectiva de Jürgen Habermas. Revista Direito e Liberdade, Natal, v. 19, n. 1, p. 59-84, jan./abr. 2017. Disponível em: https://egov.ufsc.br/portal/conteudo/crise-do-estadodo-bem-estar-social-na-perspectiva-de-j%C3%BCrgen-habermas. Acesso em 10 Ago. 2022

HANZEN, Elston. Mesmo sendo maioria na população brasileira, negros ainda têm baixa representatividade no meio acadêmico. Jornal da Universidade. Disponível em: https://www.ufrgs.br/jornal/mesmo-sendo-maioria-na-populacao-brasileira-negros-ainda-tembaixa-representatividade-no-meioacademico/#:~:text=Um%20levantamento%20de%20junho%20de,82%2C7%25%20s%C3%A3o%20brancos Acesso em: 18 Ago. 2022.

IBGE. Desigualdades sociais por Cor ou Raça no Brasil. Estudos e Pesquisas: Informação Demográfica e Socioeconômica, n. 41, p. 1-16, 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101681_informativo.pdf Acesso em: 27 Ago. 2022.

LEI DE COTAS aumenta em 39% o número de negros nas federais. Portal Gelédes. Disponível em: https://www.geledes.org.br/lei-de-cotas-aumenta-em-39-o-numero-de-negrosnas-federais/. Acesso em 23 Ago. 2022.

NASCIMENTO, Jesferson, et al., Pesquisa do IBGE mostra sucesso da política de cotas. Oxfam Brasil. Disponível em: https://www.oxfam.org.br/blog/pesquisa-do-ibge-mostra-osucesso-da-politica-de-cotas/?gclid=EAIaIQobChMIxpjhvIvb-QIVXBXUAR1B1AcxEAAYASAAEgKUovD_BwE Acesso em: 22 Ago. 2022.

NOBRE, Noéli. Projeto acaba com as cotas baseadas em cor ou raça nas universidades. Câmara dos Deputados. Disponível em: https://www.camara.leg.br/noticias/850137-projetoacaba-com-cotas-baseadas-em-cor-ou-raca-nas-universidades/ Acesso em: 20 Ago. 2022.

ORSO, Paulino José. Elitização da universidade brasileira em perspectiva histórica. Roteiro, Joaçaba, v. 45, p. 1-16, jan./dez. 2020. Disponível em: http://educa.fcc.org.br/pdf/roteiro/v45/2177-6059-roteiro-45-e22156.pdf . Acesso em: 18 Ago. 2022.

OLIVERIA, Dennis de. Racismo Estrutural: uma perspectiva histórico-crítica. 1.ed. São Paulo: Editora Dandara, 2021.

PEREIRA, Júlia. Segundo pesquisa, 78% dos mortos pela polícia são negros. Rede Brasil. Disponível em: https://www.redebrasilatual.com.br/cidadania/2021/04/segundo-pesquisa-78-dos-mortos-pela-policia-sao-negros/. Acesso em: 18 Ago. 2022.

RODRIGUES, Fernando. Dilma assina hoje a criação de cotas raciais na pós graduação. UOL. Disponível em: ttps://fernandorodrigues.blogosfera.uol.com.br/2016/05/10/dilmaassina-hoje-criacao-de-cotas-raciais-na-pos-graduacao/. Acesso em: 23 Ago. 2022.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. 10 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2011.

SOUZA, Jessé. Como o racismo criou o Brasil. 1.ed. Rio de Janeiro: Estação Brasil, 2021.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

STASIAKI, F. F. .; ROTTA, E. . COTAS RACIAIS: : UMA ANÁLISE DOS NUMEROS NA GRADUAÇÃO E NOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU, MESTRADO E DOUTORADO. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22902. Acesso em: 12 abr. 2024.

Edição

Seção

ST3 – Políticas públicas, planejamento urbano e integração regional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)