POLÍTICAS PÚBLICAS E ESTRESSE OCUPACIONAL: PERCEPÇÃO DOS CERESTS DO RIO GRANDE DO SUL

  • Linéia Carneiro
  • Sérgio Luís Allebrandt
  • Airton Adelar Mueller
Palavras-chave: políticas públicas, estresse ocupacional, síndrome de burnout

Resumo

O objetivo deste artigo é identificar a percepção dos CERESTs do estado do Rio
Grande do Sul (RS) em relação à prevenção e proteção à saúde psicológica dos
trabalhadores e desenvolvimento da síndrome de burnout. . A amostra é composta por três
CERESTs. A metodologia utilizada é descritiva, abordagem é qualitativa, e o instrumento
utilizado para obter os dados é um questionário eletrônico semi estruturado com perguntas
abertas enviado por e-mail aos CERESTs. Os resultados principais apontam que a temática
do estresse ocupacional e síndrome de burnout, embora muito importantes conforme
comprovam os dados de vários estudos, ainda não recebem a devida importância dos
CERESTs do estado. Os resultados desta pesquisa colaboram para o desenvolvimento dos
estudos sobre o estresse ocupacional no Brasil, e também para alertar sobre a importância
da temática.

Biografia do Autor

Linéia Carneiro

Mestranda em Desenvolvimento Regional pela Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Bolsista PROSUC/CAPES.

Sérgio Luís Allebrandt

Professor / pesquisador no programa de Desenvolvimento Regional na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Brasil. Doutor em Desenvolvimento Regional pelo PPGDR/UNISC, Santa Cruz do Sul.

Airton Adelar Mueller

Professor / pesquisador no programa de Desenvolvimento Regional na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul - Brasil. Doutor em Sociologia pela Freie Universität Berlin, Alemanha.

Publicado
2018-12-14
Seção
EIXO 1:ESTADO, DEMOCRACIA, POLÍTICAS PÚBLICAS E GESTÃO SOCIAL DO DESENVOLVIMENTO