POLÍTICAS PÚBLICAS INTELIGENTES:

USO DE FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COM TÉCNICAS DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA MITIGAÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA

Autores

  • Christian Carlos Souza Mendes PPGPGP/UTFPR
  • Rogério Allon Duenhas PPGPGP/UTFPR

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Inteligência Artificial, Acidentes de Trânsito

Resumo

O presente artigo possui como principal objetivo apresentar e discutir possibilidades do uso de sistemas de apoio à decisão na gestão pública, direcionados à mitigação dos acidentes de trânsito no município de Curitiba, Paraná. Por meio do uso de ferramentas de tecnologia da informação, contendo a adoção de técnicas de inteligência artificial, pode-se prover meios para que os gestores públicos municipais compreendam melhor as características relacionadas as ocorrências atendidas e de posse de tais informações, seja possível obterem auxílio na proposição e avaliação das políticas públicas. Para este estudo foram utilizados dados reais, anonimizados, dos atendimentos realizados às ocorrências de acidentes no ano de 2019, assim como os dados referentes aos equipamentos públicos municipais disponíveis à época. Os resultados apresentados ao fim deste documento, ainda limitados, permitem que sejam vislumbradas vantagens na adoção de tais recursos.

Biografia do Autor

Christian Carlos Souza Mendes, PPGPGP/UTFPR

Doutorando em Planejamento e Governança Pública NO PPGPGP/UTFPR. 

Rogério Allon Duenhas, PPGPGP/UTFPR

Doutor em Desenvolvimento Econômico pela UFPR. Professor do PPGPGP/UTFPR.

Referências

ALBINO, V.; BERARDI, U.; DANGELICO, R. M.; Smart cities: Definitions, dimensions, performance, and initiatives. Journal of Urban Technology, v. 22, n. 1, 2015.

BABBEI, E.; Métodos de Pesquisa Survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1999.

BALBE, R.; Uso de tecnologias de informação e comunicação na gestão pública: exemplos no governo federal. Revista do Serviço Público, Brasília, 2010.

BARBOZA, J. D.; Orçamento participativo: um estudo de caso sobre as tecnologias da informação e comunicação na gestão pública municipal. Trabalho de Conclusão de Curso, Graduação em Administração Pública, Instituto de Ciências Humanas e Sociais, Universidade Federal Fluminense, 2018.

BRASIL. Portal Brasileiro de Dados Abertos, 2022. Disponível em: <http://dados.gov.br/>.

CARVALHO, D.; RIBEIRO, C. H.; Mortes por acidentes de transporte terrestre no Brasil:Análise dos sistemas de informação do Ministério da Saúde. [S.l.], 2016.

CETIC.BR - Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação. Pesquisa sobre o uso das tecnologias de informação e comunicação no setor público brasileiro: TIC Governo Eletrônico 2021. São Paulo: CETIC.br, 2022.

CLERICUZI, A. Z., JÚNIOR, T. F. G.; Discussão sobre modelos para desenvolvimento de sistemas de apoio a decisão específico. Simpósio de Excelência em Gestão e Tecnologia, 2009.

DAMERI R.P.; Searching for Smart City definition: a comprehensive proposal. International Journal of Computers & Technology, 11, 2013.

FORBES MAGAZINE. Why AutoML Is Set To Become The Future Of Artificial Intelligence, Janakiram MSV - Senior Contributor, Apr 15, 2018.

GIBSON, D.V., KOZMETSKY, G., SIMILOR, R.W.; The Technopolis Phenomenon: Smart Cities, Fast Systems, Global Networks. Rowman & Littlefield, New York, 1992.

GIFFINGER, R. et al.; Smart cities. Ranking of European medium-sized cities. Vienna: University of Technology, 2007.

GERHARDT, T. E., SILVEIRA, D. T.; Métodos de pesquisa, UFRGS, 2009.

GIL, A. C.; Métodos e técnicas de pesquisa social. 6 ed. São Paulo, SP: Atlas, 2008.

GUENDUEZ, A. A., METTLER, T., SCHEDLER, K.;Technological frames in public administration: What do public managers think of big data?, Government Information Quarterly, Volume 37, 2020.

HUTTER, F., KOTTHOFF L., VANSHOREN,J.; Automated Machine Learning - Methods, Systems, Challenges, The Springer Series on Challenges in Machine Learning, 2020.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico 2010. Características da população e dos domicílios: resultados do universo. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/default.shtm

IPEA – INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Estimativa dos custos dos acidentes de trânsito no Brasil com base na atualização simplificada das pesquisas anteriores do Ipea. Brasília: Ipea, 2015.

LORÁ, R. M.; Mobilidade e acessibilidade no espaço urbano: o direito à cidade na Grande Vitória. 2018. Tese (Programa de Pós-graduação em Arquitetura e Urbanismo) – Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, São Paulo, 2018.

PEREIRA, T.O.; BORDIN, R.; Governo Eletrônico: O Uso De Tecnologias Da Informação Na Gestão Em Saúde De Novo Hamburgo (RS). Gestão Pública: casos, análises e práticas, 2020.

RUIZ, L. F. et al.; Árvore de decisão e a densidade mínima de amostras no mapeamento da cobertura da terra. Ciência Rural, vol.44, n.6, 2014.

SANTOS, J. C. dos, ANDRADE, M. L. V. X. de.; CIM como integração de dados municipais: uma possibilidade para o planejamento urbano. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

SILVA, L. S.; MENEZES, E. M.; Metodologia da pesquisa e elaboração de dissertação. Manual de orientação. Florianópolis, 2005.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

MENDES, C. C. S. .; DUENHAS, R. A. POLÍTICAS PÚBLICAS INTELIGENTES:: USO DE FERRAMENTAS TECNOLÓGICAS COM TÉCNICAS DE INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL PARA MITIGAÇÃO DE ACIDENTES DE TRÂNSITO NO MUNICÍPIO DE CURITIBA. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22886. Acesso em: 15 abr. 2024.

Edição

Seção

ST3 – Políticas públicas, planejamento urbano e integração regional