NATURALIZAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO, REPRODUTIVO E DO CUIDADO E A CARÊNCIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS PARA AS MULHERES NO CONTEXTO DA PANDEMIA DO COVID-19

Autores

  • Carelisa Stoffel de Siqueira Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Airton Adelar Mueller Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Sérgio Luís Allebrandt Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Ana Paula Kravczuk Rodrigues Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Flávio Fagundes Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul
  • Gabrieli de Camargo Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Palavras-chave:

Trabalho doméstico, reprodutivo e do cuidado, Silvia Federici, Políticas públicas, COVID-19

Resumo

Frente a atual crise global decorrente da pandemia do COVID-19, testemunhamos a acumulação de trabalho das mulheres diante da sobrecarga do trabalho doméstico, reprodutivo e do cuidado, remunerado e não remunerado, atribuído desempenhado por elas. A base teórica supracitada é da filósofa Silvia Federici, a qual defende que o trabalho doméstico, reprodutivo e do cuidado desempenhado pelas mulheres não são reconhecidos como trabalho produtivo gerador
de valor para o capital, nem sequer o trabalho de cuidado, desempenhado à família, casa e a reprodução de força de trabalho, perpetuando a opressão das mulheres. O presente artigo tem como objetivo demonstrar que a naturalização do trabalho doméstico, reprodutivo e de cuidado atribuído as mulheres enquanto cuidadoras exclusivas e onipresentes no contexto da pandemia, acentua a carência de políticas públicas brasileiras para igualdade de gênero. Assim, propomos a seguinte
questão problema: Em que medida a pandemia naturaliza o trabalho doméstico, reprodutivo e de cuidado das mulheres no Brasil, evidenciando a carência de políticas públicas brasileiras para igualdade de gênero? O método utilizado na pesquisa é o hipotético-dedutivo, o qual, vinculado a uma analítica teórica, possui caráter qualitativo, de natureza exploratória e descritiva. Neste pensar, expomos que a sobrecarga das mulheres diante da naturalização do trabalho doméstico, reprodutivo e do cuidado atribuído às mulheres, se agrava de forma significativa e alarmante com a atual crise desencadeada pela pandemia do COVID-19, evidenciando de forma alarmante a carência de políticas públicas brasileiras voltadas às mulheres, tanto no contexto pré, quanto pós pandemia.

Biografia do Autor

Carelisa Stoffel de Siqueira, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Mestranda pelo Programa Pós-Graduação em Desenvolvimento Regional (PPGDR) da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Bolsista CAPES.

Airton Adelar Mueller, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Doutor em Sociologia pela Universidade Livre de Berlim, Alemanha; Professor/pesquisador no Programa de Pós-graduação, Mestrado e Doutorado em Desenvolvimento Regional na Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (PPGDR/UNIJUÍ), Ijuí – RS, Brasil.

Sérgio Luís Allebrandt, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Bolsista Produtividade em Pesquisa CNPq; Professor Titular e Coordenador do PPGDR/UNIJUÍ; Líder do Grupo Interdisciplinar de Estudos em Gestão e Políticas Públicas, Desenvolvimento, Comunicação e Cidadania (GPDeC); Doutor em Desenvolvimento Regional pela PPGDR/UNISC (2010).

Ana Paula Kravczuk Rodrigues, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Mestranda pelo Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos (PPGDH) da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Bolsista CAPES.

Flávio Fagundes, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Mestrando pelo Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos (PPGDH) da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ). Bolsista CAPES.

Gabrieli de Camargo, Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul

Doutoranda pelo Programa de Pós-Graduação em Direitos Humanos (PPGDH) da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ).

Downloads

Publicado

2021-12-03

Como Citar

SIQUEIRA, C. S. de; MUELLER, A. A.; ALLEBRANDT, S. L.; RODRIGUES, A. P. K.; FAGUNDES, F.; CAMARGO, G. de. NATURALIZAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO, REPRODUTIVO E DO CUIDADO E A CARÊNCIA DAS POLÍTICAS PÚBLICAS BRASILEIRAS PARA AS MULHERES NO CONTEXTO DA PANDEMIA DO COVID-19. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 2, n. 1, 2021. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/21096. Acesso em: 23 fev. 2024.

Edição

Seção

ST5 – POLÍTICAS PÚBLICAS, GESTÃO SOCIAL E PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>