PREVENÇÃO AO SUICÍDIO E OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:

OBSTÁCULOS À META 3.4 DA AGENDA 2030 NO BRASIL

Autores

  • Carlos Stavizki Junior PPGDR/UNISC
  • Virgínia Elisabeta Etges PPGDR/UNISC

Palavras-chave:

Saúde Mental, Bem-estar, Políticas Públicas, ODS

Resumo

A problemática da prevenção ao suicídio ganhou destaque nas últimas décadas, após a Organização Mundial da Saúde (OMS) classificar a morte autoprovocada como “problema de saúde pública global”, no início do século XXI. O Brasil assumiu compromissos e aderiu às metas de redução da taxa social de suicídios planejadas por instituições internacionais, sendo a mais recente os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), incluídos na Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU). Neste trabalho, discute-se as metas dos ODS nº 3, “Saúde e Bem-estar”, apresentando seus principais indicadores e analisando os dados relacionados à meta 3.4, que almeja reduzir o número de mortes prematuras, através da promoção de saúde mental e bem-estar. Considera-se que o Brasil possui políticas públicas que contribuem com os ODS, porém seus indicadores sociais e de saúde demonstram uma tendência negativa para o bem-estar social, acompanhado de aumento dos índices de suicídio.

Biografia do Autor

Carlos Stavizki Junior, PPGDR/UNISC

Especialista em Saúde; Mestre em Desenvolvimento Regional; Doutorando no PPGDR/UNISC.

Virgínia Elisabeta Etges, PPGDR/UNISC

Doutora em Geografia Humana (USP); Professora titular do PPGDR/UNISC.

Referências

BERTOLOTE, José Manoel. O suicídio e sua prevenção. São Paulo: UNESP, 2012, 144 p.

BOMBARDI, Larissa Mies. Intoxicação e morte por agrotóxicos no Brasil: a nova versão do capitalismo oligopolizado. In: Boletim Dataluta. Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária: Presidente Prudente; pp. 1 – 21, 2011.

BOTEGA, Neury José. Comportamento suicida: epidemiologia. Psicol. USP, São Paulo, v. 25, n. 3, p. 231-236, dez., 2014.

BRASIL. Lei nº 13.819, de 26 de abril de 2019. Institui a Política Nacional de Prevenção da Automutilação e do Suicídio, a ser implementada pela União, em cooperação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios; e altera a Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998. Diário Oficial da União: Brasília, DF, 26 abr. 2019.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria Estadual da Saúde. Prevenção do suicídio no nível local: orientações para a formação de redes municipais de prevenção e controle do suicídio e para os profissionais que a integram. CORAG: Porto Alegre, 2011. 87p.

BRASIL. Portaria nº 1.876, de 14 de agosto de 2006. Institui as Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, a ser implantadas em todas as unidades federadas, respeitadas as competências das três esferas de gestão. Diretrizes Nacionais para Prevenção do Suicídio, Brasília, 14 ago. 2006.

BRASIL. Portaria nº 185, de 12 de setembro de 2012. Institui as normas para atenção às emergências em Saúde Mental no âmbito do SUS-DF. Distrito Federal, 12 set. 2012.

CASSORLA, Roosevelt Moises Smeke. Suicídio: fatores inconsciente e aspectos sociocuilturais: uma introdução. São Paulo: Blucher; 2017

CEVS – Centro Estadual de Vigilância em Saúde. Rio Grande do Sul. Boletim de Vigilância do Suicídio e Tentativa de Suicídio. Bol. Vig. Suicídio. v. 1. n. 1. set. 2018.

DALLARI, Pedro Bohomoletz de Abreu. Fome e pobreza aumentam no Brasil. Globalização e Cidadania. São Paulo, SP: Rádio USP (93,7 MHz); 2022. Disponível em: https://jornal.usp.br/radio-usp/fome-e-pobreza-aumentam-no-brasil/. Acesso em: 16 ago. 2022.

DATASUS – Departamento de informática do Sistema Único de Saúde do Brasil. Informações de Saúde, Epidemiológicas e Morbidade. 2022. Disponível em: <https://datasus.saude.gov.br/>. Acesso em: 17 ago. 2022.

FRAGA, Wagner Santana de; MASSUQUETTI, Angélica; GODOY, Marcia Regiona. Determinantes socioeconômicos do suicídio no Brasil e no Rio Grande do Sul. In: Anais do 19° Encontro de Economia da Região Sul. Florianópolis/SC, 2016.

FRANCK, Maria Cristina; MONTEIRO, Maristela Goldnadel; LIMBERGER, Renata Pereira. Mortalidade por suicídio no Rio Grande do Sul: uma análise transversal dos casos de 2017 e 2018. Epidemiologia e Serviços de Saúde; v. 29, n. 2, 2021.

FRASER, Nancy. Crise de legitimação? Sobre as contradições políticas do capitalismo financeirizado. Cadernos de Filosofia alemã, v. 23, n. 2, p. 153-188, jul - dez, 2018.

LOUREIRO, Paulo R. A.; MENDONÇA, Mario J. C. de; SACHSIDA, Adolfo. Os determinantes econômicos do suicídio: um estudo para o Brasil. IPEA — Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada: Texto para discussão nº 1487, Rio de Janeiro, p. 1-25, 2010.

MACHADO, João Guilherme Rocha; PAMPLONA, João Batista. A ONU e o desenvolvimento econômico: uma interpretação das bases teóricas da atuação do PNUD. Economia e Sociedade; v. 17, n. 1, pp. 53-84, 2008.

MACHADO, Marcos Fabrício Souza; LEITE, Cristiane Kerches da Silva; BANDO, Daniel Hideki. Políticas Públicas de Prevenção do Suicídio no Brasil: uma revisão sistemática. Revista Gestão & Políticas Públicas, v. 4, n. 2, p. 334-356, 2014.

MILLER, David N.; GOULD, Kaitlin. Forgotten founder: Harry Marsh Warren and the history and legacy of the Save-A-Life League. Suicidology online, v. 4, pp. 12-15, 2013.

MINISTÉRIO DA SAÚDE. Portaria nº 3.749, de 18 de dezembro de 2017. Institui Comitê para a elaboração e operacionalização do Plano Nacional de Prevenção do Suicídio no Brasil. Brasília, 18 dez. 2017.

MINOIS, Georges. História do Suicídio: a sociedade ocidental diante da morte voluntária. Tradução de Fernando Santos. São Paulo: Unesp, 2018.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE. Suicídio: dados e números. 2021. Disponível em: <https://www.who.int/es/news-room/fact-sheets/detail/suicide>. Acesso em: 10 ago. 2022.

ORGANIZAÇÃO PANAMERICANA DE SAÚDE. Pandemia de COVID-19 aumenta fatores de risco para suicídio. [internet]. 2020. Disponível em: <https://www.paho.org/pt/noticias/10-9-2020-pandemia-covid-19-aumenta-fatores-risco-parasuicidio>. Acesso em: 19 ago. 2022.

PNUD – Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Atlas do desenvolvimento humano no Brasil. Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. IPEA. Ministério da Economia; 2019.

RELATÓRIOS LUZ. IV Relatório Luz sobre a agenda 2030 no Brasil. Grupo de Trabalho da Sociedade Civil para Agenda 2030. Disponível em: https://gtagenda2030.org.br/; Acesso em: 12 ago. 2022.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

STAVIZKI JUNIOR, C.; ETGES, V. E. PREVENÇÃO AO SUICÍDIO E OS OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL:: OBSTÁCULOS À META 3.4 DA AGENDA 2030 NO BRASIL. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22947. Acesso em: 23 maio. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)