IMPLICAÇÕES DO ISOMORFISMO NA INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS:

ESTUDO MULTICASO EM COOPERATIVAS DE AGRICULTURA FAMILIAR

Autores

  • Darlan Ariel Prochnow PPGDR/UNIJUÍ
  • Euselia Paveglio Vieira PPGDR/UNIJUÍ
  • Natália Vogt Galli PPGDR/UNIJUÍ
  • Nelson José Thesing PPGDR/UNIJUÍ
  • Volmir Ribeiro do Amaral PPGDR/UNIJUÍ
  • Pedro Luis Büttenbender PPGDR/UNIJUÍ

Palavras-chave:

Teoria institucional, Isomorfismo, Desenvolvimento sustentável

Resumo

O presente artigo apresenta um estudo multicaso em cooperativas de agricultura familiar. O objetivo foi investigar as implicações do isomorfismo na institucionalização de práticas sustentáveis. Nesta pesquisa, foi utilizada a concepção de isomorfismo de DiMaggio e Powell. Estes autores apontam para a ocorrência de três tipos deste fenômeno: coercitivo, mimético e normativo. As técnicas de coleta de dados foram a entrevista em profundidade e a observação não participante. Os resultados apontam que o isomorfismo, sobretudo do tipo coercitivo, mostrou-se um mecanismo importante na institucionalização das práticas sustentáveis, uma vez que as quatro cooperativas estudadas sofrem algum tipo de influência de outras organizações, como a Vigilância Sanitária, EMATER, prefeituras municipais e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Uma das cooperativas informou ainda adotar práticas sustentáveis inspirada em outra cooperativa, caracterizando o isomorfismo mimético. Assim, o estudo conclui que a influência do isomorfismo é fundamental para a institucionalização de práticas sustentáveis nas cooperativas estudadas.

Biografia do Autor

Darlan Ariel Prochnow, PPGDR/UNIJUÍ

 Doutorando Desenvolvimento Regional no PPGDR/UNIJUÍ. Bolsista Prosuc/CAPES.

Euselia Paveglio Vieira, PPGDR/UNIJUÍ

Doutora em Administração pela UNAM-Argentina. Mestre em Contabilidade pela Fundação Visconde de Cairu. Professora do PPGDR/UNIJUÍ.

Natália Vogt Galli, PPGDR/UNIJUÍ

Mestranda Desenvolvimento Regional no PPGDR/UNIJUÍ. Bolsista SESCOOP.

Nelson José Thesing, PPGDR/UNIJUÍ

Doutor em Integração Regional pela UFPEL (2004). Graduado em Filosofia pela UNIJUI (1986). Professor do PPGDR/UNIJUI.

Volmir Ribeiro do Amaral, PPGDR/UNIJUÍ

Doutorando em Desenvolvimento Regional no PPGDR/UNIJUÍ. Bolsista SESCOOP.

Pedro Luis Büttenbender, PPGDR/UNIJUÍ

Doutor em Administração pela UNAM-Argentina. Mestre em Gestão Empresarial (FGV/EBAPE). Professor do PPGDR/UNIJUÍ, Estagiário Pós-Doutoral no Programa de Pós-Graduação em Desenvolvimento e Políticas Públicas da UFFS, Campus Cerro Largo/RS. 

Referências

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011, 229 p.

CALLADO, A. A. C.; CALLADO, A. L. C.; ALMEIDA, M. A. Isomorfismo e Práticas de Gestão de Custos: Um estudo empírico entre empresas do porto digital a partir da teoria institucional. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 4, n. 1, p. 204–217, 2014.

CALDAS, M., FACHIN, R., FISCHER, T. (Orgs. da edição brasileira). CLEGG, S. R.,HARDY, C., NORD, W. R., (Orgs. da edição original). Handbook de Estudos Organizacionais – Modelos de Análise e Novas Questões em Estudos Organizacionais, v. 1, São Paulo: Atlas, 2007.

CHRISTOFFOLI, P. I. Elementos introdutórios para uma história do cooperativismo e associativismo rurais no Brasil. In: Questão agrária, cooperação e agroecologia. (p. 169-188). São Paulo, Outras Expressões, 2015.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F.; GOULART, S. A trajetória conservadora da teoria institucional. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 39, n. 4, p. 849 a 874, jan. 2005.

CARVALHO, C. A.; VIEIRA, M. M. F. (org.). Organizações, cultura e desenvolvimento local: a agenda de pesquisa do Observatório da Realidade Organizacional / organizadores. Recife: EDUFEPE, 2003, 366p.

DEPONTI, C. Indicadores para avaliação da sustentabilidade em contextos de desenvolvimento rural local. Porto Alegre, Monografia (Especialização) - UFRGS, 2001.

DIMAGGIO, P. J.; POWELL, W. W. A Gaiola de Ferro Revisitada: isomorfismo institucional e racionalidade coletiva nos campos organizacionais. RAE, vol. 45, nº2, abr./jun. 2005.

ELKINGTON, J. Cannibals with forks: the triple bottom line of 21st Century Business. Capstone: Oxford, 1997.

GARRIDO, Giovanna; SALTORATO, Patrícia. Isomorfismo, Eficiência Simbólica e Legitimidade Social na Institucionalização da Sustentabilidade Socioambiental nas Organizações Contemporâneas. Perspectivas em Gestão & Conhecimento, v. 5, n. 2, p. 69-82, 22 dez. 2015.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. São Paulo: Atlas, 2014. 6. ed.HOCAYEN-DA-SILVA, A. J.; SILVA, A. H. da. Protagonismo das Cooperativas na Promoção dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável: Reflexões Teóricas e Agenda de Pesquisa. Desenvolvimento em Questão, [S. l.], v. 19, n. 54, p. 83–103, 2021.

KELM, M. L.; RENZ, C. L. da S.; ALLEBRANDT, S. L.; SAUSEN, J. O. Institucionalização das iniciativas socioambientais das organizações: interfaces entre a teoria do desenvolvimento social de Habermas e o isomorfismo da teoria institucional. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 12, n. spe, p. 401-415, ago. 2014.

LEAL, Luiz Gonzaga. Teoria Institucional e fatores determinantes da ação de práticas sustentáveis pelas empresas. 2011. 108f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade FUMEC, Belo Horizonte, 2011.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2019.

MINAYO, M. C. S. (org.). Pesquisa social. teoria, método e criatividade. 34.ed. Petrópolis: Vozes, 2015.

MORAIS, L. A. de; SIQUEIRA, E. S.; SILVA, R. A. Gestão e responsabilidade ambiental nas práticas de uma cooperativa de agricultura familiar: a percepção de cooperados. Research, Society and Development, [S. l.], v. 9, n. 6, 2020.

ORGANIZAÇÃO DAS COOPERATIVAS BRASILEIRAS (OCB). O Que é Cooperativismo. Disponível em: https://www.ocb.org.br/o-que-e-cooperativismo. Acesso em: 21 ago. 2020.

PECI, A. A nova teoria institucional em estudos organizacionais: uma abordagem crítica. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 4, n. 1, p. 01-12, Mar. 2006.

PINHO, D. B. A doutrina cooperativa nos regimes capitalista e socialista. 2. ed. São Paulo: Pioneira, 1966.

PINTO, F. C. Uma História do Cooperativismo sob a Perspectiva Utópica. Revista de Administração e Contabilidade. v. 1, n. 1, p. 65-79, junho/dezembro, 2009.

SANTOS, Jacqueline G.; CÂNDIDO, Gesinaldo A. Sustentabilidade e Agricultura Familiar: Um Estudo de caso em uma associação de agricultores rurais. Revista de Gestão Social e Ambiental - RGSA, São Paulo, v. 7, n. 1, p. 70-86, jan./abr. 2013.

SANTOS, M. J. dos. Projeto alternativo de desenvolvimento rural sustentável. Estudos Avançados, São Paulo, v. 15, n. 43, p. 225-238, dez. 2001.

SCHNEIDER, José Odelso. Cooperativismo e desenvolvimento sustentável. Otra Economía, 9(16):94-104, janeiro-junho 2015.

SOARES, C. M. T.; HORT, J. V.; BEJAMINI, R.; BASSO, D. A Percepção do Cooperativismo Pelos Agricultores Familiares Associados da Cooperativa Mista Agrofamiliarde Vera Cruz do Oeste – A Tulha. Revista Orbis Latina, vol.9, nº 1, Foz do Iguaçu/ PR (Brasil), janeiro – junho de 2019.

SOUZA, M. M. O. O movimento cooperativista no Brasil: Uma reflexão sobre formação, desenvolvimento e perspectivas. Caminhos de Geografia, Uberlândia, v. 10, n. 30, p. 65-78, 2009.

WEBERING, S. I. Cooperação Cooperativa: o Ser, o Fazer e o Devir. Rev. adm. contemp., Curitiba, v. 24, n. 6, p. 567-581, 2020.

YAMAGUCHI, C. K.; STEFENON, S. F.; RAMOS, N. K.; DOS SANTOS, V. S. ; FORBICI, F.; KLAAR, A. C. R.; FERREIRA, F. C. S.; CASSOL, A.; MARIETTO, M. L.; YAMAGUCHI, S.K.F.; DE BORBA, M. L. Young People’s Perceptions about the Difficulties of Entrepreneurship and Developing Rural Properties in Family Agriculture. Sustainability, 12 (21): 8783, 2020.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 2 ed. Porto Alegre: Bookman, 2001.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

PROCHNOW, D. A. .; VIEIRA, E. P.; GALLI, N. V.; THESING, N. J. .; AMARAL, V. R. do; BÜTTENBENDER, P. L. . IMPLICAÇÕES DO ISOMORFISMO NA INSTITUCIONALIZAÇÃO DE PRÁTICAS SUSTENTÁVEIS:: ESTUDO MULTICASO EM COOPERATIVAS DE AGRICULTURA FAMILIAR. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22928. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

ST5 – Cooperativismo, economia colaborativa e desenvolvimento

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 > >>