(RE) EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SOCIEDADE DE CONSUMO:

REFLEXÕES A PARTIR DA AGENDA 2030

Autores

  • Cleusa Maria Rossini SMED/IJUÍ
  • Leonir Terezinha Uhde PPGSAS/UNIJUI
  • Daniel Rubens Cenci PPGD/UNIJUI e PPGSAS/UNIJUI
  • Maristela Cristiane Heck EFA e PPGEC/UNIJUI
  • Fernanda Gewehr de Oliveira UFPR

Palavras-chave:

Crise socioambiental, Natureza, Sustentabilidade

Resumo

O objetivo do presente trabalho é realizar uma abordagem crítica a respeito da crise socioambiental que assola o mundo, no modelo atual de produção capitalista, seus reflexos ao meio ambiente e a qualidade de vida das pessoas. Valendo-se de pesquisa bibliográfica de caráter exploratório, busca-se apontar a necessidade de mudanças na relação entre sociedade e natureza. Parte-se da premissa que se faz necessário re(educar) os cidadãos para uma ética sustentável, de modo que os recursos necessários à vida sejam democratizados, a fim de promover mudanças na produção e no consumo, que podem ser concretizadas por meio de uma Educação Ambiental mais efetiva, sob a ótica dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e a Agenda 2030, consolidada no âmbito da Organização das Nações Unidas (ONU).

Biografia do Autor

Cleusa Maria Rossini, SMED/IJUÍ

Professora da Rede Municipal de Ensino de Ijuí/RS. Mestra em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade - UNIJUÍ.

Leonir Terezinha Uhde, PPGSAS/UNIJUI

Professora do Curso de Agronomia e colaboradora do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade da UNIJUÍ. Doutorado em Ciências do Solo - UFSM.

Daniel Rubens Cenci, PPGD/UNIJUI e PPGSAS/UNIJUI

Professor nos cursos de graduação em Direito, Mestrado e Doutorado em Direitos Humanos, Professor do Mestrado em Sistemas Ambientais e Sustentabilidade - UNIJUI. Pós-Doutorado em Geopolítica Ambiental Latinoamericana   USACH

Maristela Cristiane Heck, EFA e PPGEC/UNIJUI

Professora do Centro de Educação Básica Francisco de Assis – EFA. Mestranda em Educação nas Ciências -
UNIJUÍ

Fernanda Gewehr de Oliveira, UFPR

Advogada. Doutoranda em Meio Ambiente e Desenvolvimento – UFPR.

Referências

ACOSTA, Alberto. O Bem Viver: uma oportunidade para imaginar outros mundos. Tradução de Tadeu Breda. São Paulo. Editora Elefante, 2016.

BOTÊLHO, Lucas Antônio Viana. O Bem Viver, Educação Ambiental e Crise Pandêmica: entrelaçamentos crítico-transformadores. Pesquisa em Educação Ambiental, vol. 16, n. 2, 2021.

BRASIL. Lei Federal nº 9.795, de 27 de abril de 1999. Dispõe sobre a educação ambiental, institui a Política Nacional de Educação Ambiental e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/l9795.htm

ESTENSSORO, Fernando. A Geopolítica Ambiental do Século 21. Editora UNIJUI, 2019.

GADOTTI, Moacir. Educar para a sustentabilidade: uma contribuição à década da educação para o desenvolvimento sustentável. São Paulo: Editora e Livraria Instituto Paulo Freire, 2008. (Série Unifreire; 2).

LEFF, Enrique. Saber Ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Tradução de Lúcia M. E. Orth. Petrópolis, RJ: Vozes. 2015.

LOBINO, Maria das Graças Ferreira. A práxis ambiental educativa: diálogo entre diferentes saberes. 2 ed. Vitória: EDUFES, 2013.

MARTINE, George; ALVES, José Eustáquio Diniz. Economia, sociedade e meio ambiente no século 21: tripé ou trilema da sustentabilidade. R. bras. Est. Pop. Rio de Janeiro, v.32, n.3, set./dez. 2015

MEDEIROS, Maria Luiza Quinino de. A perspectiva sobre a sustentabilidade em documentos do Ministério da Educação e do Ministério do Meio Ambiente e as possíveis aplicações no contexto escolar do semiárido nordestino. 2018.UFRN. Tese doutorado em desenvolvimento e meio ambiente

MIRANDA, Donizeti Leão de; MENDONÇA, Alexandre Tourino; MELO, Marília Carvalho de; MELO, Elisa Dias de. Educação Ambiental a partir da Agenda 2030: experiências da conscientização e do uso racional da água em uma Escola Municipal de Varginha (MG). Revbea, São Paulo, V. 16, Nº 2: 174-190, 2021.

NAÇÕES UNIDAS. Transformando nosso mundo: A Agenda 2030 para o desenvolvimento Sustentável. ONU/Brasil – 2015. Disponível em: https://nacoesunidas.org/pos2015/

NARCIZO, Kaliane Roberta dos Santos. Uma análise sobre a importância de trabalhar educação ambiental nas escolas. Rev. Eletrônica Mestr. Educ. Ambient, v. 22, 2009.

PARIS, Maria Stela; SICHESKI, Sirineu; STEFFREN, Evandro; FERNANDES, Sandra Beatriz Vicenci; MARTINHO, Luis Kelm. Os Descaminhos da Sustentabilidade atravancando o Desenvolvimento Sustentável. Educação Ambiental em Ação, v. 1, p. 1-22, 2018.

PRESTES, Fabiane; CENCI, Daniel. (Re)educação ambiental e biodiversidade: reflexões a partir do “Buen Vivir”. Reflexões sobre saberes e práticas em Educação Ambiental. Org. Marciele Dias Santos Cabeleira, Vidica Bianchi. - Cruz Alta: Ilustração, 2021. v. 1.

SACHS, I. Desenvolvimento: includente, sustentável e sustentado. Rio de Janeiro: Garamond, 2004. 152p.

SEN, Amartya. A ideia de justiça. Tradução de Denise Bottmann e Ricardo Doninelli Mendes. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

TROVARELLI, Rachel Andriollo; BATTAINI, Vivian; SORRENTINO, Marcos. A transição para sociedades sustentáveis: uma abordagem a partir de processos educadores. Pesquisa em Educação Ambiental, vol.16, n.1, 2021 DOI: http://dx.doi.org/10.18675/2177-580X.2021- 13170

VIEIRA, Laurentino Bernardes. A Educação Ambiental, a sociedade de consumo e a necessidade da sustentabilidade. Revista brasileira de educação ambiental, São Paulo, V. 15, Nº 4: 95-109, 2020.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

ROSSINI, C. M.; UHDE, L. T.; CENCI, D. R.; HECK, M. C.; OLIVEIRA, F. G. de. (RE) EDUCAÇÃO AMBIENTAL E SOCIEDADE DE CONSUMO:: REFLEXÕES A PARTIR DA AGENDA 2030. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22981. Acesso em: 23 maio. 2024.