O PLANO DIRETOR MUNICIPAL E AS AGLOMERAÇÕES PRODUTIVAS NO ESPAÇO URBANO-RURAL: O CASO DE CERRO LARGO/RS

  • Carlos Anes
  • Dionéia Dalcin
  • Paulo Cesar Neves Barboza
  • Rodrigo Prante Dill
  • Fabrício Costa De Oliveira
Palavras-chave: Planejamento, Desenvolvimento Urbano-Rural, Arranjos Produtivos

Resumo

Aglomerados produtivos na dimensão urbano-rural, nos últimos anos, tem sido tema de debates em torno de
políticas públicas no Brasil. Nesse sentido, o propósito deste trabalho é analisar diretrizes do plano diretor em
relação aos conceitos de aglomerações produtivas dentro de uma perspectiva de desenvolvimento urbanorural,
no município de Cerro Largo/RS. A pesquisa é caracterizada como descritiva e qualitativa baseada no
método bibliográfico e documental. Com base nos resultados alcançados sugere-se que o atual plano diretor do
município possa ser ajustado, no sentido de ampliar a visão de desenvolvimento com base não apenas em
“cadeia produtiva”, mas incentivando alternativas de arranjos produtivos em seu espaço urbano-rural. Assim,
aponta-se para que as diretrizes de fortalecimento da estrutura produtiva do município passem a considerar
outras interpretações sobre aglomerações produtivas, como, por exemplo, os “distritos industriais”, os
“Clusters” e os “Arranjos Produtivos Locais”. Além disso, se ajustada e fundamentada as diretrizes do plano
diretor, ao encontro de arranjos que atendam a uma legislação que vise maior equilíbrio entre desempenho
econômico e inclusão social, o município poderá, por meio da organização e dinâmica dos seus espaços
produtivos, oportunizar um desenvolvimento urbano-rural mais sustentável.

Publicado
2018-12-17
Seção
EIXO 2: SISTEMAS PRODUTIVOS E DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL