LEVANTAMENTO DA CONTAMINAÇÃO DE ENTEROPARASITAS NA ALFACE (LACTUCA SATIVA) VENDIDAS NA CIDADE DE IJUÍ/RS

  • Luciane Ribeiro Viana Martins
  • Bruna Carolina Ulsenheimer
  • André Lucca Pizzuti
  • Cristiane Beck
  • Luciana Mori Viero
Palavras-chave: Saúde Pública, Parasitas, Hortaliças, Educação sanitária, Desenvolvimento Regional

Resumo

As hortaliças são amplamente comercializadas e consumidas no Brasil, a alface (Lactuca
sativa), representa cerca de 50% do total de verduras comercializadas e consumidas pelos
brasileiros. A contaminação deste vegetal por parasitas é um agravo à saúde pública.
Portanto, objetiva-se estimar a contaminação parasitológica das alfaces comercializadas em
estabelecimentos do município de Ijuí-RS. Foram coletadas 10 amostras aleatórias deste
vegetal, adquiridas nos estabelecimentos da cidade. Posteriormente, as amostras foram
encaminhadas ao laboratório de Parasitologia da Unijuí, onde foi realizado análise do
sedimento em duplicata, no microscópio óptico com aumento 10x e 40x. Constatou-se, que
em 80% das amostras analisadas, houve a presença do protozoário Tritrichomonas foetus.
Acredita-se que a contaminação das hortaliças pelo protozoário, tenha acontecido em seu
cultivo, quando o produtor teve contato com secreções vaginais e/ou prepuciais de bovinos,
antes do contato direto com as alfaces, ou a água utilizada para regar as plantas estaria
contaminada pelo protozoário. Desta forma, é possível verificar que o padrão higiênico e
sanitário destas hortaliças está abaixo do esperado, por não haver um controle parasitário.
Demonstrando a necessidade da aplicação de programas de educação sanitária para as
pessoas que manipulam e cultivam as hortaliças. Para que desta forma, seja possível haver
um maior desenvolvimento da região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul. Que deve
ocorrer pelo fortalecimento da rede de produção, através de uma estreita relação de
confiança entre produtor e vendedor, quanto á qualidade do produto, para fortalecer o
desenvolvimento regional e territorial.

Publicado
2018-12-17
Seção
EIXO 2: SISTEMAS PRODUTIVOS E DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL