CIDADES MÉDIAS, PENDULARIDADE E REGIÃO:

IDENTIFICANDO ÁREAS URBANAS FUNCIONAIS EM REGIÕES DO RIO GRANDE DO SUL – BRASIL

Autores

  • Rogério Leandro Lima da Silveira PPGDR/UNISC
  • Carolina Rezende Faccin PROPUR/UFRGS
  • Brenda Eckel Machado UNISC
  • Cheila Carine Seibert UNISC

Palavras-chave:

Cidade Média, Região, Áreas urbanas funcionais, Rede urbana regional.

Resumo

No atual contexto de globalização econômica e de fragmentação territorial, a noção de policentrismo adquire importância na análise dos processos e políticas de desenvolvimento regional e de coesão territorial. As cidades médias centralizam, articulam e intermediam esses fluxos nos espaços regionais. A ideia de regiões policêntricas, mais equilibradas e coesas ganha força tanto nos debates acadêmicos internacionais no campo das ciências sociais, em geral, e no da ciência regional, em particular, quanto na esfera governamental, sobretudo no âmbito da União Europeia, ao ser incorporada nas políticas públicas de ordenamento territorial e de planejamento e desenvolvimento regional. A partir de uma apreensão crítica desses estudos sobre o policentrismo e de sua necessária adaptação à realidade brasileira, utilizamos metodologicamente a abordagem das áreas urbanas funcionais na análise da centralidade das cidades médias e das suas interações espaciais nas suas regiões de influência, no território do Rio Grande do Sul, no sul do Brasil. Buscamos verificar como se apresentam o processo de constituição e a dinâmica de interações espaciais no interior das áreas urbanas funcionais, bem como quais são as relações e interações que as respectivas cidades médias centralizam e estabelecem com as demais cidades que polarizam, em quatro regiões funcionais de planejamento do estado do Rio Grande do Sul (Regiões 2, 7, 8 e 9), selecionadas para análise. Igualmente buscamos compreender como se apresenta nessas regiões a centralidade das cidades médias, a divisão territorial do trabalho e seus condicionantes e reflexos na dinâmica de urbanização e de funcionamento da rede urbana regional.

Biografia do Autor

Rogério Leandro Lima da Silveira, PPGDR/UNISC

Mestre e Doutor em Geografia Humana pela Universidade Federal de Santa Catarina; Pós-Doutorado em Geografia e Planeamento Regional pela Universidade Nova de Lisboa; Pesquisador do CNPq.

Carolina Rezende Faccin, PROPUR/UFRGS

Doutoranda e Mestre em Planejamento Urbano e Regional pelo PROPUR/UFRGS. Bolsista CAPES.

Brenda Eckel Machado, UNISC

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Santa Cruz do Sul; Bolsista PUIC CNPq.

Cheila Carine Seibert, UNISC

Graduanda em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Santa Cruz do Sul; Bolsista PIBIC CNPq.

Referências

AALBU, Hallgeir. Europa policéntrica: ¿Utopía o posibilidad?. In. ROMERO, J. y FARINÓS, J. (eds.). Ordenación del territorio y desarrollo territorial. Gijón: Trea. 145-170. 2004.

ANTIKAINEN, Janne. The concept of Functional Urban Area. Findings of the ESPON Project 1.1.1. Informationen zur Raumentwicklung, 7(1), 447-452. 2005.

BELLET, Carmen; LLOP-TORNÉ, Josep Maria. Ciudades intermedias y urbanización mundial. Edita: Ajuntament de Lleida. 2002.

CATTAN, Nadine. (Org.) Cities and networks in Europe: A critical approach of polycentrism. Montrouge, France: John Libbey Eurotext. 2007.

CORRÊA, Roberto Lobato. A rede urbana. São Paulo: ed. Ática. 1990.

CORRÊA, Roberto Lobato. Estudos sobre a rede urbana. Rio de Janeiro: ed. Bertrand Brasil. 2006.

DAVOUDI, Simin. Polycentricity: Panacea or pipedream? In: CATTAN, N. (Org.) Cities and networks in Europe. Montrouge, France: John Libbey Eurotext. 65-73. 2007.

DEMATTEIS, Giuseppe. Sistemi locali nucleari e sistemi a rete. Un contributo geográfico all’interpretazione delle dinamiche urbane. In C. S. Bertuglia e A. La Bella (ed.), I Sistemi Urbani. Milão: Franco Angeli. 417-441. 1991.

DINIZ, Clélio. C. QUAL DESENVOLVIMENTO REGIONAL: policentrismo, reordenamento territorial e coesão. Seminário Desenvolvimento 22 Regional: Desafios e oportunidades para o Brasil. Rio de Janeiro, 31/8 a 2/9 de 2009. Apresentação de Slides. 2009.

DEPARTAMENTO NACIONAL DE INFRAESTRUTURA DE TRANSPORTES (DNIT). Rodovias federais. DNITGeo - Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes. http://servicos.dnit.gov.br/vgeo. 2015.

EUROPEAN OBSERVATION NETWORK FOR TERRITORIAL DEVELOPMENT AND COHESION (ESPON). ESPON 1.1.1: Potentials for polycentric development in Europe. Project report. Stockholm: ESPON. Disponível em: https://www.espon.eu/sites/default/files/attachments/fr-1.1.1_revised-full_0.pdf . 2004.

EUROPEAN OBSERVATION NETWORK FOR TERRITORIAL DEVELOPMENT AND COHESION (ESPON). The Functional Urban Areas Database – ESPON 2013 Database. Disponível em: http://database.espon.eu/db2/jsf/DicoSpatialUnits/DicoSpatialUnits_onehtml/index.html. 2011.

FARINÓS, Joaquin. Bases, métodos e instrumentos para el desarrollo y la cohesión territoriales. Diagnóstico y propuestas para el debate y la acción. In: FARINÓS, Joaquín; ROMERO, Joan e SALOM, Julia (Eds.) Cohesión e Inteligencia Territorial: Dinámicas y Processos para una mejor planificación y toma de decisiones. Valência: Publicaciones de la Universitat de València. 17-62. 2009.

FERRÃO, João. Regiões Funcionais, Relações urbano-rurais e Política de Coesão Pós-2013. Lisboa: ICS. Relatório Final. Disponível em: http://www.qren.pt/np4/np4/?newsId=1334&fileName=regioes_funcionais.pdf . 2012.

HALL, Peter. The Polycentric Metropolis: Learning from Mega-city Regions in Europe. London: Earthschan. 2006.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Região de Influência das Cidades – REGIC 2007. Rio de Janeiro, IBGE. Disponível em:www.ibge.gov.br/geociencias/cartas-e-mapas/redes-geograficas/15798-regioes-de-influencia-das-cidades.html. 2008.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Censo Demográfico do Brasil. Rio Grande do Sul. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível em: http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/. 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Arranjos populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE. Disponível: www.ibge.gov.br/apps/arranjos_populacionais/2015. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (IBGE). Regiões de Influência das Cidades - REGIC 2018. Rio de Janeiro: IBGE. 2020.

MEDEIROS, E. J. R. A Coesão Territorial nas NUTS III de Fronteira de Portugal Continental: A iniciativa INTERREG-A e o Desenvolvimento Regional - O caso da NUT III do Alentejo Central. Tese de Mestrado em Estudos Urbanos. Faculdade de Letras. Universidade de Lisboa. 2005.

MEIJERS, Evert. Measuring polycentricity and its promises. European Planning Studies, 16(9), 1313-1323. 2008.

OCDE. Definition of Functional Urban Areas (FUA) for the OECD metropolitan database. September. Disponível em: https://www.oecd.org/gov/regionalpolicy/Definition-of-Functional-Urban-Areasfor-the-OECD-metropolitan-database.pdf . 2013.

PILLET, Felix.; CAÑIZARES, M. C. Policentrismo y áreas funcionales de baja densidad. Madrid: Editorial Síntesis. 2017.

PILLET, Feliz.; RUIZ, M.a del C. C.; PULPÓN, Á. R. R.; TABASCO, J. P.; SANTOS, J. F. S.; SÁNCHEZ-MATEOS, H. S. M. Fuentes para la aplicación de la Estrategia Territorial Europea en Castilla-La Mancha. Estudios Geográficos, LXVIII(263), 627-651. 2007.

PILLET, Felix.; CAÑIZARES, M. C.; RUIZ, A. R.; MARTÍNEZ, H. S.; PLAZA, J. J.; SANTOS, J. F. El policentrismo en Castilla-La Mancha y su análisis a partir de la población vinculada y el crecimiento demográfico. Scripta Nova - Revista Electrónica de Geografía y Ciencias Sociales, XIV(321). 2010.

RIO GRANDE DO SUL. Perfis Socioeconômicos Regiões Funcionais de Planejamento. Porto Alegre: SEPLAG/DEPLAN. Disponível em: https://planejamento.rs.gov.br/upload/arquivos/201512/15134058-20150319163519perfis-todos.pdf . 2015.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço. São Paulo: Ed. Hucitec. 1996.

SANTOS, Milton.; SILVEIRA, Maria Laura. O Brasil: Sociedade e Território no começo do século XXI. Rio de Janeiro: Ed. Record. 2001.

SPOSITO, Maria. E. B. (Org). Cidades Médias: Espaços em Transição. São Paulo: Editora Expressão Popular. 2007.

SILVEIRA, Rogério L. L.; BRANDT, G. B.; FACCIN, C. R.; SILVEIRA, L. L.; KUMMER, D. C. Policentrismo, Áreas Urbanas Funcionais (FUAs) e Dinâmica Territorial: Um estudo exploratório desde a região do Vale do Rio Pardo - RS - Brasil. Redes, Santa Cruz do Sul, 22(1), 184-217. 2017.

SILVEIRA, Rogério L.L. Coesão Territorial, Policentrismo e Redes Urbanas Regionais: Impressões sobre as políticas recentes de ordenamento territorial e desenvolvimento regional em Portugal. In: SILVEIRA, R.L.L; e DEPONTI, C.M. (Org.). Desenvolvimento Regional: Processos, Políticas e Transformações Territoriais. São Carlos: Pedro e João Editores. 293-342.

SIMÕES, Rodrigo.; AMARAL, Pedro. V. Interiorização e novas centralidades urbanas: uma visão prospectiva para o Brasil. Economia,12(3), 553-579. Disponível em: www.anpec.org.br/revista/vol12/vol12n3p553_579.pdf . 2011.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

SILVEIRA, R. L. L. da; FACCIN, C. R.; MACHADO, B. E. .; SEIBERT, C. C. CIDADES MÉDIAS, PENDULARIDADE E REGIÃO:: IDENTIFICANDO ÁREAS URBANAS FUNCIONAIS EM REGIÕES DO RIO GRANDE DO SUL – BRASIL. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22916. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

ST3 – Políticas públicas, planejamento urbano e integração regional

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)