APONTAMENTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL DE SÃO LUÍS – MA

Autores

  • Uelson Serra Garcia PPGDRA/UNIOESTE
  • Jandir Ferrera de Lima PPGDRA/UNIOESTE
  • Ricardo Rippel PPGDRA/UNIOESTE

Palavras-chave:

Economia urbana, Logística, Desenvolvimento urbano

Resumo

O objetivo deste artigo foi discorrer sobre o desenvolvimento municipal do município de São Luís, no período de 2005 a 2016. A metodologia consistiu no uso de dados socioeconômicos do município, além do índice de desenvolvimento municipal da Firjan (IFDM). Os resultados apontaram que nos últimos doze anos, tanto o processo de urbanização quanto o desenvolvimento municipal tiveram uma evolução positiva na taxa de crescimento acompanhando a dinâmica produtiva do terminal portuário que apresentou crescimento acentuado no fluxo de cargas dinamizando a interação entre o porto e a cidade. São Luís é uma cidade portuária com características marítimas singulares com grande capacidade para
impulsionar o desenvolvimento regional e urbano.

Biografia do Autor

Uelson Serra Garcia, PPGDRA/UNIOESTE

Doutorando em Desenvolvimento Regional e Agronegócio no PPGDRA/UNIOESTE. Bolsista Capes;.

Jandir Ferrera de Lima, PPGDRA/UNIOESTE

Doutor em Desenvolvimento Regional pela Université du Québec (UQAC)/Canadá. Professor PPGDRA/UNIOESTE. 

Ricardo Rippel, PPGDRA/UNIOESTE

Doutor em Demografia pela UNICAMP. Professor do PPGDRA/UNIOESTE. 

Referências

AKABANE, G. K; GONÇALVES, M. A. A importância do modelo de Autoridade Portuária como opção no planejamento logístico. Revista Brasileira de Estratégia, Curitiba, v. 1, n. 1, p. 19-28, jan./abr. 2008.

ANDRES, L. P. C. C. A Fundação de São Luís do Maranhão. Revista da Cultura, v. 23, p. 41, 2014.

ARRUDA, J. J. A. A economia brasileira no fim da época colonial: a diversificação da produção, o ganho de monopólio e a falsa euforia do Maranhão. Revista de História, n. 119, p. 3-21, 1988.

BANDEIRA, A. M. A vila de Índios do Vinhais Velho, em São Luís–Maranhão: Aspectos históricos de um assentamento humano de longa duração. Revista Caminhos da História, v. 21, n. 2, p. 1-23, 2016.

BANDEIRA, A. M. Ocupações de pescadores–coletores pré-coloniais na ilha de São Luís–MA: uma leitura a partir do Sambaqui do Bacanga. Tarairiú–Revista Eletrônica do Laboratório de Arqueologia e Paleontologia da UEPB, v. 1, n. 6, p. 12, 2013.

BENKO, G. Economia, espaço e globalização: na aurora do séc. XXI. São Paulo: Hucitec, p. 50-66, 1996.

BRASIL. Ministério da Economia. Relação Anual das Informações Sociais (RAIS). 2021. Disponível em:<https://bi.mte.gov.br/bgcaged/rais.php>. Acesso em: 20 ago. 2021.

CAMPOS, L. F.; MARTINS, N. S. F.; OLIVEIRA, A. M. H. C.; SIMÕES, R. F.; Atributos urbanos e condição de ocupação da população economicamente ativa de Minas Gerais: uma análise multinível. Informe Gepec, v. 20, n. 1, p. 78-97, 2016.

CLEMENTINO, J. São Luís: cidade portuária em transformação. Revista de Ciência & Tecnologia, v. 21, n. 41, p. 3-14, 2017.

DINIZ, F. A. Novos investimentos no Maranhão: um cenário desenvolvimentista? Cadernos do Desenvolvimento, v. 8, n. 13, p. 89-108, 2013.

EMAP. Empresa Maranhense de Administração Portuária. Localização. 2021a. <https://www.emap.ma.gov.br/porto-do-itaqui/localizacao> Acesso em 15 de set. de 2021.

EMAP. Empresa Maranhense de Administração Portuária. Movimentação de cargas. 2021b. <https://www.emap.ma.gov.br/porto-do-itaqui/operacoes-portuarias/movimentacao-decarga> Acesso em 15 de set. de 2021.

EMAP. Empresa Maranhense de Administração Portuária. Plano de Desenvolvimento e Zoneamento - Porto do Itaqui. 2019. Disponível em: https://www.portodoitaqui.ma.gov.br/pdf/pdz-itaqui.pdf. Acesso em: 16 jul. 2021.

EMAP. Empresa Maranhense de Administração Portuária. Porto do Itaqui: geração de riqueza para o MA. São Luís: 2016. Disponível em: https://www.emap.ma.gov.br/imprensa/noticia/porto-do-itaqui-geracao-de-riqueza-para-o-ma. Acesso em: 15 out. 2021.

FERNANDES, J. Economia maranhense de 1890 a 2010: superexploração e Estado oligárquico como entraves ao desenvolvimento. São Luís: EDUFMA, 2020.

FERRERA DE LIMA, J. Indicadores de desigualdade regional. In: PIACENTI, C. A.; LIMA, J. F. (Org.) Análise Regional: metodologia e indicadores. Curitiba: Ed. Camões. 2012.

FIRJAN. IFDM 2018 - Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal. 2018. Disponível em:<https://www.firjan.com.br/data/files/67/A0/18/D6/CF834610C4FC8246F8A809C2/IFDM_2018.pdf>. Acesso em: 12 de ago. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estimativas Populacionais. Rio de Janeiro: IBGE, 2020a. Disponível em:<https://www.ibge.gov.br/estatisticas/sociais/populacao/9103-estimativas-de populacao.html?=&t=o-que-e>. Acesso em: 27 set. 2020.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produto Interno Bruto. Rio de Janeiro: IBGE, 2020b. Disponível em: <https://sidra.ibge.gov.br/tabela/5938>. Acesso em: 27 set. 2021.

IBGE. Instituto Brasileiro e Geografia e Estatísticas. Censo Demográfico 2010 - Microdados. Disponível em < http://www.ibge.gov.br/home/> . Acesso em: 27 set. 2021.

IMESC. Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Situação Ambiental da Ilha do Maranhão. São Luís: IMESC, 2011.

IPEADATA. Instituto de Pesquisa Econômicas Aplicadas. Dados população macrorregional. Brasil, 2019. Disponível em: http://www.ipeadata.gov.br/Default.aspx Acesso em: 12 set. 2021.

MAPAS BLOG. Mapas de São Luís – MA. 2021<https://mapasblog.blogspot.com/2012/06/mapas-de-sao-luis-ma.html> Acesso em 16 de set. de 2021.

MASULLO, Y. A. G.; LOPES, J. A. V. Indicadores Econômicos da Região Metropolitana da Grande São Luís. Geografia, Ensino & Pesquisa. v. 21, n.1, p. 30-40, 2017.

MELLO-THÉRY, N. A.; THÉRY, H. Cenários urbanos contemporâneos: novas ou velhas práticas no Brasil e na Amazônia? PRACS: Revista Eletrônica de Humanidades do Curso de Ciências Sociais da UNIFAP, v. 9, n. 1, p. 107-126, 2016.

MONIÉ, F.; VIDAL, S. M.S.C. Cidades, portos e cidades portuárias na era da integração produtiva. Revista de Administração Pública, v. 40, p. 975-995, 2006.

MTPA. Ministérios dos Transportes, Portos e Aviação Civil. Plano Mestre do Complexo Portuário do Itaqui. Florianópolis: MTPA, UFSC/LabTrans, 2018. Disponível em: https://www.portodoitaqui.ma.gov.br/_files/arquivos/plano-mestre.pdf. Acesso em: 16 jul. 2021.

OCHOA, A. R. Dinâmicas de crescimento em metrópoles portuárias. Tensões a oriente da cidade de Lisboa. On the W@ terfront, p. 30-41, 2005.

OLIVEIRA, D. S.; DOMINGUES M. V. D. R.; ASMUS M. L.; ABDALLAH P. R. Expansão Portuária, Desenvolvimento Municipal e Alterações Ambientais no Brasil: desafios para a gestão costeira. Revista de Gestão Costeira Integrada-Journal of Integrated Coastal Zone Management, v. 13, n. 1, p. 79-87, 2013.

PAULA, R. Z. A.; SILVA, M. R. M. O comércio marítimo do Maranhão no século XIX. Revista HEERA, p. 131-145, 2009.

PEREIRA JUNIOR, E. Dinâmicas industriais e urbanização no Nordeste do Brasil. Mercator (Fortaleza), v. 14, p. 63-81, 2015.

PRADO, C. Jr. Formação do Brasil Contemporâneo. São Paulo: 17ºedição. São Paulo: Brasiliense, 1981.

RENZI, A.; FERRERA DE LIMA, J.; PIACENTI, C. A. Apontamentos sobre o Desenvolvimento Humano Municipal no Estado de Mato Grosso do Sul. Interações (Campo Grande), v. 22, p. 349-368, 2021.

RIBEIRO, R. R.; BELOTO, G. E. A organização do território urbano a partir da relação portocidade e seu reflexo na forma urbana. urbe. Revista Brasileira de Gestão Urbana, v. 12, 2020.

SAKURAI, S. N. Ciclos políticos nas funções orçamentárias dos municípios brasileiros: uma análise para o período 1990-2005 via dados em painel. Estudos Econômicos. São Paulo, v. 39, p. 39-58, 2009.

SANTOS, M. Técnica, espaço e tempo. 5. ed. São Paulo: Edusp, 2008.

SILVA, C. A.; AMARAL, B. G.; ANZILAGO, M.; LUNKES, R. J. Análise entre os gastos do governo local e o crescimento econômico das cidades portuárias. Race: revista de administração, contabilidade e economia, v. 18, n. 1, p. 177-200, 2019.

Downloads

Publicado

2023-06-06

Como Citar

GARCIA, U. . S.; LIMA, J. F. de .; RIPPEL, R. . APONTAMENTOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO MUNICIPAL DE SÃO LUÍS – MA. Anais do Simpósio Latino-Americano de Estudos de Desenvolvimento Regional, IJUÍ - RS - BRASIL, v. 3, n. 1, 2023. Disponível em: https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/slaedr/article/view/22912. Acesso em: 23 abr. 2024.

Edição

Seção

ST6 - Cidades e Territórios criativos e sustentáveis