PESQUISA-AÇÃO COMO PRÁTICA FORMATIVA DO PROFESSOR REFLEXIVO

  • Laércio Francesconi
  • Maria Cristina Pansera de Araújo

Resumo

A pesquisa-ação é uma metodologia descrita, na metade do século XX, pelo psicólogo alemão Kurt Lewin (1890-1946), que propõe a pesquisa fundamentada na ação, como promotora de reflexão autocrítica em que o pesquisador é interventor e agente de mudança. Assim, transforma sua atitude filosófica na relação com o mundo. A pesquisa-ação pode ser desenvolvida em vários espaços sociais, que desejam uma intervenção a partir de um diagnóstico realizado. Além de Lewin (1946), Lawrence Stenhouse (1988), John Eliott (2000), Carr & Kemmis (1988) e Kennet M. Zeichner (1993) ampliaram esta proposição da pesquisa-ação. Este artigo procura explicitar a concepção de pesquisa-ação de cada um dos autores, considerando a interlocução entre eles, ao reconhecerem o professor como pesquisador reflexivo.

Biografia do Autor

Laércio Francesconi

Professor da Rede Municipal de Educação. Mestrando em Educação nas Ciências da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Maria Cristina Pansera de Araújo

Professora Pesquisadora do Grupo GIPEC da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.

Publicado
2020-12-23
Seção
6 - Práticas pedagógicas, formação de professores e formação continuada