Encontro Nacional de Educação (ENACED) e Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec <p>A realização do XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e o I Seminário Internacional de&nbsp;Estudos e Pesquisa em Educação nas Ciências (SIEPEC),&nbsp; nos dias 25 e 26 de&nbsp;novembro de 2020, marcou os 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Educação nas&nbsp;Ciências (PPGEC) (Jubileu de Prata), com homenagem ao professor Mario Osorio Marques, um dos&nbsp;fundadores do programa e da FIDENE - UNIJUÍ .</p> <p>&nbsp;</p> pt-BR enacedesiepec@unijui.edu.br (Maria Cristina Pansera de Araujo) Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 OJS 3.2.1.4 http://blogs.law.harvard.edu/tech/rss 60 A FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES QUE ATUAM NA EDUCAÇÃO INFANTIL E O ENSINO DE CIÊNCIAS: RELAÇÕES E POSSIBILIDADES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/19845 <p align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-size: medium;">O estudo apresentado contempla a temática da formação continuada de professores que atuam na Educação </span></span><span style="font-size: medium;">Infantil</span><span style="color: #000000;"><span style="font-size: medium;">, com atenção para a abordagem do Ensino de Ciências em tal contexto formativo. O objetivo é compreender alguns aspectos acerca das relações e possibilidades para que tal espaço formativo aconteça. Para tanto, neste trabalho, atentamos para as políticas públicas referentes à formação continuada e a sua contribuição como possibilidade para que aconteça esse processo formativo. E, ainda, as relações que buscamos estabelecer estão direcionadas para identificar como o ensino de Ciências tem se inserido nesse contexto de formação.</span></span></p> Rosanara Bourscheid, Judite Scherer Wenzel Copyright (c) 2021 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/19845 Seg, 19 Jul 2021 00:00:00 -0300 PERCURSOS DA FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL COM ATENÇÃO PARA O ENSINO DE CIÊNCIAS POR INVESTIGAÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18750 <p>Nno presente trabalho o foco está direcionado para a formação continuada de professores que atuam nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, e apontamos tal espaço formativo como meio de oportunizar ao professor uma compreensão acerca da sua prática. De modo especial atentamos para a formação continuada como um percurso para a inserção da Investigação no Ensino de Ciências. A inserção do Ensino de Ciências por Investigação&nbsp; (ENCI) (ANDRADE, 2011; SILVA, 2011; CARVALHO, 2019; SASSERON; DUSCHL, 2016) propõe um ambiente investigativo em sala de aula com a indicação de um problema que instigue os alunos a participarem, a levantar hipóteses, a observar e assim, vão sendo inseridos na linguagem e na compreensão da Ciência por meio da sistematização dos resultados.</p> Débora Kélli Freitas de Melo, Judite Scherer Wenzel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18750 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 UM ESTUDO DE CASO SOBRE AS CONCEPÇÕES ACERCA DO ENSINO DE LUTAS/ARTES MARCIAIS DO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18749 <p>O ensino da temática das lutas/artes marciais visa o desenvolvimento integral do ser humano, envolvendo valores como o respeito, dedicação, autoestima e confiança, mas se não forem abordados pelo professor de forma crítica podem passar despercebidos (BREDA <em>et al</em>, 2010 <em>apud </em>RUFINO; DARIDO 2015). Apesar disso, ainda é um assunto que está mistificado, uma dessas idealizações é de que para ensinar o conteúdo das lutas é necessário ter praticado algum tipo de lutas/artes marciais anteriormente, revelando a tendência tecnicista e alinhado a formação formativa desses professores, que ainda se encontra distante das inúmeras possibilidades em torno desse tema (MATOS <em>et al., </em>2015).&nbsp;</p> <p>A ausência desse conteúdo no ambiente educacional causa ainda mais percepções errôneas a respeito dessa prática corporal. Concepções essas que são implantadas principalmente pela mídia, onde as lutas/artes marciais são utilizadas como esporte-espetáculo, argumento que pode ser utilizado para a rejeição desse conteúdo, pois essa “espetacularização” das lutas contribui para associações equivocadas essa prática corporal com a violência (MADURO, 2015).</p> Isis do Amaral Thums, Larissa Tolfo Gottin, Fabiana Ritter Antunes, Aline Ribeiro Dos Santos Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18749 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 PRÁTICA PEDAGÓGICA INTERDISCIPLINAR LABORATÓRIOS VIRTUAIS COMO FERRAMENTA DE ESTUDO EM MATEMÁTICA E FÍSICA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18718 <p>Os processos educativos têm sido objeto de preocupação e investigação por pesquisadores de todo o mundo, tendo em vista os resultados negativos em relação à qualidade da aprendizagem. No Brasil, o esforço nessa perspectiva culminou recentemente com a construção da nova Base Nacional Comum Curricular de 2017 (BNCC), além de várias outras iniciativas da pesquisa científica na busca por amenizar tal problemática. Em Portugal, por exemplo, podem-se citar o Programa de Metas Curriculares e a construção do Currículo Nacional.</p> <p>Outros documentos que norteiam a educação brasileira são a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), de 1996, os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs), a partir de 1997, além do Plano Nacional de Educação (PNE), de 2014. Em ambos os documentos, a interdisciplinaridade está presente como uma ação importante na construção do trabalho pedagógico.</p> Tailon Thiele, Juliana Henriques Amaral, Ana Paula do Prado, Eliane Miotto Kamphort Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18718 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 PRÁTICAS PEDAGÓGICAS DA EDUCAÇÃO FÍSICA NA EDUCAÇÃO INFANTIL: OS JOGOS COOPERATIVOS NO PROCESSO ENSINO E APRENDIZAGEM https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18693 <p>&nbsp;Este estudo busca refletir e compreender sobre as possíveis contribuições no desenvolvimento humano acerca dos jogos cooperativos no processo de ensino e aprendizagem de crianças que estão na etapa da Educação Infantil. De maneira geral, os jogos proporcionam a experimentação de diferentes papéis e representações simbólicas pela criança, além de trazerem à tona algumas questões pertinentes a constituição da criança, como aspectos que envolvem a responsabilidade, o diálogo com pessoas diferentes do seu convívio parental, regras construídas por diversos pares, valorização do trabalho do próximo, além da convivência e socialização em grupo.</p> Isis Amaral Thums, Fabiana Ritter Antunes, Aline Ribeiro dos Santos, Larissa Tolfo Gottin Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18693 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 A APROPRIAÇÃO DA LINGUAGEM COMO PRÁTICA SOCIAL NA ATIVIDADE DO PROFESSOR QUE ENSINA LÍNGUA PORTUGUESA NA ESCOLA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18777 <p>Este texto emergiu a partir do interesse de compartilhar uma reflexão teoricamente fundamentada sobre a docência no ensino da língua materna na escola, a partir de desafios e possibilidades que acompanham a prática docente como professora do Ensino Médio e dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, por parte da primeira e segunda autora, respectivamente. Para isso, o texto foi organizado como ensaio teórico com vistas a tematizar a visão da linguagem como prática social, contando com contribuições da abordagem vigotskiana e de um estudo sobre a estratificação da linguagem (MOTTA-ROTH, 2008).</p> Maristela Righi Lang, Marina Mattioni, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18777 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 UMA BREVE INVESTIGAÇÃO SOBRE O ENSINO DE MATEMÁTICA NO ENSINO FUNDAMENTAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18784 <p>A educação escolar é um desafio que se coloca aos professores e aos estudantes (crianças, jovens e adultos), ou seja, envolve, em algum momento da vida, todos os cidadãos de uma sociedade. Nos estudos de História da Educação e Filosofia da Educação compreendemos que a educação escolar nem sempre existiu, e que em cada tempo e espaço houve formas diferentes de se ensinar.</p> <p>Olhares sobre todos os breves anos que cursamos o Ensino Fundamental e o Ensino Médio ouvíamos, como alunas, relatos dos/as nossos/as professores/as de matemática sobre os desafios do exercício da profissão. Naquele tempo as percepções eram de que muitos esforços eram realizados por alguns professores que utilizavam de diferentes metodologias didáticas para nos ensinar os conteúdos curriculares. E, às vezes, até nos queixamos de outros professores que eram pouco criativos e que usavam sempre as mesmas metodologias. Hoje, como licenciandas, sentimos a necessidade de compreender as atividades educativas escolares como que olhando para os bastidores. Como alunas da educação básica nosso objetivo era aprender o conteúdo ensinado, agora, como licenciandas, queremos entender o que acontece e o que os professores pensam sobre sua própria profissão, no que se refere a suas constituições identitárias nesta trama que inicia na formação inicial e se modifica também no acontecer do exercício profissional.</p> Jéssica Eduarda Kuhn, Alexsandra Isabela Gregory Bonkevich, Maiara Taiane Reschke, Alexandre José Krul Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18784 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A EXPERIMENTAÇÃO E A SISTEMATIZAÇÃO DE PRÁTICAS COMO INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO E DA AÇÃO NA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18776 <p>A formação de professores de Ciências com bom conhecimento sobre a natureza das ciências e atitudes compatíveis com as ciências reais é uma tarefa árdua. No Brasil, as aulas teóricas e experimentais de graduação em Ciências são predominantemente no formato tradicional (LOPES, <em>et al, </em>2011), o que resulta em uma visão distorcida das ciências como teleológicas e portadoras de verdades absolutas (CHALMERS, 1993). As consequências desses tipos de ensino ou abordagens se refletem no baixíssimo interesse e desempenho em Ciências da Natureza por parte dos alunos do ensino fundamental e médio, conforme os resultados do Programa Internacional de Avaliação de Estudantes PISA - 2018 (BRASIL, 2019).</p> <p>A utilização de aulas experimentais durante a formação inicial de professores de Ciências tem sido apontada como um importante recurso para a preparação de um ensino mais eficaz, mas enfatizando a capacidade de resolução de problemas ao invés dos tradicionais métodos de “seguir a receita” (LIMA <em>et al, </em>2017). A utilização de metodologias investigativas tem sido postulada como uma forma eficaz de melhorar o ensino e a aprendizagem, pois estimulam o questionamento, a discussão e a elaboração do conhecimento (GALIAZZI; GONÇALVEZ, 2004). Assim, o grande desafio na formação inicial de professores é desenvolver a capacidade de pensamento crítico em relação as suas escolhas e ao modo de ensinar Ciências.</p> Guilherme Schmitt Schmitt Rieder, Vanessa Aina Person, João Batista Teixeira da Rocha Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18776 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 IMPORTÂNCIA DA FORMAÇÃO E IDENTIDADE DO PROFESSOR PESQUISADOR NO DESENVOLVIMENTO DOS ESTUDANTES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18774 <p>O objetivo deste trabalho centra-se numa análise reflexiva do que é professor pesquisador e sua importância no processo de desenvolvimento dos estudantes, com o intuito de resgatar a pesquisa como fator fundamental, nas práticas educativas, que constitui não só a identidade e formação dos professores, mas, também, o desenvolvimento cognitivo dos estudantes.</p> <p>Se justifica pela necessidade de compreender que os pesquisadores não são só aqueles que fazem investigação desde outros campos fora da sala de aula, situação que, ainda hoje, vigora entre os professores. Há uma desvalorização dos trabalhos de pesquisa educacional ao pensar que é desenvolvida por pessoas com uma hierarquia ou nível de <em>Status Quo</em> superior, sem consciência da relevância e alcance da produção de conhecimentos desenvolvidos nos processos de investigação, em salas de aula, na educação que dá vida e propicia o desenvolvimento cognitivo e evolução dos estudantes.</p> <p>O texto foi organizado metodologicamente como um ensaio teórico, com vistas a abordar elementos de importância no desenvolvimento profissional do professor como pesquisador.</p> Maria Cristina Pansera de Araújo, Jacqueline Ramírez, Juan Gabriel Perilla Jiménez Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18774 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 O PLANEJAMENTO COMO ESTRATÉGIA PEDAGÓGICA DE ATUAÇÃO E FORMAÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18768 <p>O planejamento, sobretudo no âmbito educacional e escolar, é reconhecido como atividade inerente ao processo de formação do professor. A verdade é que o planejamento é intrínseco à vida humana. Não há como chegar a uma finalidade sem antes pensar sua concretização. No contexto educacional, sendo feito de modo sistemático, ele direciona a prática educativa e requer uma reflexão intencional sobre quais as melhores formas de garantir a aprendizagem, função incipiente da escola.</p> <p>A pesquisa é de caráter qualitativo, com cunho bibliográfico e uma aproximação com o campo empírico. Neste sentido, trabalhamos na perspectiva teórica com os autores que tratam sobre as questões abordadas no tema proposto para então, analisar dois planos de aula de duas acadêmicas do curso de Pedagogia, da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul- Unijuí que no primeiro semestre de 2020, cursaram a disciplina de Didática da Alfabetização, que propõe um estágio de 30 horas, portanto requer planejamento dos planos de aula. Vamos nomear os sujeitos da pesquisa de: acadêmica A e acadêmica B.</p> Liandra Feltraco, Hedi Maria Luft, Neusete Machado Rigo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18768 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 AS TICS NO ENSINO DE MATEMÁTICA E A PROBLEMATIZAÇÃO DO TEOREMA DE TALES EM CONTEXTO DE ENSINO REMOTO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18788 <p>O estudo traz reflexões a partir da Prática enquanto Componente Curricular (PeCC) III, do curso de Licenciatura em Matemática do Instituto Federal Farroupilha, <em>Campus</em> Santa Rosa. Parte-se do objetivo de: compreender as Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na formação inicial do professor de Matemática, refletindo sobre os recursos tecnológicos e educacionais, a elaboração de um planejamento, desenvolvido com uma turma de Ensino Fundamental.</p> <p>Na PeCC III articulou-se um planejamento envolvendo as TICs a partir do tema Teorema de Tales, tendo em vista que este é um conteúdo a ser desenvolvido no 9º ano do Ensino Fundamental. A partir desta temática foi necessária a busca por referenciais teóricos que têm como pauta as tecnologias no ensino de Matemática. Identificamos que as TICs podem revolucionar a maneira de dar aula, desde que, tenhamos os materiais necessários, qualificação e envolvimento do professor e aluno, buscando um diálogo ação/reflexão/ação entre os professores e motivacional/reflexivo entre docente e estudante. A aula de matemática, integrada a nova tecnologia para subsidiar o conhecimento e a significação, podem ser a chave para um maior engajamento do aluno nas aulas de exatas (FARIA, 2016).</p> Graziela Zorzo, Angélica Maria de Gasperi, Lucas de Freitas da Rosa, Rúbia Emmel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18788 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ALFABETIZAÇÃO CIENTÍFICA E PRÁTICAS PEDAGÓGICAS NO ENSINO DE CIÊNCIAS NOS ANOS INICIAIS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18765 <p>Este trabalho apresenta um estudo de revisão sobre a Alfabetização Científica - AC e Práticas Pedagógicas nos anos iniciais do Ensino Fundamental e tem o objetivo de compreender como os professores dos anos iniciais promovem a AC em suas práticas pedagógicas no ensino de Ciências, a fim de favorecer aprendizagens com maior compreensão.</p> Adriane Kis Schultz, Danusa de Lara Bonotto Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18765 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 TRANSTORNO DO ESPECTRO AUTISTA E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18763 <p>Este trabalho trata-se de um relato de experiência a partir de uma formação realizada para os servidores (equipes diretivas, professores, monitores, estagiários) das escolas municipais de educação infantil de um município do noroeste do estado do Rio Grande do Sul. A formação foi realizada por uma psicóloga da Secretaria de Desenvolvimento Educacional em parceria com o Núcleo de Atenção à Pessoa com Transtorno do Espectro Autista (NAPTEA) e as professoras do Centro de Atendimento Educacional Especializado - (CAEE) da rede municipal e&nbsp; teve como objetivo oportunizar aos servidores uma reflexão sobre os aspectos do desenvolvimento humano, a caracterização do TEA, destacando o papel do professor na inclusão e de como ele pode atuar no contexto da educação inclusiva visando o desenvolvimento de seus alunos.&nbsp;</p> Fernanda Aparecida Szareski Pezzi, Marjana Alessandra Verdum, Marli Dallagnol Frison Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18763 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 RELAÇÃO CONCEITUAL INTERDISCIPLINAR ENTRE AS CIÊNCIAS DA NATUREZA E OS CONCEITOS COTIDIANOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18758 <p>Apresenta-se uma das categorias emergentes de pesquisa de Mestrado, cujo objetivo geral consistiu em compreender como se deu a forma de organização dos conteúdos no planejamento curricular docente na área de conhecimento das Ciências da Natureza e suas Tecnologias (CNT), na proposta curricular por Situação de Estudo (SE), como foi encaminhado, e, portanto, (re)significado pelos professores em cada componente disciplinar. Este estudo teve como base teórica a Abordagem Histórico Cultural de Vigotski (2001) por compreender que um dos papéis da escola no contexto atual é o de constituir sujeitos nas mais variadas manifestações culturais que determinado momento histórico exige e, neste contexto, reitera-se a importância dos conhecimentos científicos serem apropriados na relação com os conceitos cotidianos trazidos pelos estudantes e que fazem parte desta constituição.&nbsp;</p> Tatiane Beatris Gonçalves de Sousa, Jaqueline Ritter Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18758 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 POSSIBILIDADES DE ENSINO DA MATEMÁTICA NO CONTEXTO DA PANDEMIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18795 <p>O processo de ensinar a Matemática permite explorar recursos do cotidiano do aluno, dinamizar as metodologias e utilizar materiais concretos. Além disso, o ato de ensinar precisa estar de acordo com o perfil da turma para atender as necessidades que apresenta, ao mesmo tempo em que propõe situações onde é possível construir novos conhecimentos e revisite conceitos já estudados. Assim, diante da pandemia que vivenciamos no ano de 2020, devido ao COVID-19, o fazer pedagógico precisou adaptar-se às novas condições de ensino diante do contexto, de forma a garantir a aprendizagem.</p> <p>Para o desenrolar deste estudo, elaborou-se a seguinte problematização: Quais as possibilidades didáticas pedagógicas para o processo de ensino da Matemática em atividades remotas? A partir disso, buscou-se fazer uma análise dos resultados de algumas atividades desenvolvidas neste contexto de ensino, em nível de Ensino Fundamental.</p> Diane Saraiva Fronza, Djéssi Carolina Krauspenhar Reffatti, Elizangela Weber, Mariele Josiane Fuchs Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18795 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE NO CONTEXTO HOSPITALAR: PERFIL E PERSPECTIVA DE COORDENADORES ASSISTENCIAIS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18756 <p>A EPS se constitui em um processo que pode levar à qualificação da assistência à saúde e a uma nova lógica no processo de trabalho em saúde. Neste contexto, a percepção da importância do processo de realização da mesma é relevante para construção da EPS, pois um dos principais desafios enfrentados pelas instituições de saúde é envolvimento dos profissionais. Este estudo objetivou caracterizar o perfil e a sua perspectiva de prática da EPS dos coordenadores assistenciais responsáveis pela EPS de um hospital regional do noroeste do estado do Rio Grande do Sul.</p> Rosa Maria Zorzan de Paula, Eliane Gonçalves dos Santos Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18756 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 UM OLHAR TEÓRICO-METODOLÓGICO PARA CONSTRUÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE: UM FRAMEWORK DE REDE DE SENTIDOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18755 <p>O presente estudo é um recorte de um trabalho de tese que tem como propósito compreender, a partir da Teoria da Atividade (TA), como os licenciandos percebem-se com apropriação dos Saberes Docentes após terem concluído as disciplinas de Atividades de Ensino de Física oferecidas pelo curso de Licenciatura em Física. A pesquisa, em sentido mais amplo, está pautada no referencial da Teoria da Atividade (TA) desenvolvida por Leontiev (1978), visando entender o sentido pessoal norteador dos “motivos” que levam ao desenvolvimento de uma “atividade”. Neste interim, objetivamos olhar sistematicamente para os meios de mediação, ferramentas e os objetivos que estão presentes na construção da “consciência objetal” do licenciado de Física, a qual o autor define como “Atividade Humana”.</p> Andréa Borges Umpierre, Jaqueline Ritter Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18755 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONSIDERAÇÕES ACERCA DA FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO A PARTIR DE MARIO OSORIO MARQUES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18754 <p>O objetivo deste trabalho é apresentar e analisar a problemática da formação e atuação dos profissionais da educação a partir da perspectiva do educador, filósofo e pesquisador Mario Osorio Marques. Dessa maneira, o presente texto é sustentado pelas obras do autor denominadas; <em>Pedagogia: a Ciência do Educador</em> (2006) e <em>Formação do</em> <em>Profissional da Educação (2003). </em>A formação dos educadores necessita ser pensada e repensada não apenas como ‘remendos’ para ‘falhas’ geradas a partir da prática profissional, mas para garantir que o compromisso ético não seja esquecido ou perdido nas ações dos responsáveis por transmitir conhecimentos e transformar vidas. Assim, refletir sobre essa problemática é sempre um desafio necessário.</p> Emanuel dos Santos, José Pedro Boufleuer Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18754 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 PESQUISA-AÇÃO COMO PRÁTICA FORMATIVA DO PROFESSOR REFLEXIVO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18753 <p>A pesquisa-ação é uma metodologia descrita, na metade do século XX, pelo psicólogo alemão Kurt Lewin (1890-1946), que propõe a pesquisa fundamentada na ação, como promotora de reflexão autocrítica em que o pesquisador é interventor e agente de mudança. Assim, transforma sua atitude filosófica na relação com o mundo. A pesquisa-ação pode ser desenvolvida em vários espaços sociais, que desejam uma intervenção a partir de um diagnóstico realizado. Além de Lewin (1946), Lawrence Stenhouse (1988), John Eliott (2000), Carr &amp; Kemmis (1988) e Kennet M. Zeichner (1993) ampliaram esta proposição da pesquisa-ação. Este artigo procura explicitar a concepção de pesquisa-ação de cada um dos autores, considerando a interlocução entre eles, ao reconhecerem o professor como pesquisador reflexivo.</p> Laércio Francesconi, Maria Cristina Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18753 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 GRUPO FOCAL ENQUANTO INSTRUMENTO DE FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18744 <p>A profissão docente é marcada pelo dinamismo, aprimoramento teórico conceitual e de renovação<sup>3</sup>.&nbsp; Em razão de que todos os dias os professores se deparam com desafios, com novos alunos e necessidades atuais implicadas no seu fazer docente. São questões que impulsionam o professor pela necessidade de refletir sobre seus métodos e logo a buscar novos subsídios teóricos, sem a qual dificilmente este sujeito conseguirá responder a seus enfrentamentos sentidos na prática cotidiana.</p> <p>Para acompanhar essa renovação a formação precisa acontecer. Encontramos na formação conceitual e pedagógica, um momento rico e ímpar acerca do aperfeiçoamento individual e no coletivo do fazer docente. Nessa perspectiva, Nóvoa (1995) e Imbernón (2010), corroboram que a formação de professores precisa atentar a urgência de uma cultura profissional na centralidade do professorado e uma geração organizacional na escola.</p> Daiane dos Santos de Jesus Schmitcke, Cátia Maria Nehring Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18744 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 EXPERIMENTAÇÃO COMO INSTRUMENTO PEDAGÓGICO NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO EM BIOLOGIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18743 <p>Este texto socializa resultados de uma pesquisa que teve como objetivo investigar e analisar as implicações da experimentação no processo de apropriação de conhecimentos de Biologia por estudantes de um curso de Ciências Biológicas, de uma universidade comunitária, localizada na Região Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul.</p> <p>Entendemos que a inquietação sobre o ensino de ciências, nas escolas, faz com que professores e futuros professores, venham a se preocupar com a aquisição de conhecimento dos educandos. Isto acaba trazendo à tona buscas incessantes, por alternativas que melhorem a aprendizagem dos estudantes. Nas salas de aula. E, nesse sentido, entendemos que a Experimentação pode servir como instrumento pedagógico, capaz de promover o processo de apropriação do conhecimento científico, nas ciências, levando ao questionamento sobre a forma como ensinamos.</p> Juliana de Paula Thomé da Cruz, Marli Dallgnon Frison, Maria Cristina Pansera Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18743 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ESPECIFICIDADES DA DOCÊNCIA NA EDUCAÇÃO INFANTIL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18741 <p>A educação infantil é recente no cenário das políticas públicas educacionais. Em 1996 com a promulgação da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDBEN), Lei nº 9.394/1996, a educação infantil é incorporada como uma das etapas da educação básica. Por sua vez, a Lei n° 12.796/2013 reafirma a pré-escola como primeira etapa da educação básica e estabelece a matrícula obrigatória a partir dos 4 anos de idade. As alterações nos estatutos legais da educação infantil e as pesquisas na área lançam novo olhar sobre educação infantil, interrogando a formação de professoras e a docência em ambientes de crianças pequenas. Ponderar sobre esses aspectos significa reconhecer as singularidades e as especificidades que distinguem esta etapa das demais da educação básica.</p> <p>A terminologia utilizada pela Base Nacional Comum Curricular BNCC (2017), bebês, crianças bem pequenas e crianças pequenas demarca exigências específicas a cada uma dessas etapas da infância, o que requer que elas sejam atendidas de modo que se desenvolvam integralmente. Esse entendimento pressupõe um olhar atento às infâncias, à maneira como as crianças constroem suas aprendizagens, bem como aos saberes específicos requeridos à docência na educação infantil.</p> Juliana Raquel Cogo, Natana Fussinger, Martin Kuhn Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18741 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 BIOSOFIA: BREVE ENSAIO CONCEITUAL SOBRE VIVER COM SABEDORIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18740 <p>Ouvimos, seguidamente, comentários com pretensões de fornecer fórmulas salvadoras de que tudo que ocorreu no passado, deve ser deixado de lado. Porém, o mais ético e moral é que devemos revitalizar tudo que for conservado do passado, e quando nos voltamos para a educação, repensar o que é ensinado juntamente com a forma, o método de como é ensinado o que é ensinado. Com tais procedimentos, racionais e afetivos, intelectuais e emocionais, poderemos identificar lacunas existentes na educação prezando o conhecimento que produz um bom viver e um aprendizado que embase boas relações, ou seja, relações, aprendizados e conhecimentos, assistidos pelas regulações morais, valorações éticas e relações humanas.</p> <p>Parece ser necessário que os/as educandos/as estejam aptos a interpretar o que lhes é ofertado, analisar os conteúdos, métodos, alcances e as consequências das teorias e práticas, com métodos mais confiáveis, críticos, conscientes da impossibilidade de conhecer o todo em uma única vez e, talvez, de não o conhecer jamais. Mas o esforço é próprio do humano, da condição humana que busca sabedoria, que quer organizar, regular e planejar sua existência. Então o conhecimento, o esforço por conhecer e pelo saber é contínuo como a vida, como a existência.</p> Gabrieli Schäffer, Claudionei Vicente Cassol Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18740 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A INFLUÊNCIA DA CULTURA INDÍGENA NA POPULAÇÃO BRASILEIRA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18730 <p>O processo de colonização do território brasileiro ocupado pelos diversos povos indígenas culminou na miscigenação de raças, credos, culturas e hábitos. O povo brasileiro é fruto desse processo, e devido à pouca consciência dessa mistura, surge a necessidade do estudo sobre nossa origem, nossos costumes, nossa língua e diversidade religiosa no âmbito escolar.&nbsp;Os povos indígenas possuem uma vasta diversidade étnica que, até hoje, contribui para a formação e valorização dos demais povos. A religião indígena está presente em toda a história através da sua cultura, ritos e crenças que ainda ocorrem no cotidiano de algumas tribos. Os estudos da religião dos povos indígenas estão interligados com as demais religiões, pois este processo é a base para a continuação da aprendizagem dos alunos.</p> Andrea De Lucas Abreu, Catiane Meline Hoffmann Oster, Cibele Mai Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18730 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 PROJETO CIÊNCIAS NA ESCOLA: FORMAÇÃO E DOCÊNCIA EM CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18726 <p>A formação continuada de professores é indispensável para a melhoria da qualidade da educação no Brasil (MALDANER, 2000). A discussão de temas correlatos à profissão docente e a área do ensino são necessidades formativas que precisam estar presentes na atualização profissional, uma vez que se busca avançar em termos de currículo, formação de professores e ensino (GÜLLICH, 2013). A formação de professores há muito já vem sendo revista e é pautada em contexto internacional por meio da perspectiva de Investigação-Ação (IA) (CARR; KEMMIS, 1988), que teve seu termo ampliado para Investigação-Formação- Ação (IFA) uma vez que este se constitui em um momento de formação de professores pela via reflexiva (GÜLLICH, 2013).&nbsp;A IFA de carácter crítico tem sido defendida como uma possibilidade de formação de professores tendo a adesão de programas de formação continuada que primam pelo diálogo formativo e buscam a formação de professores reflexivos, sendo este o caso do Projeto Ciências na Escola financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e desenvolvido na Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS) <em>Campus </em>Cerro Largo/RS. As ações que realizamos por meio do Projeto Ciências na Escola envolvem a formação inicial e continuada, pois fazem parte do projeto professores da educação básica, professores formadores e licenciandos que muitas vezes são participantes de Projetos e Programas de Ensino de Ciências da UFFS. Em 2020, por conta da Pandemia do COVID-19, o processo alcançou outros patamares de participação, sendo que o grupo atingiu diversas instituições e 1600 participantes.</p> Eduarda da Silva Lopes, Daniele Bremm, Roque Ismael da Costa Güllich Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18726 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-AÇÃO A REFLEXÃO CRÍTICA COMO MEDIADORA DA FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18725 <p>Neste texto discutimos a pesquisa e a formação de professores de Ciências, especialmente no tocante à formação continuada, no sentido de que estamos empreendendo esforços para compreender como a reflexão se torna um instrumento mediador da formação e de um modelo de investigação-ação (IA) como um caminho possível para transformação das práticas docentes. A partir da referenciação teórica pertinente e da apropriação dos resultados de pesquisa anterior (GÜLLICH, 2013) e a experiência dos autores, temos a pretensão de avançar, com o aprofundamento da discussão do conceito de investigação-ação.&nbsp;Através de um conjunto de reflexões fundamentadas postas em discussão neste texto, apresentamos uma proposição de aprofundamento no campo da compreensão conceitual acerca da formação de professores, demonstrando como a investigação-ação pode ser entendida como investigação-formação-ação (IFA). Entendemos, desse modo, como o referencial da IA pode ser ressignificado e ampliado para o contexto da formação de professores em Ciências, tendo como orientação o referencial histórico-cultural, pois, ao utilizarmos esse referencial, podemos perceber a natureza da reflexão em contexto formativo e como os sujeitos se constituem em interações no contexto referido.</p> Lenir Basso Zanon, Roque Ismael da Costa Güllich Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18725 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONCEPÇÕES SOBRE A INTERDISCIPLINARIDADE EM TEMPO DE PANDEMIA: OLHARES DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS DA NATUREZA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18721 <p>No ano de 2020 teve início o distanciamento social provocado pela presença de um novo vírus, chamado Sars-CoV-2, que se propaga com facilidade em países do mundo todo. Em um curto tempo, a propagação da doença ocasionou problemas políticos e sociais em grandes proporções (FRANCO <em>et al. </em>2020), além de dúvidas e incertezas acerca do futuro.</p> <p>Com o isolamento social, promovido após o anúncio da pandemia mundial pela OMS (Organização Mundial da Saúde) em março de 2020, percebemos a importância dos recursos tecnológicos para a comunicação. Passamos a conhecer plataformas virtuais que possibilitam desenvolver estratégias de Ensino Remoto Emergencial (ERE), como Google Meet e Zoom, que facilitaram o repensar sobre o sentido real da escola e do ensino para as novas gerações (COSTA; LIMA; PINHEIRO, 2010). No entanto, se colocam os questionamentos: os professores se reinventaram? Eles estavam preparados para isso? Questionamentos surgiram nas escolas e universidades, levando os professores e demais profissionais envolvidos com a educação a repensar suas práticas por meio do desenvolvimento de estratégias de ensino possíveis para este momento adverso.</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1"></a></p> Paulo Sérgio Batista, Ana Paula Santellano de Oliveira, Roniere dos Santos Fenner, Neila Seliane Pereira Witt Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18721 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 O PENSAMENTO EVOLUTIVO E CIENTÍFICO NO LIVRO DIDÁTICO, BNCC E REFERENCIAL CURRICULAR GAÚCHO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18715 <p>Este texto socializa resultados de uma pesquisa cujo objetivo foi investigar elementos nos documentos orientadores do ensino, a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e o Referencial Curricular Gaúcho (RCG), na área de Ciências da Natureza e suas Tecnologias, e em um livro didático de Biologia, que possibilitam reconhecer preocupações com a história do conhecimento científico, relacionadas a conceitos da Biologia, como possibilidade de desenvolvimento do pensamento teórico por estudantes do Ensino Médio.</p> <p>Para aprofundar o conhecimento sobre esse tema, realizamos a arte do conhecimento, a partir da análise de Dissertações e Teses do banco da Capes. Para isso, foram utilizados os descritores: “História do conhecimento”, “Evolução”, “Biologia”, “Conhecimento científico” e “História”. Foram encontrados vinte e sete trabalhos (um artigo científico, dezessete dissertações de mestrado e nove teses de doutorado). Dentre esses, destacamos o estudo realizado por Jensen (2016), que abordou a História da Biologia e Ensino, para introduzir episódios da História da Ciência em aulas de Ciências do Fundamental II da escola básica, em especial, na modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA).</p> Francisco Johann Fensterseifer, Maria Cristina Pansera de Araujo, Marli Dallagnol Frison Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18715 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 EMOÇÕES E AUTOCUIDADO COMO TEMA DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18703 <p>Pensar a saúde mental dos professores e equipes escolares é fundamental para que a educação se concretize de maneira integral. A partir do distanciamento social imposto pelo novo Coronavírus e as aulas remotas neste período de pandemia, o setor de psicologia escolar de um município da região noroeste do estado do Rio Grande do Sul, elaborou formações continuadas voltadas para as equipes escolares da educação infantil e do ensino fundamental que integram a rede municipal de educação.</p> <p>Os objetivos da educação emocional estão centrados na aprendizagem e aceitação das próprias emoções e sentimentos e, por conseguinte, na decisão sobre quais são as atitudes mais apropriadas “em determinadas circunstâncias, de maneira que as mesmas contribuam para uma interação social e pessoal construtiva, positiva, capaz de colaborar para a elevação da sua qualidade de vida” (GARCIA RETANA, 2012, p. 18-19). Entende-se que a escola constitui um local por excelência para a promoção da saúde mental. Nesse sentido, Abed (2016) compreende que a instituição escolar além de ser responsável pela manutenção de conhecimentos acumulados na história da civilização, também é incumbida pelo desenvolvimento de seres pensantes, que saibam se relacionar consigo mesmos e com os outros, comprometidos na construção de um mundo melhor.</p> Bruna Aline Roos Altmann, Fernanda Aparecida Szareski Pezzi, Camila Heck Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18703 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO MATEMÁTICA: CONSIDERAÇÕES SOBRE A MODELAGEM NO AMBIENTE DE APRENDIZAGEM E A FORMAÇÃO DE PROFESSORES NA ÁREA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18797 <p align="justify"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"> Tendo em vista esta demanda por abordagens metodológicas diferenciadas para o ensino de matemática, este artigo apresenta um estudo bibliográfico acerca da modelagem matemática, perpassando pela sua conceituação enquanto metodologia de ensino, até as suas contribuições para o ambiente de aprendizagem, além de descrever de forma sucinta o processo de formação de professores nesta área. Almeja-se contribuir, de forma breve, para o conhecimento de uma possibilidade inovadora para a aprendizagem conceitual, em detrimento à operacionalidade na manipulação de objetos matemáticos.</span></span></p> Tailon Thiele, Camila Maria Spanevello, Eliane Miotto Kamphorst, Carmo Henrique Kamphorst Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18797 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONHECIMENTOS DE PROFESSOR PARA BEM ENSINAR CONTEÚDOS DE CIÊNCIAS DA NATUREZA NO ENSINO FUNDAMENTAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18798 <p><span style="font-weight: 400;">Para o aluno compreender e conhecer os fenômenos naturais é necessária uma boa formação acadêmica de seus professores. Nesse sentido, destaco a importância da articulação entre os conteúdos de Biologia, Física e Química.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Esse estudo teve como objetivo identificar potencialidades, limites e fragilidades de um processo constitutivo da docência na disciplina de Ciências, na formação inicial, e analisar as implicações de um currículo acadêmico de Ciências e Biologia quanto a contemplar (ou não) OS conhecimentos necessários para ensinar no ensino fundamental.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Essa pesquisa contribui para uma discussão acerca do currículo desenvolvido na licenciatura e a avaliação pessoal e acadêmica desse processo.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Este estudo foi orientado pela seguinte questão de pesquisa: Que conhecimentos da área de Ciências da Natureza (Química, Física e Biologia) constituem o currículo de Ciências Biológicas para que o futuro professor de Biologia atue nos anos finais do Ensino Fundamental, na disciplina de Ciências e quais as implicações desse modelo de formação na atuação profissional do futuro professor de Biologia?</span></p> Fernanda Marinho Sarturi, Marli Dallagnol Frison, Maria Cristina Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18798 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 RELAÇÕES DE IMPLICAÇÃO DA PEDAGOGIA DA AUTONOMIA E DA FORMAÇÃO INTEGRADA NA EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18700 <p>Neste texto é discutida a complexidade da atividade profissional do professor, exigente de ser criticamente ressignificada numa perspectiva transformadora das concepções e práticas que acompanham os modos de organização dos processos de formação continuada em contexto escolar. A problemática emergiu de preocupações e desafios subjacentes a uma vivência formativa junto a um coletivo de estudo, planejamento e ação curricular em uma escola, com vistas a compreender movimentos de mudança inseridos nas próprias dinâmicas dos processos de interação/ação pedagógica.&nbsp;Em se tratando de uma problemática complexa, no limite deste texto, ela é discutida sob uma perspectiva que enfoca a relação de implicação entre duas perspectivas teóricas: a Pedagogia da Autonomia (FREIRE,1996) e a Formação Integrada (RAMOS, 2005). Sendo assim, este texto foi organizado como um ensaio teórico, com vistas a discutir a relação entre essas duas perspectivas teóricas, em busca de compreender a formação/prática docente numa perspectiva crítica e problematizadora.</p> Jacqueline Ramírez, Adão Caron Cambraia, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18700 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 A TEORIA DA ATIVIDADE E SUAS IMPLICAÇÕES NO PROCESSO DE APROPRIAÇÃO DA CULTURA E NO DESENVOLVIMENTO DAS NEOFORMAÇÕES: COMPREENSÕES À LUZ DA PERSPECTIVA HISTÓRICO CULTURAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18699 <p>&nbsp;Este texto apresenta os resultados preliminares de uma pesquisa que busca investigar, analisar e interpretar, à luz da teoria da atividade de Leontiev, elementos do ensino que se revelam potencialmente capazes de produzir no aluno a necessidade do estudo e que se mostram mobilizadores no processo de apropriação das objetivações humanas com indícios no desenvolvimento das neoformações.&nbsp;Esta pesquisa tem como apoio a psicologia histórico-cultural na sua relação com a teoria da atividade e suas importantes implicações para os processos educativos, num momento crucial em que o sistema educativo demanda uma teoria que fundamente a prática pedagógica docente que permita níveis mais elevados de desenvolvimento humano.</p> Juan Gabriel Perilla Jiménez, Marli Dallagnol Frison Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18699 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 O POTENCIAL FORMATIVO DA TRÍADE DE INTERAÇÃO EM CONTEXTO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS SOBRE AVALIAÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18698 <p>O tema da avaliação educacional vem ocupando espaços diferenciados, tanto nas discussões educacionais, como nas pesquisas, no que diz respeito ao processo de ensino. Luckesi (2011, p. 18) ressalta com preocupação que “[…] o sistema de ensino está interessado nos percentuais de aprovação/reprovação do total dos educandos”. Para o qual, muitas vezes esquecemo-nos de abordar ou enfatizar o que realmente faz parte do processo de ensino quando se avalia, o qual precisa ser de acompanhamento e não de julgamento quanto ao sucesso e/ou fracasso.&nbsp;Com a pretensão de que avaliar não é julgar e sim conhecer, mediar e acompanhar, que nos propomos a dialogar sobre concepções e estratégias avaliativas no decorrer de encontros formativos descritos por pesquisa de Uhmann (2015) caracterizados como espaço/tempo organizado em momentos colaborativos de diálogos em uma tríade de interação (ZANON, 2003).</p> Rosângela Inês de Matos Uhmann, Roque Ismael da Costa Güllich, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18698 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 A EDUCAÇÃO ESTÁ NA MESA: AS POSSIBILIDADES DE UMA PRÁTICA PEDAGÓGICA VOLTADA À ALIMENTAÇÃO ESCOLAR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18691 <p>A alimentação escolar faz parte do dia a dia dos estudantes que frequentam as instituições escolares. Desde muito pequenos, seja frequentando a escola em apenas um turno ou participando das atividades educativas em turno integral, a refeição oferecida pela escola assume grande importância na vida dos estudantes. Esta tem ainda mais relevância tendo em vista a situação de desigualdade social que impera no Brasil, muitas famílias enfrentam graves situações de miséria e enxergam na escola uma possibilidade de alimentação diária nutritiva.&nbsp;No entanto, além dos aspectos biológicos que são atendidos pela alimentação, existe uma série de outros fatores de ordem cultural, emocional, social inerentes a este ato, o que nos permite admitir que este é um ato deveras complexo, dada sua multidimensionalidade. Assim, faz-se importante atentarmos para a dimensão pedagógica da alimentação, tida como uma construção ao longo da vida, especialmente em âmbito escolar.&nbsp;</p> Simone Zientarsk Fontana, Laís Francine Weyh, Ana Cláudia Soares, Maristela Borin Busnello Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18691 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 RELAÇÃO ENTRE TRABALHO, CULTURA E EDUCAÇÃO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE CIÊNCIAS: RELAÇÃO ENTRE TRABALHO, CULTURA E EDUCAÇÃO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18690 <p>O objetivo deste texto é discutir a complexidade da formação do professor para ensinar na Educação Básica, considerando a problemática das relações entre trabalho, cultura e educação. Emergiu de um estudo investigativo sobre um processo de formação continuada de professores com foco no uso das tecnologias, ante a necessidade de compreender os desafios que acompanham as mudanças nas concepções/práticas subjacentes às dinâmicas pedagógicas e curriculares em contexto escolar. O texto foi organizado metodologicamente como um ensaio teórico, iniciando por uma discussão sobre as relações entre currículo, tecnologia e cultura na educação e adentrando numa abordagem sobre as implicações dessas relações na formação e prática do professor intermediada pelo uso das tecnologias.</p> Denis da Silva Garcia, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18690 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 COLORAÇÃO DAS FLORES: ESTUDO DE CONCEITOS QUÍMICOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18803 <p><span style="font-weight: 400;">O estudo insere-se no eixo temático de práticas pedagógicas, formação de professores e formação continuada. O objetivo é analisar as práticas pedagógicas desenvolvidas, na disciplina de Química, em relação a contextualização a partir de atividades experimentais. O trabalho se fundamenta em autores como: Maldaner (2003); Tardif (2014) e Shulman (1986), os quais contribuem com o desenvolvimento de processos de formação docente. Os resultados foram obtidos de aulas práticas de Química, com uma turma do 3º do Curso Normal (Magistério), que observou a coloração de flores por meio da capilaridade.</span><span style="font-weight: 400;">&nbsp;&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">O trabalho está constituído por diferentes etapas articuladas, visando a inserção de metodologias de ensino, na área das Ciências da Natureza, como elementos que constituem a formação do professor e a aprendizagem do aluno. O ensino de Ciências Naturais, na escola, é de extrema importância para formação de indivíduos com capacidade de criticar e argumentar sobre o mundo a sua volta.</span></p> Ilda de Franceschi Fellipetto; Maria Cristina Pansera de Araújo; EVA TERESINHA DE OLIVEIRA BOFF Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18803 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 REFLEXÃO SOBRE OS LIMITES DA RACIONALIDADE TÉCNICA NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18771 <p>Neste texto é abordada a problemática da formação do professor, com atenção voltada para as implicações da ampla tendência de se manter as tradicionais concepções e práticas formativas pautadas na racionalidade técnica, herança do positivismo lógico, segundo a qual os problemas práticos são vistos como algo simples, cujas soluções, também simples, formuladas por especialistas, fora dos contextos do exercício da profissão. Na racionalidade técnica, a prática é vista como mera aplicação de teorias e técnicas científicas, negligenciando, assim, a sua complexidade, singularidade, dinamicidade e inerente conflito de valores (SCHÖN, 2000). Com vistas a avançar na compreensão dos desafios que acompanham as mudanças nas concepções e práticas formativas do professor, para tecer tal discussão, este texto foi organizado em forma de ensaio teórico, com foco nas relações de implicação entre saberes e fazeres que acompanham os complexos e dinâmicos processos constitutivos da formação, na intermediação entre os contextos da academia e da escola.</p> Luís Fernando Gastaldo, Mariel da Silva Haubert, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18771 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 A EXPERIÊNCIA DO CÍRCULO DE LEITURA DOCENTE COMO ESTRATÉGIA PARA A FORMAÇÃO CONTINUADA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18708 <p>O objetivo desse trabalho é apresentar uma experiência de formação continuada docente realizada em 2013 em uma unidade escolar da Rede municipal de ensino da cidade de São Paulo, no estado de São Paulo, contextualizando-a com as discussões atuais sobre formação continuada e centrada na escola (ALMEIDA e PLACCO, 2015; BRUNO et al., 2015; IMBERNÓN, 2011).&nbsp; Essa perspectiva aponta para a necessidade de que os processos formativos derivem de demandas advindas do grupo de professores em sua prática docente, articulando teoria e prática em processos dialógicos nos quais as equipes docentes construam conhecimentos sobre seu trabalho e busquem superar as dificuldades encontradas. Destacamos a importância do coordenador pedagógico nesse processo enquanto mediador entre o espaço da formação e as práticas docentes.&nbsp;O relato de experiência consistiu na construção de um “Círculo de leitura docente” que envolveu o grupo de professores na leitura do livro “Quando eu voltar a ser criança”, de Janusz Korczak (1981), pediatra e educador polonês que valorizava o papel da afetividade nos processos educativos e cuja obra é uma “é uma permanente reflexão sobre a prática” (GADOTTI, 1997). A partir da leitura, a equipe docente viu-se motivada a produzir seus próprios relatos enquanto alunos e professores, culminando em um livro coletivo. A experiência foi conduzida pela coordenadora pedagógica que atuava na unidade escolar na qual a atividade se desenvolveu e que é uma das autoras deste trabalho.</p> Natália Francisca Cardia dos Santos, Renata Lívia Soares Perini Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18708 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 PROTEÍNAS EM QUADRINHOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18806 <p><span style="font-weight: 400;">Aliada à importância do estudo das proteínas no ensino médio está a dificuldade por parte de alunos e professores de entender a relação dos conceitos sobre as proteínas e as funções nos seres vivos. Este tema no ensino médio, muitas vezes é abstrato e difícil de ser relacionado a processos biológicos pelos alunos, o que justifica a busca por uma abordagem minimamente diferente, divertida e significativa para alunos e professores.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Nesse sentido, o presente trabalho teve como objetivo estudar as proteínas através da elaboração de História em Quadrinhos, HQ, sobre as proteínas, criadas pelos próprios alunos. Propõe-se possibilitar uma compreensão mais ampla da estrutura e função dessas substâncias, nos organismos, bem como tornar esse processo de aprendizagem mais divertido e significativo.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Com o objetivo de modificar a abordagem convencional sobre as proteínas, nas aulas de biologia do primeiro ano do Ensino Médio, foi realizada uma atividade de criação de História em Quadrinhos envolvendo estrutura e função das proteínas. A ideia partiu dos próprios alunos no momento da aula teórica/expositiva sobre a estrutura e função das mesmas e a ideia foi aceita e compartilhada pelas demais turmas do primeiro ano da escola.</span></p> Andrea Rita Marrero, Lígia Vanessa Silva Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18806 Ter, 29 Dez 2020 00:00:00 -0300 RELAÇÕES ÉTNICAS E EDUCAÇÃO CIDADÃ: CONTRIBUIÇÕES DA ABORDAGEM CTS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18811 <p align="justify"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">A educação cidadã tem como responsabilidade formar sujeitos para participar das decisões políticas, capacitando-os para agir coletivamente, fundamentada em conceitos básicos para compreender e atuar sobre os problemas sociais (ZANCAN, 2000). Destarte, destaca-se no processo de conscientização das pessoas, no sentido de possibilitar que os indivíduos tenham acesso ao conhecimento, e que por meio dele possam buscar seus direitos (BONFIM; GUIMARÃES, 2015). Essa premissa está em consonância com a educação para a liberdade defendida por Freire (1967), que sinaliza a importância de o indivíduo construir uma atitude crítica diante de sua realidade, integrando-se na sociedade.&nbsp;</span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">O desenvolvimento de uma formação embasada nos princípios da cidadania é manifestado em documentos oficiais, que assumem importância na área educacional, tais como a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB) na qual atesta a necessidade de que todo educando seja preparado para o exercício de sua condição de cidadão. Ainda, segundo a LDB, a diversidade étnico-racial, diferentes culturas e etnias, e o resgate das contribuições nas áreas social, econômica e política, devem ser considerados. Nesse sentido, a Lei 10.639/ 2003, estabelece as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, em incluir nos currículos a obrigatoriedade da temática História e Cultura Afro-Brasileira. A Base Nacional Comum Curricular (BNCC) ressalta que as escolas devam incorporar aos currículos e às propostas pedagógicas a abordagem de temas contemporâneos que afetam a vida humana, de forma transversal e integradora. Entre esses temas, destaca-se a educação das relações étnico-raciais e ensino de história e cultura afro-brasileira, africana e indígena (BRASIL, 2017).&nbsp;</span></span></p> Vanessa Candito, Karla Mendonça Menezes, Carolina Braz Carlan Rodrigues, Maria Rosa Chitolina Schetinger Copyright (c) 2021 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18811 Sex, 29 Jan 2021 00:00:00 -0300 ANÁLISE DAS POTENCIALIDADES DAS TIC NO ENSINO DE CIÊNCIAS E BIOLOGIA A PARTIR DO ENEBIO E EREBIOSUL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18779 <p>A constante modernização das Tecnologias de Informação e Comunicação (TICs) na sociedade contemporânea desencadeou desafios no processo educativo, pois esses avanços produzidos pelas telecomunicações e pela informática vem mudando a forma de ensinar e de aprender (MOURA, 2010).</p> <p>As TIC são definidas como um novo conjunto de recursos tecnológicos que interagem e proporcionam automação e/ou comunicação nos processos existentes nos negócios, no ensino e na pesquisa científica (MENDES, 2008). Desse modo, essa disponibilidade de novos recursos tecnológicos sugere transformações no ensino, especialmente no ensino de Ciências e Biologia que está em constante evolução. Nesse viés, Krasilchik (2000) defende que à medida que a Ciência e a Tecnologia evoluem, o ensino de Ciências também precisa ser transformado</p> Tailine Penedo Batista, Eliane Gonçalves dos Santos Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18779 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 O USO DA TECNOLOGIA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM UMA ESCOLA PÚBLICA DE PERIFERIA DO MUNICÍPIO DE IJUÍ/RS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18775 <p>Este artigo tem o objetivo de dialogar sobre o uso das tecnologias no processo de ensino aprendizagem estabelecendo relações entre as práticas pedagógicas realizadas no contexto escolar, nos Anos Finais (6º ao 9º ano), antes da pandemia e no cenário atual na Escola Municipal Fundamental Anita Garibaldi, localizada na rua Barão do Rio Branco, número 1720, bairro Glória, no município de Ijuí, com 32 professores, 11 funcionários e 389 alunos oriundos dos bairros Glória, Colonial, Tancredo Neves e Storch.</p> <p>A metodologia adotada neste artigo consiste em uma abordagem qualitativa (LUDKE, ANDRÉ, 1986), ressaltando o uso de tecnologias na escola, devido à pandemia mundial de coronavírus que alterou e obrigou as redes de ensino a se reorganizar a partir de estudos dirigidos em plataformas digitais e repensar para reestruturar o ano letivo.</p> Cibele Mai, Andrea De Lucas Abreu, Catiane Meline Hoffmann Oster Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18775 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CULTURA DIGITAL E FORMAÇÃO CONTINUADA DE PROFESSORES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18736 <p>A incorporação de tecnologias no contexto educacional exige um trabalho reflexivo constante e minucioso com foco na sua utilização pedagógica. Para que possa representar mudança, inovação ou melhoria na qualidade da educação, o primeiro passo é promover a integração das Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDICs) ao currículo, ao dia a dia das escolas e, sobretudo, à intencionalidade educativa do professor. Esta pesquisa socializa alguns modelos e estratégias de formação de professores que podem ser considerados no desenho educacional das formações tendo em vista as práticas pedagógicas inovadoras.</p> <p>Através da pesquisa qualitativa do tipo documental, baseou-se nos documentos de desenvolvimento de competências digitais de professores e currículo de referência em tecnologia e computação do Centro de Inovação para Educação Brasileira — CIEB (2018; 2019), documentos estes que objetivam dar suporte aos novos conceitos vinculados a Base Nacional Comum Curricular — BNCC (2018). Os resultados mostram as diversas possibilidade de formação continuada de professores para uso pedagógico das TDICs. E documentos norteadores, como os disponibilizados pela CIEB, são uma oportunidade de enriquecer a formação de professores e ajudar na implementação do currículo voltado às tecnologias digitais.</p> Adão Eurides de Souza Filho, Vidica Bianchi Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18736 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 INOVAÇÃO EM EDUCAÇÃO: UMA ANÁLISE DE PUBLICAÇÕES BRASILEIRAS E ESTRANGEIRAS COM FOCO NO PAPEL DAS TDIC https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18734 <p>Ao longo do tempo, conceitos e frameworks ligados à esfera tecnológica vêm sendo quase “naturalmente” associados à perspectiva de inovação em educação em todas as áreas, não apenas naquelas cuja a presença de diferentes ferramentas, aplicativos, e dispositivos tecnológicos é maior, como nas áreas exatas e da saúde, por exemplo. Mais recentemente, TPACK (em português, Conhecimento Tecnológico Pedagógico de Conteúdo) e Pensamento Computacional vêm ganhando espaço na literatura não necessariamente vinculados ao âmbito de inovação, mas de saberes necessários a professores e alunos de todas as áreas no século XXI.</p> <p>Assim, o objetivo desta pesquisa foi verificar o que publicações em diferentes países apontam quanto às perspectivas de inovar em educação e que ênfases atribuem a dimensões como papel e competência docente, dentre outras. Especificamente, o foco foi realizar uma ampla análise qualitativa em artigos, dissertações e teses publicados no Brasil e em outros países, nos últimos 5 anos de modo a discutir, no âmbito conceitual e epistemológico do campo educacional: a) o que é e por que inovar em educação; e b) a que áreas/dimensões esse processo inovador está sendo relacionado nestas publicações.</p> Fabiana Diniz Kurtz, Denilson Rodrigues da Silva Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18734 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 DISCUSSÕES SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DA PANDEMIA COVID-19 NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM, NA GRADUAÇÃO, EM 2020 https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18706 <p>No início de 2020, a pandemia causada pelo COVID-19 chegou ao Brasil provocando mudanças não só no aspecto social e econômico, mas também na organização do ensino em instituições de Educação Superior, as quais precisaram suspender as atividades presenciais para seguir as recomendações de distanciamento físico emitidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta recomendação visa minimizar o risco de contaminação das pessoas, visto que a taxa de mortalidade causada pelo coronavírus é bastante alta, cerca de 72,2 mortes em cada 100.000 habitantes (BRASIL, 2020). Em continuidade, o Ministério da Educação do Brasil publicou a portaria nº 343, em 17 de março de 2020, permitindo a substituição das aulas presenciais por aulas remotas digitais.</p> <p>O uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), que compreendem um conjunto de equipamentos e aplicações tecnológicas que utilizam a internet e o digital, no ensino e aprendizagem, é tema de vários estudos (ALMEIDA, BORGES &amp; FRANÇA, 2012), quase sempre vinculado à Educação à Distância (EAD). O que provoca questionamentos é o papel assumido pelas tecnologias, no ensino remoto sincrônico, adotado em 2020, em resposta ao isolamento físico, em decorrência da pandemia.</p> Graciela Geraldo, José Mário Pansera de Araújo, Maria Cristina Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18706 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 ENGAJAMENTO DIGITAL: ESTUDO SOBRE O PROJETO CIÊNCIAS NA ESCOLA EM UM GRUPO NO FACEBOOK https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18688 <p>O Projeto Ciências na Escola: Formação e docência em Ciências com foco no ensino por investigação é uma ação que tem íntima ligação entre a formação inicial e a continuada,&nbsp; articulando Projetos e Programas de Ensino de Ciências da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS): Programa de Educação Tutorial (PET), Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), Residência Pedagógica, Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências (PPGEC), Grupo de Estudos e Pesquisa em Ensino de Ciências e Matemática (GEPECIEM), Programa de Extensão: Ciclos Formativos no Ensino de Ciências, e é financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). O Projeto tem como objetivo promover a formação continuada de professores de Ciências da região das Missões do Rio Grande do Sul – entorno da UFFS, desenvolver estratégias de ensino de Ciências com foco no ensino por investigação, pesquisa na escola, resolução de problemas, metodologias ativas a fim de promover a inovação curricular.</p> Daiane Kist, Débora Kélli Freitas de Melo, Roque Ismael da Costa Gullich Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18688 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA: REFLEXÕES INCIPIENTES DOS PROCESSOS EDUCACIONAIS EM TEMPOS DE PANDEMIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18801 <p><span style="font-weight: 400;">A discussão da educação e o uso das tecnologias tem aumentado no cenário educacional nas últimas décadas. Polêmica, incipiente, ou profunda, a proliferação do debate reflete a realidade e as transformações culturais dos últimos tempos. Com o avanço das tecnologias e as possibilidades da web, uma série de mudanças se colocam como possibilidades em âmbito social, inclusive na educação. Ainda que, bem sabemos, o acesso à tecnologia digital não seja universal, precisamos reconhecer que houve um avanço importante para a democratização de conhecimentos, seja pela ampliação do acesso à educação, seja pela possibilidade de diferentes epistemologias estarem acessíveis a partir da web.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Assim, neste texto pretendo refletir sobre a educação na pandemia. Minha primeira hipótese é de que as confusões conceituais que afloram, de alguma maneira, refletem antigas discussões, bem como antigas dificuldades, de compreensões conceituais em relação à educação e ao uso de tecnologias para o seu desenvolvimento e, especialmente, em torno do conceito de Educação a Distância.&nbsp;</span></p> Mariane Denise Martins Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18801 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 O USO MASSIVO DE TECNOLOGIAS NA EDUCAÇÃO: RISCOS E DESAFIOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18773 <p>Vive-se num contexto em que a todo momento as tecnologias ampliam a sua área de abrangência e acaba por tornar imprescindível o contato dos sujeitos com a elevada gama de ferramentas que são adicionadas freneticamente nos ambientes de convivência. O comportamento diante desse fenômeno possui um significado que vai muito além do simples emprego desses recursos tecnológicos. Diante de uma escolha, podemos optar por usufruir da técnica, ser dominados por ela ou, então, pautar o seu desenvolvimento. Para isso, é necessário conhecer profundamente a sua essência, sempre considerando valores e formas de vida como superiores aos interesses diversos, que costumeiramente motivam os investimentos tecnológicos.</p> Ronaldo César Darós, Líria Angela Andrioli Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18773 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 CULTURA ESCOLAR x CULTURA DIGITAL: REPENSAR HÁBITOS EDUCACIONAIS À LUZ DAS NOVAS TECNOLOGIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18848 <p align="justify"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">A pandemia da Sar-Cov-2 (COVID-19) trouxe uma série de restrições e desafios em todas as áreas da vida humana como saúde, economia e educação. De acordo com as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde), o contato físico deveria ser minimizado apenas ao necessário, sendo imperativo um processo de readaptação então tivemos que nos adaptar em relação a muitas atividades do viver cotidiano. Esse processo de mudança em vistas do distanciamento social afetou diretamente milhões de estudantes que tiveram de migrar do ensino presencial para um ensino remoto emergencial. Depois das orientações do Conselho Nacional de Educação (CNE), as atividades presenciais foram suspensas por tempo indefinido, oferecendo novos desafios a todos os envolvidos, direta ou indiretamente, a saber: os alunos, professores, famílias, gestores públicos e funcionários das instituições de ensino em geral. Sem os meios tradicionais de ensino, alunos dispostos em fila na sala de aula e o tradicional quadro negro, as escolas tiveram que buscar novos meios para atender às demandas educacionais.</span></span></span></p> Gian Ruschel, Josei Fernandes Pereira, Mariana Borba Trevisan Copyright (c) 2021 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18848 Ter, 01 Jun 2021 00:00:00 -0300 A IMPORTÂNCIA DA LEITURA PARA A COMPREENSÃO DA REALIDADE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18781 <p>Ler é uma das maneiras mais instigantes de conhecer o mundo e refletir sobre ele. Porém, como estimular o hábito da leitura em tempos de pandemia, quando o aluno está distante da escola? Buscando resolver essa questão, esse trabalho tem como objetivo efetivar a prática da leitura, de modo que o aluno possa estabelecer relações entre o texto e suas vivências.</p> <p>Inúmeras preocupações permeiam a vida dos professores e a preocupação com a leitura, ou mais precisamente, com a falta dela, é a mais recorrente. Sabe-se que ao descobrir o vasto mundo literário a criança se deixa seduzir por ele e durante alguns anos a grande maioria se torna um habitante dessas terras fantásticas e faz do livro um companheiro de aventuras. Mas, quando a infância dá lugar à adolescência alguns amigos vão sendo, aos poucos, substituídos e o livro está entre os primeiros da lista.</p> Leila Aparecida de Ataides, Sílvia Fabiana Fortes Hedlund Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18781 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 BNCC CIÊNCIAS DA NATUREZA E SUAS TECNOLOGIAS - ATIVIDADES DE ENSINO COM ENFOQUE CTSA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18759 <p>A inserção da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), em 2020, no desenvolvimento do currículo escolar, trouxe desafios para elaboração de atividades de ensino, em especial, com a evolução da pandemia COVID-19 e sua repercussão, no Ensino Fundamental (EF) e Ensino Médio (EM). Na condição de professoras da Educação Básica da rede estadual de ensino, precisamos nos adaptar às novas, urgentes e excessivas demandas da Secretaria de Educação do Estado do Rio Grande Sul, a qual tenciona a quantidade de atividades com a qualidade de ensino. Justificamos este desabafo, pois cada dia mais precisamos fazer planilhas, relatórios, justificativas de o porquê nosso aluno não está realizando as atividades, enquanto poderíamos estar com a atenção mais voltada para cada um deles, não digo que não fazemos, mas não conseguimos dar a mesma atenção como era possível em sala de aula presencial.</p> Raquel Weyh Dattein, Janice Preuss da Cruz Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18759 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 PROCESSOS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM NAS AULAS DE CIÊNCIAS DO ENSINO FUNDAMENTAL EM PERÍODO PANDÊMICO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18780 <p>A pandemia do Covid-19 demandou novos protocolos de segurança para a saúde a partir de março de 2020, afetando também a educação escolar. Houve alterações de hábitos e costumes sociais, que implicaram em isolamento e distanciamento, que foram parcialmente amenizadas pelo uso de Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação (TDIC). A educação escolar básica repentinamente deixou de ser presencial para ser realizada de modo remoto de forma virtual, mesmo que ainda muitos alunos não possuem condições para participar desse formato de aulas e continuam recebendo os materiais de forma impressa.&nbsp;Com relação aos conteúdos de ciências para o ensino fundamental II,&nbsp; a BNCC (Base Nacional Comum Curricular) afirma que os conteúdos a serem problematizados devem ser abordados de maneira que despertem o interesse dos alunos, instigando-os a continuar pesquisar e construir o conhecimento. Nesta faixa etária, os alunos já têm mais autonomia de ação e pensamento, e o professor deve usar isto para aprofundar a formação científica. Também é importante que o professor auxilie os alunos a relacionar os conteúdos de ciências com o seu cotidiano.</p> Salete A. Kraemer, Franciele Meinerz Forigo, Alexandre José Krul Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18780 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 OS DESAFIOS IMPOSTOS AOS PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA PELO CENÁRIO PANDÊMICO DE 2020: MUDANÇAS DE PARADIGMAS? https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18785 <p>Uma doença conhecida como pneumonia de causas desconhecidas detectada em Wuhan, China, foi reportada pela primeira vez pelo escritório da Organização Mundial de Saúde (OMS) em 31 de dezembro de 2019. O surto foi declarado como Emergência de Saúde Pública de Importância Internacional em 30 de janeiro de 2020, e a OMS declarou, em 11 de março de 2020, que a disseminação comunitária da COVID-19 em todos os continentes a caracteriza como pandemia.</p> <p>Estava declarado o estado de possibilidade de uma pandemia mundial e para contê-la, a referida Organização recomendou desde então três ações básicas: isolamento e tratamento dos casos identificados, testes massivos e distanciamento social.</p> <p>A pandemia do COVID 19 trouxe muitas surpresas no corrente ano de 2020, foram perspectivas desafiadoras nos piores moldes possíveis, muitas mudanças foram desencadeadas no meio social, principalmente em relação ao ambiente educacional. Fomos pegos de surpresa tanto em termos sociais como profissionais, tivemos que nos isolar e a partir deste novo contexto, passar a desenvolver atividades pedagógicas síncronas e assíncronas com os alunos, para que ocorresse assim o desenvolvimento do ensino.</p> Carina Deolinda da Silva Lopes Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18785 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ATIVIDADES INTERDISCIPLINARES PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE EM CONTEXTO ESCOLAR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18786 <p>Ao pensarmos sobre os desafios e perspectivas curriculares que envolvem a aprendizagem, nos deparamos com a análise do cotidiano escolar na educação básica e, ao mesmo tempo, com as reflexões sobre situações e compromissos da educação. Conforme Sacristán (2007) a educação é um projeto de ser humano e sociedade e, diante disso, precisa estar voltada às aprendizagens culturais, sociais, levando a escola a rever suas metas e currículos.</p> <p>Ponderando sobre a escola e o envolto da aprendizagem, precisamos considerar a organização tradicional curricular, estabelecida por décadas no ensino brasileiro, e seus frutos: a fragmentação do ensino por meio da especialização e o modelo da racionalidade técnica que estabelece o ensino como transmissivo, baseado na memorização do conteúdo (ANASTASIOU; ALVES, 2010). Contrariando esse movimento, considerando a escola como um local de aprendizagem e de construção de conhecimentos, Demo (2008) sugere que o papel da escola, para que ocorra a promoção de aprendizagem, carece superar a transmissão de conhecimentos, apresentando relações para a construção de saberes e aprendizagens, de modo que o aluno compreenda que o conhecimento não é finito, mas construído por relações, interconectando os saberes e as vivências.</p> Cláudia Elizandra Lemke, Neusa Maria John Scheid Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18786 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ANÁLISE DE CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES DO 1º ANO DO ENSINO MÉDIO SOBRE PROCESSOS DE ENSINO E DE APRENDIZAGEM https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18794 <p>Este texto apresenta resultados de uma pesquisa que teve como objetivo investigar concepções de estudantes do Ensino Médio sobre conteúdos e métodos de trabalho desenvolvidos por professores de Biologia e analisar as implicações dessas concepções no envolvimento desses estudantes nas aulas.&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;</p> <p>Partimos do pressuposto que o professor é o intermediador de conhecimentos desenvolvidos em sala de aula, e isso leva ao reconhecimento da sua importância, uma vez que cabe a ele a responsabilidade pela seleção dos conceitos e formas de apresentação dos conceitos aos seus alunos de modo que eles possam se apropriar adequadamente.</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; A forma como são apresentados os conteúdos é tão importante quanto àquilo que é ensinado dentro de sala de aula, como coloca Chassot (2004, p.17): “quanto mais ensinarmos conhecimentos inúteis, que servirão para serem vomitados em avaliações de conteúdos, estaremos excluindo mais pessoas do acesso da alfabetização científica, e assim de uma cidadania crítica”. Cabe ao professor selecionar os conteúdos trabalhados durante o ano letivo, focando o ensino com o intuito do aluno aprender aqueles conhecimentos, que favoreçam o seu desenvolvimento cognitivo e afetivo, e não partindo da famosa “decoreba”, em que ele memoriza sem significar os conceitos que futuramente não serão lembrados.</p> Gabriela Dallavechia, Marli Dallagnol Frison, Maria Cristina Pansera de Araujo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18794 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 LIVROS DIDÁTICOS DE CIÊNCIAS: UMA ANÁLISE NA BIBLIOTECA DIGITAL DE TESES E DISSERTAÇÕES (BDTD) (2015-2020) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18748 <p>Nas últimas décadas, é possível observar que o Livro Didático (LD) tornou-se foco de estudo por educadores pesquisadores, principalmente por ser um dos recursos mais utilizados em sala de aula, por isso, desde o conteúdo abordado e as atividades propostas até os recursos imagéticos são alvo de pesquisas e investigações. Segundo Rosa (2013, p. 23), a “natureza do LD como ferramenta de apoio pedagógico exige que ele seja pesquisado e conhecido a fundo. De forma contrária, é difícil otimizar o trabalho com este recurso”.</p> <p>Nesta perspectiva, desde a formação inicial de professores é relevante incentivar os licenciandos que detêm contato com pesquisas que abordam o uso do LD, e que visam a melhoria desta ferramenta, para que, posteriormente, na formação continuada progridam com a análise e a problematização do seu uso.</p> Cleiton Edmundo Baumgratz, Eloisa Antunes Maciel, Erica do Espirito Santo Hermel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18748 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 APROPRIAÇÃO DE SIGNIFICADOS PRODUZIDOS POR ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO SOBRE SISTEMA DIGESTÓRIO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18757 <p>Este texto socializa resultados de um estudo que teve como objetivo refletir e analisar aulas sobre sistema digestório na apropriação de um processo de contextualização observação e desenvolvimento de aulas de ciências no modo de ensino remoto, ou seja com aulas a distância. O ensino de Ciências da Natureza no nível médio exige dos professores maior dedicação com as aulas no sentido de contextualização dos conteúdos abordados, bem como a interação com o cotidiano dos estudantes. Para isso, precisamos ter uma formação que possibilite essas interações desde a formação acadêmica do docente. Então, nesse campo de conhecimento que é caracterizado pela pesquisa e observação de espaços educativos, torna-se de fundamental importância produzir nos estudantes a necessidade do estudo, o interesse e a curiosidade da descoberta e também motivação para a aprendizagem dos conteúdos escolares.</p> Paola Cristiane Vidor, Marli Dallagnol Frison, Maria Cristina Pansera Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18757 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 LIVRO DIDÁTICO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA: TEMÁTICA SEMPRE ATUAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18745 <p>No ano em que o programa de pós-graduação em Educação nas Ciências da UNIJUÍ comemora 25 anos e propõe o XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e o I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação nas Ciências como eventos que demarquem este espaço/tempo, me propus a revisitar a minha dissertação, resultado do ingresso na segunda turma do programa, intitulada “O livro didático, os PCNs de Ciências Naturais e a prática pedagógica”. Esse reencontro com a pesquisa foi motivada pela intencionalidade de participar do evento com algo que fosse significativo na comemoração, adequado ao evento e ao mesmo tempo permitisse demonstrar meu reconhecimento ao programa e ao meu orientador, in memoriam, Mario Osorio Marques.&nbsp;</p> <p>Para Marques (2001), o tema da pesquisa devia ser uma paixão, de forma que gerasse prazer escrever e pesquisar, ao longo do tempo. Hoje compreendo que ele tinha razão. A problemática do livro didático, de propostas curriculares para Ensino de Ciências e a prática pedagógica foram e são temáticas que estiveram presente ao longo de toda a minha trajetória profissional. Me constituíram enquanto docente e pesquisadora. Hoje compreendo que a opção por pesquisar o livro didático no mestrado, estava relacionada ao fato de, na década de 80 do século passado, enquanto iniciava minha formação e atuação como professora, já gostava de participar dos grupos de produção de material e propostas pedagógicas para o ensino de Ciências, financiados pelo projeto melhoria do Ensino de Ciências e Matemática, na FIDENE/UNIJUÍ (FRIZZO, 1998). Porém, ainda resta uma pergunta sem resposta: será que a escolha de Marques em me orientar, também não foi movida pela paixão que ele tinha pelos livros e por escrevê-los?</p> Sandra Elisabet Bazana Nonenmacher Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18745 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ARTE E LITERATURA: POTENCIALIDADES DA EXPERIÊNCIA ÉTICO-ESTÉTICA PARA A EDUCAÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18737 <p>O texto apresenta a arte e a literatura como linguagens que configuram o amplo universo do mundo humano, que, por suas características específicas, têm um potencial formativo na medida em que oportunizam a experiência de viés ético-estético. Com acento hermenêutico-filosófico, a reflexão que segue tem aporte teórico em Hans-Georg Gadamer (1999, 2010), Nadja Hermann (2010) e Hans-Georg Flickinger (2010).</p> <p>A hermenêutica filosófica permite afirmar que a interpretação assume uma dimensão de tradutibilidade de sentidos históricos no horizonte singular de cada sujeito que se abre à leitura e à apreciação de uma obra, quer seja artística, literária ou filosófica. Nessa chave de leitura, o encontro com a obra e o texto é uma oportunidade formativa e cocriativa que cada sujeito empreita em perspectiva própria no horizonte de uma tradição histórica, intersubjetivamente tecida e atualizada a cada vez. No encalço dessas ideias, a problematização que segue pretende destacar a experiência artística e literária como um âmbito significativo da compreensão e autoformação humanas, e, para tanto, leva em consideração o fato de a linguagem ser o <em>medium</em> de nossa condição e historicidade, ou seja, a esfera em que a compreensão se dá a cada um, num horizonte que é tanto histórico quanto individual.</p> Maria Regina Johann Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18737 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ENSINO DE HISTÓRIA: (RE)SIGNIFICAÇÕES EM UMA PERSPECTIVA REPUBLICANA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18724 <p>Por que ensinamos história? Qual é a função do ensino de história? Ele deve estar presente nas escolas? Questionamentos esses que possivelmente são feitos por muitos na sociedade contemporânea, sejam estes estudantes, professores historiadores ou mesmos pessoas ligadas às comunidades escolares da contemporaneidade.</p> <p>Nessa premissa que surge o texto aqui apresentado, pensando na problemática historiográfica desenvolvida por autores como Jörn Rüsen de qual é função da história na escola e por sua vez, seu ensino como parte do currículo das Ciências Humanas.</p> <p>O objetivo principal deste texto é pensar as razões para a manutenção do componente como parte da escolarização de crianças e jovens no Brasil. Ainda, buscar-se-á pensar o ensino de história a partir de uma perspectiva da escola republicana, sendo o mesmo, parte fundamental para a formação cidadã, portanto, uma formação para a vida na sociedade republicana.</p> Maria Carolina Magalhães Santos Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18724 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONTEXTUALIZAÇÃO: AÇÃO POTENCIALIZADORA DO DESENVOLVIMENTO DO PENSAMENTO BIOLÓGICO DE ESTUDANTES DO ENSINO MÉDIO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18714 <p>Este texto traz resultados de uma pesquisa com o objetivo de investigar significados produzidos por estudantes e professores do Ensino Médio sobre contextualização, no Ensino de Biologia, e implicações na aprendizagem de conteúdos escolares e desenvolvimento cognitivo dos estudantes. Entendemos que a atitude do professor tem sustentação quando consegue encantar seu aluno, despertando curiosidade e oportunidade para aprender a olhar o que ainda não foi visto ou como se fosse novo, o que já conhece. A formação do aluno ocorre, no mesmo tempo e lugar, em que acontece a formação do formador, num contexto no qual ambos se encontram na mesma dimensão, permitindo aproximação de confiança e respeito de ambos os lados (AMORIM 2007). Conforme Galiazzi (2007), é tarefa dos professores transformar pequenos encontros em momentos de curiosidade, pois este pode ser o caminho para desenvolver um trabalho interdisciplinar na escola. Portanto, construir novos conhecimentos, através de diferentes métodos de ensino para que os alunos se interessem e questionem sobre os temas, é de extrema importância no educar pela pesquisa. Isto significa que devemos trabalhar a partir de questionamento reconstrutivo, constituindo novos argumentos e comunicação em coletivos para a crítica e validação (GALIAZZI, 2007).</p> Luciana Francisconi, Marli Dallagnol Frison, Maria Cristina Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18714 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 PROPOSTA DE LÍNGUA INGLESA PARA O 6º ANO DO ENSINO FUNDAMENTAL: UMA PERSPECTIVA NO HORIZONTE DAS LINGUAGENS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18685 <p>&nbsp;Este trabalho foi realizado na disciplina Currículo das Linguagens como Área de Conhecimento na Educação Básica, que compõe o currículo integrado dos cursos de licenciaturas do Departamento de Humanidades e Educação - DHE, da UNIJUÍ. A proposta nasce de leituras e discussões sobre currículo e os documentos que regulamentam a educação brasileira, bem como da apreciação de filmes e documentários que potencializam a reflexão acerca da aprendizagem. A partir desses estudos, elabora-se uma proposta de currículo para a área de Língua Inglesa, disciplina que compõe a Área das Linguagens, pensando-a numa perspectiva interdisciplinar, visando integrar conceitos e temas as demais disciplinas da área, como a Língua Portuguesa, a Artes e a Educação Física.</p> Caroline Parcianelo Peyrot, Daiana Rodrigues Santos, Maria Regina Johann Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18685 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 PEDAGOGIA QUEER: UMA POSSIBILIDADE PEDAGÓGICA DE REFLEXÃO SOBRE AS IDENTIDADES https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18783 <p>O presente estudo busca debater sobre a pedagogia Queer como possibilidade pedagógica de reflexão sobre a construção das identidades sexuais e de gênero. Para tanto, primeiramente buscamos apresentar o conceito e o processo de construção histórica e social da Teoria Queer, e em seguida desenvolver a ideia de uma pedagogia Queer articulada com os estudos sobre gênero e sexualidade. Buscamos defender a ideia de pedagogia Queer como possibilidade de reflexão sobre os discursos que buscam normatizar os sujeitos enquadrando-os em categorias de acordo com suas identidades. Para tanto, a metodologia utilizada nesse trabalho é uma reflexão crítica de estudos que se debruçam sobre o tema, nos amparando na perspectiva teórica dos estudos pós estruturalistas de inspiração foucaultiana.</p> Stéfani da Silva Korb, Luciana Valquíria Kremin Mai Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18783 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A DIMENSÃO AFETIVO-SEXUAL, UM ASSUNTO PENDENTE NA FORMAÇÃO DE PROFESSORES: CONTRIBUIÇÕES DA REVISÃO DOCUMENTAL DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18767 <p>Nesta experiência reconhece-se a sexualidade como construção de uma ordem cultural, que a partir de uma perspectiva biopsicossocial torna-se inerente às diferentes esferas do desenvolvimento humano. Nessa construção participam questões do componente fisiológico (sexo, genitais), da ordem neurobiológica (emoções, sentimentos, afetos, consciência) e da esfera social como as concepções e atitudes dos membros de cada prática afetiva-sexual (GAVIDIA, 2016). Dessa forma, para vincular a dimensão afetivo-sexual aos processos de formação, em especial a formação de professores de ciências, é necessário abandonar a razão instrumental e abraçar uma formação mais humana, é dizer, pensar em uma razão sensível (MAFFESOLI, 1997). Nesse sentido, é pertinente uma educação que, além de perseguir objetivos como o domínio do conhecimento e o atendimento das necessidades vitais, vise ensinar a sentir, favorecendo a convivência em sociedade e principalmente a felicidade (GARCÍA, 2018). Desse modo, pensar a sexualidade a partir da dimensão afetivo-sexual implica abandonar a noção com finalidade reprodutiva e, ao contrário, buscar a gestão adequada dos prazeres que se inscrevem na construção sexual, como propõe Spinoza (LENOIR 2019).</p> <p>&nbsp;</p> Jonathan Andrés Mosquera, José Joaquin García García Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18767 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 REFLEXÃO SOBRE TRABALHO E EDUCAÇÃO NA ESCOLA COMPROMISSADA COM O PLENO DESENVOLVIMENTO HUMANO/SOCIAL PARA TODOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18732 <p>Neste texto é abordado o trabalho como princípio educativo, defendido como eixo norteador da dinâmica organizativa do currículo, do ensino e da formação escolar, numa perspectiva integrada e integradora da educação constitutiva do desenvolvimento humano/social propulsor da concidadania comprometida com a criação das condições básicas da existência digna para todos. Desafios e preocupações emergem de tal perspectiva, ante à realidade cada vez mais exigente de avanços na direção de uma visão dialética acerca dos conhecimentos com que se pensa, percebe e age no mundo, local e globalmente. Disso emergiu a organização deste texto, em forma de ensaio teórico, numa elaboração escrita decorrente de um estudo fundamentado em Saviani (2003; 2007), com vistas a refletir acerca de aspectos fundantes da dualidade entre a educação básica universal e o ensino técnico, num movimento de repensar a formação na educação escolar como movimento reconstrutivo de concepções e práticas a ela subjacentes.</p> Micheli Rohr, Adão Caron Cambraia, Lenir Basso Zanon Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18732 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 INVESTIGANDO GÊNERO: UMA ANÁLISE DAS CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18707 <p>Os conceitos de gênero enraizados em nossa sociedade patriarcal, são produtores da desigualdade de gênero. As questões de gênero propõem interações com a palavra patriarca, vocábulo que se origina da combinação das palavras gregas <em>pater</em> (pai) e <em>arkhe</em> (origem, comando) e conforme Colling e Tedeschi (2019, p. 578) “a expressão refere-se a uma forma de organização familiar e social em que um homem, o patriarca, submete os outros membros da família ao seu poder”. Maio (2020, p. 8) destaca “que o patriarcado é baseado em um sistema de hierarquia baseado nas questões de gênero, que atribui, quase desde o útero, mais valor e supremacia aos homens”. Esse sistema hierarquizado e aprisionador, faz com que tanto homens quanto mulheres, acabem reforçando conceitos patriarcais, educando as crianças com as marcas permanentes de gênero, separando características ditas para “meninos” e para “meninas”, reforçadas por roupas, cores, brinquedos, atitudes, ações diferentes para cada gênero.</p> <p>Deste modo, entende-se que as identidades de gênero são representações sociais historicamente construídas, que foram determinando a homens e mulheres lugares diferenciados na sociedade, conforme os estudos de Silva (2004). A mudança de conceitos patriarcais, caminha a passos curtos, à frente dessa mudança está o movimento feminista.</p> Gabriele Strochain, Artiese Madruga Machado, Raissa Lenhard, Rúbia Emmel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18707 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 PEQUENOS GRANDES ARTISTAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18792 <p>O presente projeto desenvolveu-se com uma turma de crianças pequenas (3 e 4 anos) na Escola Municipal Infantil Dalva de Almeida Weinmann, no ano de 2018. Nesta faixa etária os questionamentos se multiplicam diariamente, visto que as descobertas fascinam os pequenos; trabalhar com artes plásticas está inserido na prática pedagógica da educação infantil, como sendo mais uma linguagem capaz de possibilitar estas descobertas de mundo. Diante dessa prática, ao ofertar tinta para uma criança com o intuito de realizar uma atividade planejada, esta falou para os colegas e a professora, que têm pessoas que pintam quadros para vender. Considerando este ser um conhecimento prévio adquirido por ela na sua construção de mundo, atribuímos a importância a sua fala, uma vez que reconhecemos que o sujeito deve ser autor de sua própria descoberta; logo outras crianças agregaram-se ao assunto. Quando diante de tantas curiosidades e contribuições oriundas das mais diversas maneiras, nascia ali um maravilhoso projeto que teria como metodologia a pesquisa.</p> Grasiela Carvalho, Michele Delavusca Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18792 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONTÁGIO: AS SEMELHANÇAS E DIFERENÇAS ENTRE A FICTÍCIA PANDEMIA DA MEV-1 E A COVID-19 https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18742 <p>A pandemia da COVID-19 é uma realidade que tem alterado a forma de vida da população em escala global. As suas consequências são e ainda serão sentidas por tempo indeterminado, assim como as mudanças que ela tem gerado na sociedade. O filme “Contágio” (2011), de Steven Soderbergh, tem em seu enredo uma pandemia que assola a humanidade, ou seja, essa epidemia se assemelha muito com a COVID-19.</p> <p>Tais semelhanças levaram a elaboração desta escrita que tem por objetivo, estudar a proximidade entre ficção e realidade, tendo como base o filme “Contágio” e a pandemia do coronavírus, perante isso, faz-se o questionamento: Quais são as semelhanças e as diferenças entre a pandemia da MEV-1 e da COVID-19?</p> Marcelo Fabrício da Frota Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18742 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A SUPERVISÃO EDUCACIONAL COMO TRABALHO POTENCIALIZADOR NO DESENVOLVIMENTO DE RELAÇÕES AFETIVAS NA ESCOLA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18720 <p>O presente texto tem como propósito discorrer algumas compreensões a respeito do papel da afetividade na constituição humana e sobre implicações das relações afetivas nos processos de ensino e aprendizagem escolar. Também tem por finalidade enunciar reflexões e entendimentos relacionados ao trabalho da supervisão educacional em meio às relações afetivas que podem vir a se desenvolverem nos espaços escolares.&nbsp;Com base em Young (2007), compreendemos que é função social da escola “capacitar os jovens a adquirir o conhecimento que, para a maioria deles, não pode ser adquirido em casa ou em sua comunidade, e para adultos, em seus locais de trabalho” (p. 1294). Na escola são problematizados conhecimentos científico-escolares, que devem contribuir para potencializar a aprendizagem e a constituição humana.</p> Tamini Wyzykowski, Marli Dallagnol Frison Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18720 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ERVAS MEDICINAIS E A CULTURA KAINGANG: UM ESTUDO SOBRE A PRESENÇA DA TEMÁTICA NO CURRÍCULO REAL DA ESCOLA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18711 <p>O presente trabalho visa aprofundar a prática social e cultural indígena, a coleta, o uso das ervas medicinais e como estas questões são tratadas no currículo real, nos planos de ensino dos professores, para estimular o conhecimento que os alunos têm sobre o tema. A pesquisa se delimita no Colégio Estadual Rural Indígena Rio das Cobras, localizado no município de Nova Laranjeiras/PR, na Terra Indígena Rio das Cobras.</p> <p>Acredita-se que os indígenas Kaingang/Kanhgág<a href="#_ftn1" name="_ftnref1"><sup>[1]</sup></a> têm suas próprias formas de coleta de ervas medicinais e, assim, se diferenciam dos indígenas de diferentes etnias que fazem parte do mesmo tronco Jê, contrariando, desse modo, o estereótipo de que “todos os indígenas são iguais”. O estudo tem como propósito aprofundar a problemática anunciada, tendo como público alvo os próprios jovens da aldeia sede da Terra Indígena Rio Das Cobras.</p> <p>A temática está interligada com a realidade e se mostrou uma pesquisa relevante, já que a prática de coleta e o uso das ervas medicinais é um elemento importante na formação de identidade cultural Kanhgág. O método utilizado foi de pesquisa qualitativa, com viés etnográfico e realização de entrevistas semiestruturadas.</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1"><sup>[1]</sup></a> Utilizaremos o termo Kanhgág para nos referir à cultura Kaingang.</p> Adailton Fojin Freitas, Liria Ângela Andrioli Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18711 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 ANTROPOLÍTICA E COMPLEXIDADE EM TEMPOS DE PANDEMIA: PROSPECÇÕES E APRENDIZADOS A PARTIR DO LIVRO “TERRA-PÁTRIA” DE EDGAR MORIN https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18709 <p>A humanidade, ao longo da História enfrentou diversos tipos de ameaças, todas elas passaram, mas não sem antes levarem para a morte milhões de pessoas. O mundo que compartilhamos passa hoje por mais uma calamidade, uma pandemia mundial causada por um vírus de rápida propagação, o coronavírus (COVID-19). No Brasil, sentimos os impactos desta pandemia e não diferente do resto do mundo, infelizmente ocorreram e ainda ocorrem, diariamente, muitas mortes causadas pelo vírus.</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Considerando o contexto mundial e o cenário brasileiro, procuro compreender quais aprendizados podemos retirar deste momento extremamente doloroso para o mundo, bem como projetar possíveis futuros para a espécie humana. Considerando isso, faz-se necessária a reflexão sobre o momento atual. Para tanto, pode-se lançar a seguinte pergunta: quais são os possíveis aprendizados que a pandemia global causada pelo coronavírus proporciona para nós humanos? E ainda, quais são os possíveis fins que a humanidade irá compartilhar, considerando os modos de condução da vida, de modo geral de nosso planeta Terra?</p> Evandresson Patrick de Lima Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18709 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 O TEATRO DO OPRIMIDO DE AUGUSTO BOAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18694 <p>&nbsp;</p> <p>Este estudo tem por objetivo aprofundar o método Teatro do Oprimido e compreender o motivo do mesmo, ainda ser tão desconhecido no Brasil. Augusto Boal nasceu em 16 de março de 1931, na cidade do Rio de Janeiro (MICHALSKI, 1989). Boal foi um dramaturgo, encenador e teatrólogo brasileiro, criador do Teatro do Oprimido, que surgiu no período da ditadura militar, tendo influências de Paulo Freire, Bertolt Brecht, Erwin Piscator, Karl Marx, dentre outros. Augusto Boal e seu método revolucionaram o teatro no Brasil e no mundo.&nbsp;O Teatro do Oprimido surgiu desatrelado do palco italiano e direcionado às classes populares. Boal (2008) nomeou seus expectadores como <em>expect-atores</em>, pois para ele a plateia é parte ativa de todo o espetáculo e não pode permanecer passiva a tudo o que assiste. O trabalho com esse método iniciou no Teatro de Arena, para compartilhar essa forma teatral com as classes populares. Ele acreditava que, ao ensaiar as cenas no palco, a única forma de trabalhar o método seria concluir na vida real aquilo que foi ensaiado. O próprio método instiga isso, despertando mentes adormecidas para a luta na vida real. O teatrólogo utilizava os termos opressores e oprimidos e contestava todas as formas de opressão, pois acreditava que toda opressão causa sofrimento e que todo sofrimento deve ser debatido e combatido.</p> Juliana Campoy Miranda de Souza, HEDI MARIA LUFT Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18694 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 As CONTRIBUIÇÕES DE WINNICOTT PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18701 <p>A educação infantil no Brasil e em boa parte do mundo foi criada para suprir uma necessidade social, em especial da mulher, que começava a ser inserida no campo de trabalho. Com isso, os cuidados com as crianças pequenas foram sendo terceirizados, desvinculando do convívio familiar, em partes, esse importante momento do desenvolvimento.</p> <p>A figura materna é um “ambiente suficientemente bom” pois é ela quem possibilita condições facilitadoras para o desenvolvimento do bebê. Nesse contexto, a inserção da criança na escola exige dos profissionais compreensão em relação a esse momento, visto que um ambiente atento às necessidades do sujeito pode proporcionar o seguimento no seu crescimento de maneira satisfatória.</p> Karine Medina, Laís Cristine Jung, Joice Priscila Mroginski Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18701 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 MARCOS HISTÓRICOS DO SURGIMENTO DA EDUCAÇÃO INFANTIL, DA CRIANÇA, E DA INF NCIA E SUAS RELAÇÕES COM O CURRÍCULO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18800 <p><span style="font-weight: 400;">O presente artigo visa elucidar marcos históricos acerca dos assuntos: Educação Infantil, Criança, Infância e as relações desses com o currículo. Evidenciando que a criança nem sempre foi percebida pela sociedade como um ser em constante desenvolvimento, menos ainda, tendo um espaço específico para que houvesse um desenvolvimento integral e socialização com outras crianças e adultos. Sendo esse contexto o propulsor da presente pesquisa.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Dessa forma, objetivou-se com esse estudo bibliográfico de cunho qualitativo, percorrer os aportes teóricos que tratam sobre o surgimento da Educação Infantil, as visões da infância e da criança e suas relações com o currículo, analisando as evoluções enquanto instituições e sujeitos sócio-histórico-culturais em constante constituição.</span></p> Andrieli Taís Hahn Rodrigues, Angélica Taís Schneiders Angélica Taís Schneiders Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18800 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 POLÍTICA DO NOVO ENSINO MÉDIO NO BRASIL: PERSPECTIVAS DE UM CONTEXTO ESCOLAR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18716 <p>O processo de implantação/implementação do Novo Ensino Médio (EM) no Brasil é o foco do presente trabalho, que tem como objetivo apresentar reflexões da política educacional a partir de um contexto escolar. Destacamos, que nossas preocupações com relação a inserção de políticas educacionais nos contextos escolares vão ao encontro ao que afirma Santos e Azevedo (2009). Para os autores, a política “pode alimentar positivamente um processo dialético, quando se procura articular a percepção da realidade social a partir do estudo científico dos problemas envolvidos na questão educacional e as políticas públicas concernentes” (2009, p. 543). Dessa forma, entendemos que o estudo em política educacional está marcado por escolhas e ordenações que configuram a existência e as formas de organização de um campo de pesquisa.</p> <p>Nesse sentido, tomamos como objeto central do presente estudo o EM brasileiro, que vem sendo tema recorrente de discussões que buscam qualificar os processos de ensino e de aprendizagem, considerando o elevado número de propostas de reformas curriculares nessa etapa de ensino ao longo dos últimos anos. Com isso, direcionamos nossos olhares para o contexto da escola, considerando que é no espaço escolar que as políticas públicas são recontextualizadas (LOPES, 2005) e, com isso, passam a fazer parte dos discursos dos professores, que se tornam os principais responsáveis pela efetivação de tais propostas.</p> Fabiane Habowski, Fabiane de Andrade Leite Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18716 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 TEORIA DOS CAMPOS CONCEITUAIS CONSIDERAÇÕES TEÓRICAS ACERCA DO TRABALHO DOCENTE EM CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18761 <p>A problemática envolvendo dificuldades de aprendizagem de conceitos de Cálculo Diferencial e Integral (CDI), por parte dos estudantes, não é recente e também não se restringe à Educação Superior brasileira (KAMPHORST, 2019). No âmbito internacional os elevados índices de evasão e reprovação, nestas disciplinas, também têm provocado inquietações nos profissionais da área. Marin (2009) cita alguns dos pesquisadores internacionais que tem desenvolvido estudos nesta área, dentre eles: David Tall, da Universidade de Warwink (Reino Unido); Anna Sierpinska, da Universidade Concórdia (Canadá); e James Robert Leitzel, da Universidade Duke (Estados Unidos). No Brasil, trabalhos que abordam a problemática podem ser encontrados em publicações na área da Educação Matemática, Engenharia e Matemática Aplicada. Destes, cita-se: Barufi (1999), Rezende (2003), Junior (2006), Wisland, Freitas e Ishida (2014), Pagani e Alevatto (2014), Farias (2015), Orfali (2017), Kamphorst (2019), entre outros.</p> Eliane Miotto Kamphorst, Tailon Thiele, Carmo Henrique Kamphorst Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18761 Ter, 22 Dez 2020 00:00:00 -0300 FEIRAS E MOSTRAS DE CIÊNCIAS ONLINE: AS EMERGÊNCIAS DESSES ESPAÇOS NÃO-FORMAIS DE ENSINO E APRENDIZAGEM EM TEMPOS DE PANDEMIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18752 <p>A realização de Feiras e Mostras de Ciências é algo que acontece periodicamente nas escolas de Educação Básica. Esses espaços não-formais de ensino e de aprendizagem tem por finalidade incentivar a curiosidade científica e a pesquisa em sala de aula. Além disso, se configura como um espaço interdisciplinar, não somente por possibilitar a integração entre as áreas do conhecimento, mas também por propiciar o diálogo e interação entre diferentes sujeitos, sejam professores, estudantes e a comunidade em geral.</p> Mailin Elisabeth Hauschild, Laura Maria Marcolla, Israel Reis Fuhr, Rafaele Rodrigues Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18752 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 DO MESTRADO AO PÓS-DOUTORADO: CONTRIBUIÇÕES DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO NAS CIÊNCIAS E DO PROCESSO DE INTERNACIONALIZAÇÃO NA FORMAÇÃO DO PROFESSOR-PESQUISADOR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18695 <p>Este texto tem como objetivo refletir sobre a importância da internacionalização na formação do professor-pesquisador de maneira a trazer contribuições significativas para sua formação e atuação profissional. Desse modo, nosso esforço é refletir como essa política cada vez mais presente nos Programas de Pós-Graduação tem contribuído no nosso processo de formação enquanto professoras, pesquisadoras e cidadãs do mundo. Para isso, apresentamos e discutimos sobre o percurso que realizamos junto ao Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências, que teve início no curso de Mestrado estendendo-se ao Doutorado e ao Estágio de Pós-Doutorado, numa intensa relação com pesquisadores de outros países.</p> Cláudia Eliane Ilgenfritz Toso, Maristela Maria de Moraes Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18695 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 PRÁTICAS CORPORAIS E ATIVIDADE FÍSICA: INTERLOCUÇÕES DO PROGRAMA SAÚDE NA ESCOLA NA PERSPECTIVA DA PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO EM SAÚDE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18766 <p>Desenvolvemos neste estudo uma breve reflexão teórica acerca das PC e AF, como possibilidade de promoção da saúde e educação em saúde no Programa Saúde na Escola. Como estratégia metodológica foram selecionados na página eletrônica do Ministério da Saúde documentos e textos que discutem a proposta da Escola Promotora de Saúde, outros que abordam o tema da PC e AF, e os documentos orientadores do Programa Saúde na Escola, sendo traçadas algumas reflexões a partir destes.</p> Ana Claudia Soares, Simone Zientarski Fontana, Jaiane de Melo Vilanova Colodel, Maristela Borin Busnello Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18766 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 POLÍTICA NACIONAL DO LIVRO DIDÁTICO: ENTRE A DEMOCRATIZAÇÃO DO ACESSO E A AMPLIAÇÃO DA INFLUÊNCIA DO MERCADO PRIVADO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18760 <p>Considerando a presença do livro didático nas escolas brasileiras, observa-se que são escassos os espaços de análise e discussão com relação aos livros didáticos, seja nas escolas ou na formação de professores, uma vez que na maioria dos cursos de formação de professores esse material não é analisado e durante a carreira docente tem sido utilizado de forma bastante frequente, geralmente sob análises pontuais. Diante disso, o objetivo é debater sobre a política do livro didático em seus aspectos mais marcantes, buscando refletir sobre a democratização do acesso a um conjunto de conhecimentos através dos LDs, e, por outro lado, a ampliação da influência do mercado privado na produção e na indicação destes materiais nas escolas cadastradas nesse programa.</p> Carina Copatti, Adriana Maria Andreis Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18760 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 MAPEAMENTO DE DISSERTAÇÕES E TESES BRASILEIRAS ACERCA DO ENSINO DE CIÊNCIAS NA EDUCAÇÃO INFANTIL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18770 <p>Esta investigação evidencia a importância das pesquisas realizadas acerca do Ensino de Ciências na Educação Infantil. Tem o objetivo geral de mapear o quantitativo de pesquisas realizadas nos anos de 2010 a 2019, sobre do Ensino de Ciências na Educação Infantil. Assim, caracteriza-se como uma pesquisa documental utilizando como banco de dados para a pesquisa, o Catálogo de Dissertações e Teses da CAPES e Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) com a abordagem quantitativa (LÜDKE; ANDRÉ, 2001).&nbsp;</p> <p>Busca mostrar a importância do Ensino de Ciências e das Linguagens Científicas por meio de explorações, experiências, vivências e aprendizagens durante a infância, verificando a existência e recorrência de pesquisas na área por meio de um mapeamento quantitativo de dissertações e teses brasileiras.</p> Andrieli Taís Hahn Rodrigues, Angélica Taís Schneiders, Rúbia Emmel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18770 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 QUE BICHO SERÁ? https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18790 <p>O presente projeto desenvolveu-se com uma turma de crianças pequenas (3 e 4 anos) na Escola Municipal Infantil Dalva de Almeida Weinmann, no ano de 2019. Na educação infantil, o trabalho de valorização do meio ambiente e da natureza acentua-se nos momentos proporcionados no pátio, ao ar livre, onde as crianças podem brincar e explorar esses espaços. Desta forma, buscamos resgatar e incentivar as crianças a conviverem com a natureza na pluralidade do respeito mútuo, de forma que possam desenvolver um senso de cuidado e preservação do ambiente em que estão inseridos. Neste contexto, algumas crianças acharam um “bichinho diferente”, no pátio, que chamou atenção e nos dias posteriores a curiosidade aumentava cada vez que iam para fora, logo, os demais começaram a agregar-se nessa descoberta. Assim, nosso olhar sensível enquanto educadoras nos levou a pensar que instalava-se ali uma rica fonte de pesquisa e descobertas, nos desafiando a propor situações de aprendizagens que valorizassem o respeito e a consciência de cuidado com a natureza, de interação com o ambiente natural, pautados no brincar, que é fundamental para o desenvolvimento integral infantil. Surgiu assim o projeto, tendo como metodologia a pesquisa e a observação de campo.</p> <p>&nbsp;</p> Michele Delavusca, Grasiela Carvalho Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18790 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E CURRÍCULO: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18747 <p>Os processos de estruturação dos&nbsp; documentos curriculares geram muitas discussões e contradições no cenário docente, visto que a maioria destas reformas curriculares se constituem com conteúdos definidos de forma homogênea em um cenário que os docentes não têm sido os principais protagonistas da elaboração de tais reformas, pois: “[...] em geral, a uma acentuada distância entre a proposta de reforma e o dia a dia das escolas, especialmente das escolas públicas, e os problemas que os professores enfrentam em seu cotidiano “ (CANDAU, 2001, p.31).</p> <p>Um exemplo dessa disparidade apresentada em algumas propostas curriculares é a inserção da Educação Ambiental (EA) no currículo educacional de nosso país, no âmbito desta discussão autores como Verdi e Pereira (2006) e Viveiro e Campos (2007) defendem a tese de que a inserção da temática ambiental no currículo não deve se restringir a momentos pontuais, mas perpassar todo o período de formação para que os futuros professores se apropriem dessas ideias e de fato tenham tempo para refletir, ganhar subsídios teóricos e práticos e acreditar na educação transformadora que poderão desenvolver em sala de aula com seus alunos e com toda a comunidade escolar.</p> Eloisa Antunes Maciel, Rosangela Inês Matos Uhmann Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18747 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 AÇÕES AMBIENTAIS NA EDUCAÇÃO INFANTIL: UMA EXPERIÊNCIA EM ESCOLA RURAL DE IJUÍ, RS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18722 <p>O presente artigo apresenta um estudo acerca da realização da atividade prática referente à construção de um terrário, a realização de uma caminhada de estudos para observar o ambiente nas proximidades da escola e atividades práticas na horta da turma. O projeto foi desenvolvido em uma turma da Educação Infantil: pré-escola. A turma é composta por 10 crianças, sendo 3 crianças da pré-escola 1 e 7 crianças da pré-escola 2, assim caracterizada como turma mista. As idades das crianças envolvidas no projeto variam entre 4 e 6 anos. A escola na qual o projeto foi desenvolvido localiza-se em área rural do município de Ijuí, sendo a única escola de campo da Rede Municipal de Ensino.&nbsp;&nbsp;A atividade prática de montagem do terrário é importante instrumento inicial de representação do ambiente natural, e possibilita, de uma maneira diferenciada, a realização de observações acerca das relações estabelecidas entre os organismos vivos e elementos não vivos de um ambiente, bem como, a importância do equilíbrio nos ecossistemas. A caminhada de estudos nos arredores da escola e as vivências na horta escolar da turma são ações que&nbsp; possibilitam a ampliação dos conteúdos abordados em sala de aula, através de vivências no ambiente natural, mantendo-se o foco na importância da preservação dos recursos naturais e das espécies animais e vegetais para a manutenção da vida no planeta, e da influência do ser humano no ambiente.</p> Vânia L. Berton Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18722 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A INTERDISCIPLINARIDADE NA PROMOÇÃO DA CIDADANIA ATRAVÉS DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18705 <p>A escola é um marco convergente das diversas temáticas que moldam o ser humano, é nela que ocorrem algumas provocações, que geram o conhecimento, seja a partir do debate, da crítica e também da análise de diversos fatores. Estas temáticas perpassam pelos conteúdos desenvolvidos nos componentes curriculares, são tradicionalmente individualizados e formatados, distribuídos isoladamente ao aluno, que precisa então fazer a relação entre eles, transformando informações em conhecimento tanto para si quanto para a sociedade.</p> <p>Dentre as temáticas apresentadas nas instituições de ensino, se encontra a Educação Ambiental, que de acordo com a <a href="http://legislacao.planalto.gov.br/legisla/legislacao.nsf/Viw_Identificacao/lei%209.795-1999?OpenDocument">Lei Federal&nbsp;9.795 de 27 de Abril de 1999</a>,é definida como os processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente, bem de uso comum do povo, essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade.</p> Catiane Meline Hoffmann Oster, Andrea De Lucas Abreu, Cibele Mai Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18705 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PERSPECTIVA DE PESQUISADORES DO ENSINO DE BIOLOGIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18692 <p>A Educação Ambiental (EA) se apresenta como um campo rodeado de debates e conflitos de interesses, especialmente relacionados à esfera do desenvolvimento sustentável. A questão ambiental é debatida em nível internacional, como em conferências promovidas pela Organização das Nações Unidas (ONU), sendo a primeira realizada em Estocolmo no ano de 1972, e acabou por subsidiar os ideais do que atualmente temos como desenvolvimento sustentável e o papel da EA neste processo. Este debate não é recente, entretanto, a crescente necessidade de reanalisar as relações entre homem e ambiente passaram a ganhar mais atenção e inclui no debate, governantes, iniciativas privadas, mídia, comunidade científica e civil (SULAIMAN, 2011).</p> Karen Raffaely Rigodanzo Teichmann, Roque Ismael da Costa Güillich Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18692 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 PENSANDO A RELAÇÃO ALUNO-PROFESSOR A PARTIR DO VIÉS PSICANALÍTICO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18778 <p>O presente trabalho tem como objetivo apresentar algumas considerações acerca da corrente psicanalítica para a educação. Dessa forma, destacamos que, apesar de Sigmund Freud não tematizar de forma explícita e direta contribuições para o campo educacional, entendemos que alguns conceitos dessa corrente têm sido aplicados em cursos de formação em licenciaturas e também despertado o interesse de inúmeros pesquisadores. Por isso, será apresentada a noção de desenvolvimento humano a partir de Freud e a relação aluno-professor estabelecida pela transferência.&nbsp;Compreendemos que a corrente psicanalítica pode ser pensada para além de sua especificidade, isto é, o campo clínico. Também consideramos ser importante que os envolvidos em educação tenham consciência de alguns aspectos psíquicos que os alunos carregam. Com isso, podemos apostar em uma educação mais transformadora e menos repressiva. Assim, esta pesquisa será sustentada por obras relacionadas a esse tema bem como em artigos científicos, configurando-se como uma revisão bibliográfica.&nbsp;</p> Bruna Rossato da Silva, Emanuel Dos Santos, Camila Ardenghi de Oliveira, Luciana da Silva de Castro Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18778 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A APRENDIZAGEM PERMANENTE NA CONTEMPORANEIDADE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18772 <p>A preocupação com a educação escolar emerge no contexto do projeto da modernidade. Práxis social com intencionalidades e permeada por tensionamentos em torno do seu sentido, do percurso pedagógico, dos conteúdos a serem ensinados, da formação docente, dentre outros aspectos. É atravessada por compreensões da condição humana e de efetivação desta compreensão, bem como pelas relações humanas em sociedade a serem criadas e constituídas, para viabilizar condições razoáveis de um mundo comum.</p> <p>Uma das tarefas colocadas à educação escolarizada refere-se à aprendizagem. Balizado no pensamento de Zigmunt Bauman, este trabalho aborda a temática da aprendizagem permanente, a transição do paradigma educacional centrado no ensino para a aprendizagem. Percurso realizado com base na revisão de literatura, com tratamento qualitativo dos dados, objetivando compreender como este pensador caracteriza o caráter permanente no contexto da modernidade líquida e seus desdobramentos na práxis educacional.&nbsp;</p> <p>O texto está organizado em duas seções, sendo que na primeira aborda o plano educacional no âmbito da modernidade e, na segunda, tematiza o projeto da educação permanente, focada na aprendizagem, no contexto da modernidade líquida.</p> Mário José Puhl Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18772 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONHECIMENTO E APRENDIZAGEM: REFLEXÕES ACERCA DO EXERCÍCIO DOCENTE POR MEIO DA LINGUAGEM https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18733 <p>A espécie humana se diferencia das demais espécies animais pela sua capacidade de transcender o previamente estabelecido em sua constituição biológica. Integramos uma espécie inacabada, que necessita ser educada e educar-se na medida em que produz cultura. Segundo a ideia kantiana “nos tornamos humanos por meio da educação”.&nbsp;O presente trabalho surge por meio dos estudos e discussões desenvolvidos na disciplina “Docência no Ensino Superior” do Programa de Pós-Graduação <em>Stricto Sensu</em> em Educação nas Ciências da Universidade Regional do Noroeste do Estado do Rio Grande do Sul (UNIJUÍ), sob a orientação do Professor Doutor José Pedro Boufleuer no segundo semestre de 2020.</p> Marsoé Cristina Dahlke, Jordana Perkoski Dumke Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18733 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 A POSTURA ÉTICA DA HERMENÊUTICA FILOSÓFICA E SUA POTENCIALIDADE PARA A FORMAÇÃO HUMANA QUESTÕES INTRODUTÓRIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18727 <p>São inúmeras as possibilidades de pensar a contribuição da hermenêutica filosófica de Hans-Georg Gadamer para a educação, sendo que a pesquisa educacional contemporânea nos brinda com muitas interpretações a esse respeito. Dentre as interpretações possíveis, elegemos aqui, como objeto de escrita, a possibilidade de contar com a hermenêutica gadameriana para a defesa/recuperação de um sentido ético para a formação humana. Imaginamos que ao possibilitar essa experiência ética de reconhecimento, responsabilidade, abertura ao outro e, justamente por isso, de afetação/transformação de si mesmo, a hermenêutica filosófica recoloca para o cenário da formação humana alguns princípios que estão presentes no sentido originário de formação humana, expressas na ideia de <em>Paidéia</em> Grega e <em>Bildung</em> moderna. Defendemos a necessidade de a formação contemporânea recolocar o humano como centralidade do processo formativo, tal como a <em>Paideia</em> e a <em>Bildung</em> sustentavam, mas alargando as possibilidades formativas do sujeito através da <em>ética hermenêutica</em> da compreensão. Em que sentido? Possibilitando que o sujeito viva a experiência do eu, tal como queria o espírito pedagógico da <em>Aufklärung</em>, mas trazendo uma ética da alteridade, uma experiência em que o outro em sua estranheza pode aparecer, onde a responsabilidade em ouvi-lo e respondê-lo, em dar espaço de abertura e também abrir-se a ele, como sinal de reconhecimento por sua existência, possa ser possível. Porque isso alarga a experiência humana do eu, do outro, e de ter/fazer mundo, oferecendo a possibilidade de sermos arrebatados pelas questões que dizem de como coexistimos nesse algo comum.</p> Franciele da Silva dos Anjos Strohhecker Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18727 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 AS INFÂNCIAS CONTEMPORÂNEAS NO VIÉS DA TEORIA DA COMPLEXIDADE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18723 <p>Este artigo é resultado de um processo de intensas inquietações provocadas durante nossa caminhada na docência. Na medida em que fomos ampliando os conhecimentos sobre a história da infância, sentimo-nos cada vez mais desconcertadas quanto a este tema. A partir destes questionamentos o texto apresenta reflexões sobre as infâncias contemporâneas sob o viés da complexidade, no intuito de compreender como são concebidas no entendimento de alguns autores, de forma a dar visibilidade a esse sujeito histórico e social que é constituído nos ecos e reflexos das Culturas Infantis e das relações de poder que se estabelecem entre os sujeitos adulto/criança.</p> <p>Trata-se de um estudo teórico e bibliográfico inspirado em diversos autores, entre eles: Arroyo (2008), Corazza (2004), Larrosa (2010), Morin (2000; 2003; 2015), Postman (1999). No contexto da educação brasileira vivemos momentos de muitas incertezas. No que se refere às infâncias contemporâneas há muitos questionamentos por parte dos docentes, especialmente na Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental.</p> Paula Luiza Pündrich, Adriane Helena Dutra Quaresma, Celso José Martinazzo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18723 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 PISTAS CARTOGRÁFICAS COMO POSSIBILIDADE DE OPERACIONALIZAÇÃO DAS PESQUISAS EM EDUCAÇÃO/ ENSINO DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18713 <p>A Cartografia nunca foi apresentada como uma metodologia pelos filósofos franceses Gilles Deleuze (1925-1995) e Félix Guattari (1930-1992). Entretanto, ela pode ser entendida como um diferencial léxico Deleuze-Guattariano. Ainda que a cartografia possa funcionar de maneira próxima de uma metodologia, pode ser entendida enquanto possibilidade de se observar. De acordo com Deleuze e Guattari (1997), Passos et al. (2009), Romagnolli (2009), Fonseca e Kirst (2003), Rolnik (2008), mesmo que a cartografia seja operacionalizada sem a sustentação dos objetivos <em>a priori</em>, o pesquisador cartógrafo levará consigo um roteiro de angústias, tendo em Deleuze e Guattari (1995), ele mapeia ao invés de analisar ou interpretar, e, por isso, não persegue uma fórmula completa.</p> <p>&nbsp;A cartografia assume o fluxo do vir a ser, aposta na composição do documento, ou seja, pesquisar assume a postura de criação, sem que se perca o rigor no sentido de coerência interna.&nbsp; Encontramos forte presença do uso dessa prática e indícios da sua descrição, enquanto operação de observação, de estudo, de devir, evidenciando diferentes modos de usar, de desterritorializar, de escrever, ler e pensar a cartografia voltada para a pesquisa em diferentes publicações escritas, em conjunto ou individualmente pelos dois filósofos. Neste artigo, o verbo "usar" adquire o sentido de dispor dos conceitos, dos dispositivos, do fluxo das forças que ensejam tornar o enunciado visível, acompanhando as linhas desse movimento.</p> Daniela Carolina Ernest, Luciano Gonçalves Soares, Andressa de Camões Hilgert, Deniz Alcione Nicolay Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18713 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO NA ERA PLANETÁRIA EM TEMPOS DE PESTE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18710 <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; O conceito de educação planetária nunca esteve tão atual quanto no ano de 2020. Quando o vírus <em>Sars-CoV-2</em> se tornou global, tivemos a oportunidade de perceber que nos encontramos no mesmo Planeta. Apesar dessa obviedade, o individualismo tem se tornando crescente, fazendo com que percamos a noção de coletivo. Apesar da importância do senso de coletividade e sociedade, ainda é necessário abranger nossas perspectivas para além, atingindo a noção planetária.&nbsp;</p> <p>&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp;&nbsp; Esse trabalho tem como objetivo, relatar as experiências educacionais vivenciadas durante a pandemia de <em>Sars-CoV-2</em>, relacionando brevemente com os fundamentos da Era Planetária, de Morin et al. (2003). Os três autores desse trabalho são duas professoras do Ensino Fundamental dos municípios de Ijuí e Coronel Barros, uma de Ciências e uma de Língua Inglesa, e um professor do Ensino Médio da rede pública estadual do Rio Grande do Sul, de Língua Portuguesa.</p> Ana Laura Arnhold, Ulisses Stefanello Karnikowski, Jamile Tábata Balestrin Konageski Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18710 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 MODERNIDADE, COMPLEXIDADE E EDUCAÇÃO: MOVIMENTOS DE COMPREENSÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18799 <p><span style="font-weight: 400;">Os modos de compreensão e aplicação do conhecimento ao longo do tempo estabelecem-se como paradigmas. A prática pedagógica tende a afinar-se com o paradigma vigente, isto é, o fazer da educação é sempre pautado por modelos, sejam eles conservadores e fragmentados – como temos na modernidade, ou mais sistêmicos com características criativas e transformadoras – no caso da complexidade.&nbsp;</span><span style="font-weight: 400;">Salienta-se a ideia de que não existe uma ruptura entre um paradigma e outro, pois eles podem operar de modo concomitante. A exemplo de como as concepções de conhecimento diferentes coexistem, temos os currículos escolares. A didática dos docentes também aponta para uma simultaneidade de pontos de vista relacionados ao conhecimento. Cabe compreender como esses paradigmas – moderno e complexo – materializam-se na educação escolar e no pensamento pedagógico, bem como as possíveis limitações dos mesmos.&nbsp;</span></p> Carla Riethmüller Haas Barcellos, Luana Rodrigues dos Santos Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18799 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 INCLUSÃO ESCOLAR E FORMAÇÃO INICIAL DOCENTE https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18782 <p>Recorrente em falas, discursos, pesquisas e com considerável literatura, a temática da inclusão da pessoa com deficiência hoje está disposta em Lei, nº 13.146 (BRASIL, 2015). Um direito indiscutível, mas assim como a educação (BRASIL, 1988; 1996), em prática, pouco ou minimamente se efetiva. Assim, as discussões aqui apresentadas provêm de pesquisas realizadas no projeto <em>Revisando Dados e Metodologias: Inclusão Escolar na Escola e na Formação Inicial Docente</em><a href="#_ftn1" name="_ftnref1"><sup>[1]</sup></a><sup>4</sup>, cujo objetivo deste projeto foi investigar qual preparo as docentes do curso de pedagogia, formação docente inicial, consideram como fundamental para a inclusão escolar.</p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1"><sup>[1]</sup></a>Aprovado pelo edital 28/2018 do Programa INICIE/UERGS – INICIE-AAF/UERGS – INOVATEC/UERGS, PROBIC/PROBITI-FAPERGS, PIBIC/PIBIC-AF/PIBIT-CNPq.</p> Salete Mendes de Oliveira, Rovian Silva da Silva, Arisa Araujo da Luz Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18782 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO E A INCLUSÃO DE ALUNOS COM ALTAS HABILIDADES / SUPERDOTAÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18769 <p>Diversos são os desafios da educação na contemporaneidade. As discussões a respeito da educação especial e da educação inclusiva mobilizam diferentes saberes e esferas da sociedade, e suscitam a necessidade de políticas públicas que assegurem maiores investimentos na área. Cabe às políticas da educação especial e da educação inclusiva garantir o direito ao acesso, à permanência e à participação de todos na escola, bem como na construção de relações mais igualitárias na sociedade, respeitando as necessidades educativas singulares dos indivíduos.</p> <p>No Brasil, o direito ao acesso e à permanência na escola pública é assegurado por lei, que implica na inclusão de pessoas com necessidades educacionais especiais, por meio do Atendimento Educacional Especializado (doravante AEE). Entretanto, é preciso considerar que o público da Educação Especial na escola não pode ser considerado apenas aqueles alunos que apresentam algum tipo de deficiência intelectual ou física, mas também os alunos que possuem Altas Habilidades/ Superdotação (doravante AH/SD).</p> Jamile Tábata Balestrin Konageski, Ana Laura Arnhold Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18769 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 AUTISMO: UMA PERSPECTIVA FAMILIAR E SOCIAL ATRAVÉS DE ANÁLISE DE BLOGS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18739 <p>A medida em que os casos diagnosticados de Autismo aumentam e com os autistas em idade cada vez mais reduzida, juntamente com o atual movimento no cenário educacional em prol da inclusão de toda e qualquer pessoa na rede de ensino regular, torna-se mais provável que o profissional pedagogo encontre autistas em seus locais de atuação.</p> <p>É necessário que os profissionais da área da educação saibam como trabalhar de forma qualificada com essas crianças, para que assim possam auxiliar no processo de inclusão desses indivíduos no ambiente escolar de forma que se sintam acolhidos e tenham suas necessidades atendidas.</p> Juliane Cláudia Piovesan, Gabrieli Schäffer Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18739 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 EDUCAÇÃO ESPECIAL E O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA: UMA ANÁLISE DAS PUBLICAÇÕES DO ENCONTRO NACIONAL DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO EM CIÊNCIAS (ENPEC) DE 2011 A 2017 https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18796 <p align="justify">“<span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;">O mundo gira e, nestas voltas, vai mudando, e nestas mutações, ora drásticas ora nem tanto, vamos também nos envolvendo e convivendo com o novo, mesmo que não nos apercebamos disso” (MANTOAN, 2003, p. 11). Por que começar um artigo desta forma? A Educação Especial (EE) é um processo que necessita de formação e “transformações paradigmáticas” (BEYER, 2003, p. 3), porém não se deve visualizar esse ensino como algo drástico ou monstruoso, e sim como um benefício para o aluno com deficiência e para toda a comunidade escolar.&nbsp;</span></span><span style="font-family: 'Times New Roman', serif;"><span style="font-size: medium;"> Neste sentido, frequentemente é feita a associação de que somente os professores e os alunos com deficiência estão vinculados a EE, porém não são apenas estes os envolvidos, o ensino vai muito além dos muros das escolas ou das paredes das salas de aula (MENDONÇA, 2015). Esta modalidade de ensino atinge a todos, sejam eles, o aluno com deficiência, os colegas, os professores, os funcionários da escola, os responsáveis, a família e, por fim, e não menos importante, a sociedade em geral.</span></span></p> Erica do Espírito Santo Hermel, Rafaela Spohr Haas Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18796 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 UMA HERMENÊUTICA SOBRE A IMPLEMENTAÇÃO DA NOVA POLÍTICA NACIONAL DE EDUCAÇÃO ESPECIAL EQUITATIVA, INCLUSIVA E COM APRENDIZADO AO LONGO DA VIDA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18731 <p>Em outubro de 2020 foi implantada uma nova política nacional de educação especial, via o decreto nº10.502 (BRASIL, 2020). O presente texto origina-se das discussões oriundas do projeto de pesquisa Inclusão Escolar e Práticas Docentes Inovadoras na Escola, de modo que após a divulgação do Decreto, analisá-lo com a ordem jurídica instituída, constituída ao longo de décadas em defesa dos direitos das pessoas com deficiência e avaliar se o modelo inclusivo se faz presente, torna-se necessário devido aos possíveis impactos que poderão causar à educação das pessoas com deficiência.</p> <p>As discussões acerca da educação das pessoas com deficiência no Brasil nos últimos trinta anos fundamentaram-se em princípios em defesa de uma educação que possui como meta a construção de uma sociedade global inclusiva. Nestes trinta anos de discussões sobre os fundamentos, prática e organização de um espaço inclusivo dentro da escola, consolidou-se uma série de políticas públicas e leis que visassem a garantia dos direitos das pessoas com deficiência, principalmente tratando-se da educação, que historicamente constituiu-se em modelos segregatórios. A Constituição de 1988, alinhada a um movimento internacional de inclusão do qual o Brasil participa, herda as conquistas das décadas anteriores acerca da integração das pessoas com deficiência na sociedade, aprimorando dispositivos legais de acordo a uma nova mentalidade que possibilita novas práticas e recursos no reconhecimento das necessidades, direitos e desenvolvimento de pessoas com deficiência na sociedade, assim como o desenvolvimento da própria sociedade em não ser discriminatória.</p> Matheus Venquiaruti, Vanessa Rodrigues Grigolo, Bryan Leal de Melo, Arisa Aráujo da Luz Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18731 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 OS DESAFIOS DA DIDÁTICA PEDAGÓGICA NA PERSPECTIVA DA EDUCAÇÃO ESPECIAL DURANTE A PANDEMIA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18689 <p>&nbsp;</p> <p>A didática pedagógica é fundamental no processo de planejamento e na execução de uma aula, pois é a partir da didática utilizada pelo professor que se constroem as aprendizagens dos alunos. Estudar, pensar e planejar a forma de abordar determinados conteúdos é um processo que demanda tempo e muito conhecimento do professor sobre a turma com que ele está trabalhando e irá desenvolver sua didática.&nbsp;Dessa forma, o processo de elaboração de uma aula se torna um grande desafio para os professores, pois para tornar sua aula didática, atraente e significativa para os alunos é necessário que o mesmo tenha conhecimento sobre a turma de modo geral, mas que ele também saiba sobre algumas particularidades de cada aluno.</p> Júlia Amanda Herter Schneider, Eulália Beschorner Marin Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18689 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 INCLUSÃO NA UNIVERSIDADE: QUESTÕES, DILEMAS E DESAFIOS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18735 <p>Na esfera brasileira, o direito de acesso à educação (BRASIL, 1988), subsequente, a Lei de Diretrizes e Bases (BRASIL, 1996), o Plano Nacional da Educação (BRASIL, 2014), e mais tardiamente, a Lei Brasileira da Inclusão 13.146 (BRASIL, 2015), tornaram conjunturas favoráveis para a discussão, elaboração e implementação de modelos educacionais ditos inclusivos. Nessa concepção, referente à Inclusão Educacional de pessoas com deficiência nas universidades, somando-se as Políticas de Educação Inclusiva, as Políticas de Expansão do Ensino Superior, as Ações Afirmativas das próprias instituições, muito se tem a reconsiderar para que se possibilitem condições inclusivas dentro do contexto universitário.</p> <p>Assim, o presente ensaio, tece reflexões, acerca de questões, dilemas e desafios que envolvem a temática da inclusão educacional de estudantes com deficiência no espaço da universidade, de modo a transversalizar as discussões em sentido social. A partir deste propósito, fizeram-se análises críticas da literatura, em momentos dialógicos no Grupo de Pesquisas Inclusão Escolar e Práticas Docentes, da Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS, uma das instituições públicas pioneiras na reserva de vagas para estudantes com deficiência. Ressaltamos que todos os estudos são frutos de projetos de pesquisas de longos anos, neste, mais especificamente, resultantes de investigações conduzidas no decorrer do ano de 2019, o qual objetivou acompanhar as práticas didático-pedagógicas de docentes do Ensino Fundamental - anos iniciais - e de docentes do Curso de Pedagogia estabelecendo relações entre o trabalho na formação inicial e na escola.</p> Rovian Silva da Silva, Arisa Araujo da Luz Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18735 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300 CURRÍCULO E FORMAÇÃO DO PROFESSOR https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18793 <p>Este artigo foi escrito a partir da leitura dos autores Henry Giroux, Roger Simon e Peter McLaren na disciplina de “Alternativas curriculares emancipatórias nas diferentes áreas de saberes: reflexões epistemológicas” do Programa de Pós-Graduação Mestrado em Educação nas Ciências da UNIJUÍ. A leitura desses autores contribuiu para as reflexões sobre como o currículo vem se apresentando no contexto escolar.&nbsp;O objetivo deste artigo é analisar as compreensões críticas dos autores Henry Giroux, Roger Simon e Peter McLaren acerca da influência das forças políticas e econômicas no currículo escolar e a importância da formação do professor para atuar criticamente contra as ideologias que favorecem apenas as classes sociais dominantes.</p> <p>Os autores Giroux, Simon e Mclaren escrevam os capítulos IV e V do livro “Currículo, Cultura e Sociedade” (2008) que foi organizado por Antônio Flávio Barbosa Moreira e Tomaz Tadeu da Silva. Nesta obra, as propostas oficiais de currículo escolar que se desenvolveram ao longo do tempo são criticadas. Além disso, esses autores apresentam alternativas que se contrapõe a lógica econômica e social travada pelo capitalismo, mostrando que a formação de professores é indispensável para a revisão do currículo escolar.&nbsp;O problema de investigação consistiu em encontrar autores que tratam da concepção do currículo escolar considerando a formação e a visão dos professores que trabalham nas escolas, sendo que estes conhecem melhor a realidade dos seus alunos, seus anseios, suas inquietações e suas necessidades.</p> Carla Maria Leidemer Bruxel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18793 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 COMPREENSÃO CONTEUDISTA-INGÊNUA ACERCA DE CURRÍCULO ESCOLAR: UMA INVESTIGAÇÃO A PARTIR DOS DISCURSOS DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18762 <p>Este texto decorre de preocupações que temos com o processo de construção curricular nos espaços escolares. Em nossos estudos temos percebido que as compreensões curriculares identificadas em contextos de ensino refletem a identidade do currículo proposto na instituição. Destacamos que, nossas pesquisas perpassam as questões relacionadas às compreensões curriculares dos professores no ensino de Ciências, sendo que temos defendido pelo menos três categorias de compreensões predominantes nos discursos de professores, sendo elas: conteudista-ingênua, conteudista-crítica e crítico-reflexiva.</p> Kelly Karine Kreuz, Fabiane de Andrade Leite Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18762 Qua, 23 Dez 2020 00:00:00 -0300 O CURRÍCULO E O ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA - PRIMADO DOS DESEJOS E DAS SUBJETIVIDADES: UMA DISCUSSÃO A PARTIR DA FILOSOFIA DA DIFERENÇA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18704 <p>&nbsp;Escrito de maneira ensaística, o texto enseja problematizar o currículo e o ensino de Ciências da Natureza, a partir do primado dos desejos e das subjetividades, na perspectiva da Filosofia da Diferença. Questionamo-nos, dessa forma, sobre: O que entendemos por currículos escolares? De que maneira e quais atividades curriculares podem contribuir nos processos de aprender e de ensinar visando a atender as carências, faltas ou desejos dos alunos? Pode o currículo e o ensino de Ciências da Natureza dar conta das diferenças?</p> <p>Como ferramenta de operacionalização desta escrita, faremos uso da cartografia enquanto possibilidade de se observar. De acordo com Deleuze e Guattari (1997), Passos et al. (2009), Fonseca e Kirst (2003), Rolnik (1989), neste sentido assume o fluxo do <em>vir a ser</em>, porque trabalha com o entendimento da composição do documento, onde o pesquisador assume a postura de criação, sem que se perca o rigor no sentido de coerência.</p> Sirlei Rigodanzo, Daniela Carolina Ernst, Cátia Keske, Sandra Elisabet Bazana Nonenmacher Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18704 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 LIVROS DIDÁTICOS E O ENSINO DE BOTÂNICA https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18702 <p>A preocupação com a boa qualidade dos Livros Didáticos (LD) no Brasil está presente desde o século passado. Em 1929 criou-se um órgão específico para legislar sobre as políticas do LD, consequentemente aumentando sua produção (BRASIL, 2020).</p> <p>Os LD passaram a ser produzidos para o Ensino Fundamental (EF), em 1971, pelo Instituto Nacional do Livro (INL), no então conhecido como Programa do Livro Didático para o Ensino Fundamental (PLIDEF). No ano de 1992, a distribuição passa a ser comprometida por limitações orçamentárias, havendo recuo na sua abrangência e passando a atender somente estudantes até a 4º série do EF. Somente em 1993 foram destinados recursos para a aquisição de LD para os alunos da rede pública de ensino, tornando-se regular sua distribuição no País (BRASIL, 2020).</p> Vanessa de Lima, Roque Ismael da Costa Güllich Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18702 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 CONCEPÇÕES DE CURRÍCULO DE LICENCIANDOS EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS ANALISADAS EM UM PROCESSO DE INVESTIGAÇÃO-FORMAÇÃO-AÇÃO https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18696 <p>Neste estudo serão apresentadas reflexões das análises de concepções de currículo pelos Licenciandos em Ciências Biológicas, num processo de investigação-formação-ação (IFA) (GÜLLICH, 2012; EMMEL, 2019). Ocorreu a partir de um processo de IFA (GÜLLICH, 2012) durante o quarto semestre do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, no componente curricular Didática, Currículo e Organização do Trabalho Pedagógico, com foco no currículo e no ensino de Ciências e de Biologia.&nbsp; Analisaram-se os processos de transformações de concepções de currículo, que foram identificados a partir das escritas narrativas dos licenciandos. Deste modo, foi possível identificar ciclos reflexivos, que de acordo com Contreras (1994, apud GÜLLICH, 2012, p. 45) são relacionadas à “molas propulsoras que vão desencadeando a direção do processo formativo e permitem avanços teóricos, investigativos e constitutivos dos sujeitos da pesquisa”, e os movimentos formativos constitutivos de uma espiral em expansão.</p> Taciara Lais Borgartz, Rubia Emmel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18696 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 UMA ANÁLISE ACERCA DA EXPERIMENTAÇÃO E DAS CONCEPÇÕES DE CURRÍCULO PRESENTES NOS PROJETOS PEDAGÓGICOS DOS CURSOS DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS BIOLÓGICAS DOS INSTITUTOS FEDERAIS DA REGIÃO SUL DO PAÍS https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18687 <p>&nbsp;O objetivo desse estudo foi investigar como as disciplinas preveem a Experimentação nas aulas práticas, além de analisar a forma como as concepções/teorias curriculares estão apresentadas nos Projetos Pedagógicos dos Cursos (PPC) vigentes de licenciatura em Ciências Biológicas dos Institutos Federais da Região Sul do país.&nbsp;A escolha pelos Institutos Federais considera o Art. 5º da lei nº 11. 892 de 29 de dezembro de 2008, que institui a sua presença nas diferentes unidades da federação, ressaltando a possibilidade de que eles oferecem, no mesmo local, os diferentes níveis de ensino, desde a Educação Básica, tornando-se, assim, um diferencial que chama a atenção para a pesquisa.</p> <p>&nbsp;</p> Eduarda da Silva Lopes, Erica do Espirito Santo Hermel Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18687 Qui, 24 Dez 2020 00:00:00 -0300 editorial https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18804 <p align="justify">&nbsp;<span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">A realização do XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e o I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisa em Educação nas Ciências (SIEPEC), nos dias 25 e 26 de novembro de 2020, marcar</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">am</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"> os 25 anos do Programa de Pós-Graduação em Educação nas Ciências (Jubileu de Prata), com homenagem ao professor Mario Osorio Marques, um dos fundadores da FIDENE - UNIJUÍ. Ademais, os eventos apresentam como temática central a “Educação e ciência: desafios do mundo contemporâneo”, por meio da qual </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">foi </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">constitui</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">do</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"> um espaço de problematizar questões sociocientíficas, informações, discursos, mídias digitais e sua relação com a educação </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">básica e superior</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">, </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">desenvolvimento de currículo e constituição </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">conhecimento </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">profissional </span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">de professor, no mundo contemporâneo. Estes eventos objetiva</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">ra</span></span><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">m proporcionar um debate sobre o papel da Educação e da Ciência em relação aos obscurantismos contemporâneos no cenário educativo atual, buscando apresentar pesquisas sobre ensino e extensão, que contribuam na formação integral e cidadã dos sujeitos. Aqui entra em debate uma educação inclusiva, equitativa e de qualidade em todos os níveis de ensino, proporcionando oportunidades de aprendizagem aos sujeitos visando o desenvolvimento de conhecimentos e habilidades que promovam a participação responsável e criativa na sociedade em que atuam. </span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">Assim, o evento como um todo contribui com a tarefa de compreender a atual conjuntura educativa e apresentar alternativas e perspectivas </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">outras</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"> para a educação, oportunizando momentos de diálogo e reflexão </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">n</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">um programa </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">de pós-graduação, </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">que se preocupa com uma educação de qualidade </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">para atender</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"> a urgência do desenvolvimento </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">de</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;"> novas gerações cidadã</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">s.</span></span></span> <span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">Foram recebidos 1</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">39 artigos </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">aceitos para apresentação e publicação nos Anais do XXI ENACED e</span></span></span> <span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">I SIEPEC. Organizamos a publicação segundo os </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">eixos temáticos </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">propostos: </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">1 - </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">C</span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">urrículo da educação infantil, alfabetização e letramento; 2- Releitura dos teóricos em educação; </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">3- </span></span></span><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: medium;">Desenvolvimento de Currículo; 4- Educação inclusiva: diferença e diversidade na escola; 5 - Cidadania, cultura e currículo; 6 - Práticas pedagógicas, formação de professores e formação continuada; 7 - Educação digital e tecnologia; 8 - Educação ambiental, sustentabilidade e desenvolvimento social; 9 - Educação contemporânea: gestão e políticas públicas; 10 - Aprendizagem na educação básica: desafios e perspectivas curriculares; 11 - Educação e trabalho - Ensino Politécnico – Ensino Médio; 12 - Pesquisa, ensino e extensão; 13 - Gênero, sexualidade e educação. </span></span></span></p> Maria Cristina Pansera de Araújo Copyright (c) 2020 XXI Encontro Nacional de Educação (ENACED) e I Seminário Internacional de Estudos e Pesquisas em Educação (SIEPEC) https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enacedesiepec/article/view/18804 Seg, 28 Dez 2020 00:00:00 -0300