ERVAS MEDICINAIS E A CULTURA KAINGANG: UM ESTUDO SOBRE A PRESENÇA DA TEMÁTICA NO CURRÍCULO REAL DA ESCOLA

  • Adailton Fojin Freitas UFFS Campus Laranjeiras do Sul/PR
  • Liria Ângela Andrioli Campus Laranjeiras do Sul/PR
Palavras-chave: Terra Indígena. Currículo. Cultura. Ervas medicinais.

Resumo

O presente trabalho visa aprofundar a prática social e cultural indígena, a coleta, o uso das ervas medicinais e como estas questões são tratadas no currículo real, nos planos de ensino dos professores, para estimular o conhecimento que os alunos têm sobre o tema. A pesquisa se delimita no Colégio Estadual Rural Indígena Rio das Cobras, localizado no município de Nova Laranjeiras/PR, na Terra Indígena Rio das Cobras.

Acredita-se que os indígenas Kaingang/Kanhgág[1] têm suas próprias formas de coleta de ervas medicinais e, assim, se diferenciam dos indígenas de diferentes etnias que fazem parte do mesmo tronco Jê, contrariando, desse modo, o estereótipo de que “todos os indígenas são iguais”. O estudo tem como propósito aprofundar a problemática anunciada, tendo como público alvo os próprios jovens da aldeia sede da Terra Indígena Rio Das Cobras.

A temática está interligada com a realidade e se mostrou uma pesquisa relevante, já que a prática de coleta e o uso das ervas medicinais é um elemento importante na formação de identidade cultural Kanhgág. O método utilizado foi de pesquisa qualitativa, com viés etnográfico e realização de entrevistas semiestruturadas.

 

[1] Utilizaremos o termo Kanhgág para nos referir à cultura Kaingang.

Publicado
2020-12-24
Seção
5 - Cidadania, cultura e currículo