INVESTIGANDO GÊNERO: UMA ANÁLISE DAS CONCEPÇÕES DE ESTUDANTES NO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Gabriele Strochain
  • Artiese Madruga Machado IFFar Santa Rosa
  • Raissa Lenhard IFFar Santa Rosa
  • Rúbia Emmel IFFar Santa Rosa
Palavras-chave: Educação. Ensino de Ciências. Formação de Professores. Identidade de Gênero.

Resumo

Os conceitos de gênero enraizados em nossa sociedade patriarcal, são produtores da desigualdade de gênero. As questões de gênero propõem interações com a palavra patriarca, vocábulo que se origina da combinação das palavras gregas pater (pai) e arkhe (origem, comando) e conforme Colling e Tedeschi (2019, p. 578) “a expressão refere-se a uma forma de organização familiar e social em que um homem, o patriarca, submete os outros membros da família ao seu poder”. Maio (2020, p. 8) destaca “que o patriarcado é baseado em um sistema de hierarquia baseado nas questões de gênero, que atribui, quase desde o útero, mais valor e supremacia aos homens”. Esse sistema hierarquizado e aprisionador, faz com que tanto homens quanto mulheres, acabem reforçando conceitos patriarcais, educando as crianças com as marcas permanentes de gênero, separando características ditas para “meninos” e para “meninas”, reforçadas por roupas, cores, brinquedos, atitudes, ações diferentes para cada gênero.

Deste modo, entende-se que as identidades de gênero são representações sociais historicamente construídas, que foram determinando a homens e mulheres lugares diferenciados na sociedade, conforme os estudos de Silva (2004). A mudança de conceitos patriarcais, caminha a passos curtos, à frente dessa mudança está o movimento feminista.

Publicado
2020-12-24
Seção
13 - Gênero, sexualidade e educação