DISCUSSÕES SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS DA PANDEMIA COVID-19 NO ENSINO E NA APRENDIZAGEM, NA GRADUAÇÃO, EM 2020

  • Graciela Geraldo UFSM
  • José Mário Pansera de Araújo UNIJUI
  • Maria Cristina Pansera de Araújo UNIJUI
Palavras-chave: Ensino. Ensino-Aprendizagem. Ensino Superior. Pandemia Covid-19. TICs.

Resumo

No início de 2020, a pandemia causada pelo COVID-19 chegou ao Brasil provocando mudanças não só no aspecto social e econômico, mas também na organização do ensino em instituições de Educação Superior, as quais precisaram suspender as atividades presenciais para seguir as recomendações de distanciamento físico emitidas pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Esta recomendação visa minimizar o risco de contaminação das pessoas, visto que a taxa de mortalidade causada pelo coronavírus é bastante alta, cerca de 72,2 mortes em cada 100.000 habitantes (BRASIL, 2020). Em continuidade, o Ministério da Educação do Brasil publicou a portaria nº 343, em 17 de março de 2020, permitindo a substituição das aulas presenciais por aulas remotas digitais.

O uso das Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC) e das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), que compreendem um conjunto de equipamentos e aplicações tecnológicas que utilizam a internet e o digital, no ensino e aprendizagem, é tema de vários estudos (ALMEIDA, BORGES & FRANÇA, 2012), quase sempre vinculado à Educação à Distância (EAD). O que provoca questionamentos é o papel assumido pelas tecnologias, no ensino remoto sincrônico, adotado em 2020, em resposta ao isolamento físico, em decorrência da pandemia.

Publicado
2020-12-24
Seção
7 - Educação digital e tecnologia