LIVROS DIDÁTICOS E O ENSINO DE BOTÂNICA

  • Vanessa de Lima UFFS
  • Roque Ismael da Costa Güllich UFFS
Palavras-chave: Botânica. Currículo. Ensino de Ciências. Ensino de Botânica. Material didático.

Resumo

A preocupação com a boa qualidade dos Livros Didáticos (LD) no Brasil está presente desde o século passado. Em 1929 criou-se um órgão específico para legislar sobre as políticas do LD, consequentemente aumentando sua produção (BRASIL, 2020).

Os LD passaram a ser produzidos para o Ensino Fundamental (EF), em 1971, pelo Instituto Nacional do Livro (INL), no então conhecido como Programa do Livro Didático para o Ensino Fundamental (PLIDEF). No ano de 1992, a distribuição passa a ser comprometida por limitações orçamentárias, havendo recuo na sua abrangência e passando a atender somente estudantes até a 4º série do EF. Somente em 1993 foram destinados recursos para a aquisição de LD para os alunos da rede pública de ensino, tornando-se regular sua distribuição no País (BRASIL, 2020).

Biografia do Autor

Vanessa de Lima, UFFS

Licencianda do curso de Ciências Biológicas - Licenciatura, Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), campus Cerro Largo - RS

Roque Ismael da Costa Güllich, UFFS

Licenciatura em Ciências Biológicas. Mestre e Doutor em Educação nas Ciências. Professor da Área de Ensino de Ciências/Biologia, Coordenador do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências – PPGEC, Tutor do PETCiências – FNDE-MEC/UFFS, Pesquisador Líder do GEPECIEM, Editor da Revista Insignare Scientia

Publicado
2020-12-24
Seção
3 - Desenvolvimento de Currículo