A SENZALA E A MACUMBA COMO ORIGEM DAS GENTES PRETAS NO BRASIL: O SINCRETISMO RELIGIOSO E A BIOPOLÍTICA

  • Laura Mallmann Marcht UNIJUÍ
  • Quézia Celeste Vanzin

Resumo

Resumo: Este ensaio, diante dos preconceitos ainda velados em relação à raça e à religião, busca investigar de que modo esses fatores atuam enquanto elementos biopolíticos – que exercem controle enquanto biopoderes –. Diversos estigmas são mantidos de forma oculta na contemporaneidade, e esta pesquisa tem como objetivo propor a discussão de certos conceitos como meio de reflexão para romper com determinados tabus. A pesquisa é de natureza qualitativa, tem como método o fenomenológico e utiliza da técnica da pesquisa bibliográfica como fonte principal de coleta e racionalização de dados. O objeto de estudo é atemporal e pontual para a reflexão das atuais estratificações simbólicas.

Palavras-chave: Biopoder; Direitos Humanos; Discriminação; Racismo; Violência.

Publicado
2019-03-14
Edição
Seção
Multiculturalismo, Biopolítica e Gênero