SEGREGAÇÃO E ESPACIALIZAÇÃO DAS DESIGUALDADES SOCIAIS: ENCLAVES FORTIFICADOS

  • Ana Cristina Mendes UNIJUÍ
  • Elenise Felzke Schonardie UNIJUÍ

Resumo

O presente artigo tece algumas considerações sobre questões ligadas ao direito à cidade e suas implicações no que diz respeito a segregação social e também espacial, bem como as consequências que ambas as espécies de segregação trazem para os citadinos, analisando, ainda, a interferência e/ou consequências trazidas pelas desigualdades sociais no que pertine a estruturação urbana e o surgimento dos enclaves fortificados como nova forma de estrutura urbana. Também, pondera sobre a autossegregação que vem sendo realizada pela classe com alto poder aquisitivo. Conclui que a desigualdade espacial é fruto da desigualdade social e,  no as regiões com maior segregação são as áreas metropolitanas brasileiras, pois são o lugar de maior concentração de pessoas,  de capital e de apropriação desigual dos espaços urbanos em razão da privatização dos espaços públicos.

Palavras-chave:  Autossegregação. Desigualdades. Enclaves Fortificados. Segregação socioespacial.

Publicado
2019-04-15
Edição
Seção
Cidade, Ambiente e Sustentabilidade