MOVIMENTOS INDÍGENAS LATINOAMÉRICANOS: SÍMBOLO DE RESISTÊNCIA, LUTA É DEFESA DE SEUS DIREITOS. CASO DA BOLÍVIA, CHILE É MÉXICO

  • Gaviota Karolina Tobar Casanova UNIJUÍ
  • Fernando Augusto Mainardi UNIJUÍ

Resumo

Os movimentos indigenistas aportam na transformação do pensamento político latinoaméricanos e na construção da descolonização do pensamento, pela importância de suas lutas, e a resistência que fazem contra políticas neoliberais que vão em contramão de sua cultura, tradições e conectividade com a natureza. Desde o descobrimento da América se estabelece a supremacia dos europeios pelos índios e os negros, reforçando o conceito de raça como estratégia de dominação pelos outros; na nossa história, as comunidades indígenas ao sofrido pela tendência dos Estados a não reconhecer essas comunidades é o respeito aos direitos delas, levando-lhes a condições paupérrimas de pobreza, segregação, marginalidade até o risco do extermínio. A organização dos movimentos indígenas há conseguido ressignificar a importância destes povos e ter um papel significativo dentro dos processos políticos do subcontinente; a pergunta que tratasse de resolver neste artigo é se a resistência aos governos, a defesa dos direitos originários e humanos, leva eles a se organizar conseguindo resgatar suas costumes, e desconstruindo o discurso hegemônico do poder estabelecendo uma autonomia que sustenta ao mesmo tempo a descolonização do pensamento?. O objetivo deste artigo é apresentar os aportes que dão as mobilizações e a luta dos movimentos indígenas ao fortalecimento do pensamento decolonial dos meios colonizadores que ainda se mantem. A pesquisa analisa o problema através do método crítico-social como ferramenta de investigação científica, estudando a questão proposta através de uma análise dos casos pontuais dos movimentos da Bolívia, Chile e México. Utilizando no seu delineamento a coleta de dados em fontes bibliográficas disponíveis em meios físicos e bancos de dados digitais de artigos científicos, de autores e pesquisadores latinoaméricanos sobre o tema a desenvolver. Mostrando como resultado a importância da resistência indígena para a reivindicação de seus direitos como povo originário, a defesa dos outros direitos e a luta pelo reconhecimento a sua diferencia a partir do respeito pelo outro.

Palavras chave: Descolonização do Pensamento. Direitos Originários. Movimentos Indígenas. Direitos Humanos.

Publicado
2019-04-12
Edição
Seção
Direitos Humanos, Relações Internacionais e Equidade