PERSPECTIVAS DOS PROFESSORES DE CIÊNCIAS DA NATUREZA DO PROEJA DO IFFAR CAMPUS PANAMBI A CERCA DO CURRÍCULO INTEGRADO NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL DE JOVENS E ADULTOS TRABALHADORES

  • Sandra Elizabete Bazana Nonnemacher IFFarroupilha Campus Panambi
  • Daniela Carolina Ernst IFFarroupilha Campus Panambi
  • Cintia Beatriz Diehl Güntzel dos Santos IFFarroupilha Campus Panambi
  • Ana Rita Kramer da Fontoura IFFarroupilha Campus Panambi
  • Talita Abi Rios Timmermann IFFarroupilha Campus Panambi
  • Rita de Cássia Camilio IFFarroupilha Campus Panambi
Palavras-chave: Trabalho. Educação. Currículo Integrado.

Resumo

Pesquisas educacionais ao longo da última década apontam a importância do Currículo Integrado (CI) para a formação de sujeitos omnilaterais, contudo, ainda existe uma descontinuidade entre o que se ensina e o que se pretende formar com o currículo integrado. Buscando caminhos para a superação dessas dualidades presentes na formação de Jovens e Adultos, estudantes de cursos PROEJA, é que se desenvolveu essa pesquisa de cunho qualitativo e que usou como instrumento a pesquisa de campo. Foram analisados os discursos, numa perspectiva foucaultiana, de professores de Ciências da Natureza (Biologia, Física e Química). A intencionalidade da pesquisa era de investigar se os professores dessa área de conhecimento conseguiam apontar possíveis caminhos para a implementação do Currículo Integrado em cursos de PROEJA, identificando e tentando entender seus processos formativos iniciais e de educação continuada. Além disso, tentou-se compreender e explicar os limites e reflexões desses professores sobre suas próprias práticas. Para tanto, foram entrevistados no segundo semestre de 2018, 3 professores que trabalham com Ciências da Natureza no Instituto Federal Farroupilha Campus Panambi na modalidade PROEJA, sendo respectivamente um docente de química, física e biologia, porque entendemos que o tempo-espaço da sala de aula é o âmago da implementação desse currículo e esse entendimento pode direcionar para a percepção do conjunto de diferenças que dele fazem parte e assim contribuir para a sua efetiva aplicação. Os resultado das análises apontam para uma multiplicidade de diferentes discursos com uma conotação de identidades que estão sempre à procura da sua finalização, só que nunca se finalizam. Os conhecimentos da área de Ciências da Natureza selecionados para o PROEJA são aqueles valorizados pelo sistema neoliberal que são categorizados, formatados, compreendendo uma rede de sistemas de significação e de sentidos que por si mesmos instituem a diferença. São definidos em meio às relações de luta e poder que acontecem nos espaços escolares, são voláteis, por vezes arbitrários e produtores das mesmas relações de poder e opressão. Ao mesmo tempo, os docentes assinalam que é fundamental para o profissional que atua nessa modalidade de ensino, o comprometimento com a transformação social através de suas práticas e se enxergam como agentes de transformação, quando apontam a necessidade da Instituição (IFFAR) investir em capacitação para a atuação dos mesmos no PROEJA. Acreditam que a oferta de cursos de formação continuada poderiam ajudá-los a perceber as nuances das relações de poder e também, pesquisarem sua própria prática, no sentido da pesquisa-ação-reflexão e com isso, adequando suas atuações às necessidades das diversas realidades presentes na sala de aula.

Publicado
2019-07-24