A PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR NA PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES

  • Amanda Laís dos Santos
  • Judite Scherer Wenzel

Resumo

O presente resumo apresenta um recorte de uma pesquisa sobre a formação inicial de professores de química que objetiva visualizar de que forma a Prática como Componente Curricular (PCC) tem sido inserida junto à formação inicial de professores de química. Realizamos uma revisão bibliográfica nos anais do Encontro Nacional do Ensino de Química (ENEQ) do ano de 2006 à 2016 e selecionamos os trabalhos que contemplaram os termos “formação inicial de professores”, “formação inicial docente” e “formação inicial” no título e/ou nas palavras chave. Com esses critérios, foram filtrados 50 trabalhos, que mediante análise foram (sub)divididos em cinco focos temáticos: Compreensões acerca da Docência, Linguagem e Comunicação Científica, Questões sócio-ambientais na Formação Docente, Recursos Didáticos e Legislação/Estrutura Curricular. No presente resumo atenção para a discussão acerca da estrutura curricular dos cursos de licenciatura e a PCC. A problemática abordada está vinculada às reformas curriculares decorrentes das diretrizes nacionais (2001, 2005, 2015) para a formação de professores que destinam 400 horas da formação para a PCC. Essa orientação pressupõem que a prática não fique restrita a uma disciplina isolada, mas que perpasse todos os Componentes Curriculares do Curso. Tais exigências das reformas curriculares têm se desdobrado em formas mais amplas de superação do modelo da racionalidade técnica, que se mostrou “incapaz de atender às necessidades formativas dos profissionais” (MALDANER, 2014, p.22). Coube, portanto, aos Cursos de Licenciatura redefinirem sua organização de modo a proporcionar um “repensar” do perfil do professor em formação, não mais como um mero técnico aplicador de conhecimentos externos a ele e ao seu trabalho, mas como sujeito da construção e reconstrução do conhecimento, possibilitando a interação teoria/prática. A revisão bibliográfica realizada apontou que houve um destaque positivo no decorrer da formação inicial de professores, em atenção aos desafios reais que a acompanham no sentido da implementação das 400h de PCC e, os licenciandos sentiram-se mais preparados para a docência entretanto, há ainda desafios quanto a relação escola universidade e a compreensão acerca de como realizar a PCC, seja por meio de projetos, de seminários, ou de algumas cargas horárias distribuida no decorrer dos diferentes componentes curriculares.

Publicado
2019-07-25
Como Citar
DOS SANTOS, Amanda Laís; WENZEL, Judite Scherer. A PRÁTICA COMO COMPONENTE CURRICULAR NA PERSPECTIVA DA FORMAÇÃO INICIAL DE PROFESSORES. II Encontro de Debates sobre Trabalho, Educação e Currículo Integrado, [S.l.], v. 1, n. 1, jul. 2019. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enteci/article/view/11585>. Acesso em: 15 set. 2019.