CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS EM FORMAÇÃO INICIAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL ACERCA DA EXPERIMENTAÇÃO, DA CIÊNCIA E DO ENSINO

  • Roque Ismael da Costa Güllich
  • Daniele Bremm

Resumo

Pesquisas vêm demostrando que as atividades experimentais não estão sendo realizadas de maneira satisfatória, no sentido de contribuir efetivamente para o processo de ensino e aprendizagem de Ciências. Os professores de Ciências compreendem sua importância para a aprendizagem, mas não possuem compreensão acerca da teoria e sobre os objetivos da experimentação. Este trabalho objetiva analisar as concepções e as inter-relações entre Experimentação, Ciência e Ensino de professores de Ciências em formação inicial, participantes do Programa de Educação Tutorial (PETCiências). Os resultados são advindos da análise temática do conteúdo de narrativas com base na seguinte questão: Qual o papel da experimentação no ensino de Ciências? Estas narrativas foram produzidas por 16 licenciandos e foram submetidas à análise de conteúdo para melhor compreender as concepções dos investigados. Podemos constatar a presença de cinco concepções de experimentação no ensino de Ciências, sendo estas: contextual-investigativa (5:16), sinônimo de motivação (4:16), comprovação da teoria (3:16), complementação da teoria (2:16) e demonstração (2:16).  A experimentação é compreendida como concepção contextual- investigativa, entre os licenciandos que participam a mais tempo do PETCiências. Assim, pode-se inferir que a formação inicial é muito importante, bem como a aprendizagem da experimentação dentro desta, pois por meio dela o licenciando aprende/contextualiza os fundamentos de uma abordagem experimental e investigativa. Analisando as concepções de Ciência emergiram: tradicional (8:16), hermenêutica (6:16), crítica (2:16), sendo que a concepção tradicional prevaleceu. Em relação ao ensino também emergiram três concepções sendo estas: significação de conhecimentos (5:16), processo dialógico de construção de saberes (4:16), sendo que a maioria dos licenciandos concebe-o como um processo de transmissão de conhecimento (7:16), isso nos faz perceber que mesmo o ensino de Ciências tendo sofrido grandes mudanças a maioria dos Professores em formação inicial, ainda possuem uma visão tradicional de Ciências, em parte advinda de sua formação escolar e de sua experiência como alunos no ensino superior. Compreendemos que as concepções podem refletir na forma como os professores atuam, pois a perspectiva de ensino como transmissão de conhecimento também interfere na concepção de experimentação, que acaba sendo mais fechada e tradicional, pouco investigativa e contextual, sendo que as concepções de ensino são reflexos de todas as concepções que fazem parte da constituição do professor, pois estão inter-relacionadas. Podemos verificar que as concepções de Ciência e de Ensino ainda estão em nível mais tradicional, porém apresentam certa tendência a evolução para perspectivas mais transformadoras e contextuais. Percebemos também a importância da reflexão sobre a própria prática, que por meio da escrita narrativa e do diálogo formativo favorece o desenvolvimento das concepções de Experimentação, Ciência e Ensino, assim como o papel do PETCiências como coletivo, que permite a inserção dos licenciandos nas escolas, sendo que nestes espaços os mesmos podem contextualizar suas aprendizagens em Ciências. Acreditamos que a experimentação precisa ser abordada de modo contextual e investigativo desde a formação inicial, pois assim os professores vão também contextualizar a Ciência que ensinam e desta forma, o ensino de Ciências tende a adquirir novos significados.

Publicado
2019-07-25
Como Citar
GÜLLICH, Roque Ismael da Costa; BREMM, Daniele. CONCEPÇÕES DE PROFESSORES DE CIÊNCIAS EM FORMAÇÃO INICIAL PARTICIPANTES DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL ACERCA DA EXPERIMENTAÇÃO, DA CIÊNCIA E DO ENSINO. II Encontro de Debates sobre Trabalho, Educação e Currículo Integrado, [S.l.], v. 1, n. 1, jul. 2019. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enteci/article/view/11573>. Acesso em: 15 set. 2019.