Atividades práticas como ferramentas de ensino e de aprendizagem nas aulas de Botânica do Ensino Médio

  • Silviane Koch
  • Andréia Winder
Palavras-chave: Folhas. Aprendizagem. Metodologias inovadoras

Resumo

As atividades práticas promovem aprendizagens que a aula teórica, muitas vezes não suficientes. Neste sentido reforça-se o compromisso do professor, e também da escola, em planejar atividades para a formação do aluno de forma plena e humanizadora. De acordo com a necessidade do planejamento realizado pelo professor, a realização de atividades práticas se faz necessária para a efetiva aprendizagem. Assim, esse estudo teve por objetivo desenvolver uma didática alternativa visando o aprimoramento no processo de ensino e de aprendizagem em relação ao estudo das plantas. A atividade foi realizada na Escola Técnica Estadual 25 de Julho, localizada em Ijuí, com alunos do 3º ano do ensino médio noturno, durante a imerso do residente. Inicialmente, foram feitas perguntas de maneira a levantar os conhecimentos espontâneos dos alunos. Utilizou-se as seguintes perguntas: “Os fósseis mais antigos demonstram que as plantas apresentavam folhas?” “A ausência de folhas limitava o crescimento da planta?” “Qual a importância das folhas?” “As folhas podem possuir diferentes formas e tamanhos?” Após foi sistematizado com aula teórica, foi abordado a função, estrutura e classificação das folhas. Posteriormente, foram realizadas duas atividades práticas, na qual abordou-se as folhas simples e compostas. Em folhas simples, os alunos tiveram que desenhar, identificar as partes da folha e classificar de acordo com a filotaxia (alterna ou oposta). Em folhas compostas, alunos foram estimulados a observar, desenhar e classificar as folhas em palmada (bifoliolada, trifoliolada, polifoliolada), pinada (paripinada, imparipinada), bipinada e tripinada. Nesse sentido, constatei a importância de trabalhar aulas práticas associadas ao conteúdo teórico de botânica, para que seja promovida uma aprendizagem mais significativa, com maior envolvimento e interesse dos estudantes em assimilar o assunto. Percebeu-se o quanto é necessário a adoção de metodologias criativas e inovadoras pelos docentes de maneira a incentivar o gosto dos alunos pela aprendizagem, pois nessa fase, eles estão vivenciando descobertas também em seus estudos, e a disciplina de Biologia tem o poder de despertar a curiosidade que existe dentro de cada um, basta que nós, futuros professores, usemos de métodos diferenciados capazes de ajudá-los neste processo.

Publicado
2019-07-25