ENSINO TÉCNICO INTEGRADO E CURRICULARIZAÇÃO DA PESQUISA E DA EXTENSÃO: INTERFACES E DESAFIOS

  • Pedro Henrique de Gois
  • Rodrigo Luís Melz

Resumo

Neste trabalho temos como objetivo discutir a proposta de curricularização da pesquisa e da extensão no Curso Técnico em Administração Integrado do Instituto Federal Farroupilha - Campus Frederico Westphalen (IFFar - FW). Neste sentido, a provocação aqui lançada se pauta na seguinte questão: como articular a demanda de promover a integração de disciplinas, áreas de conhecimento e de saberes com a proposta de curricularizar a pesquisa e a extensão? Diante do Projeto Político Pedagógico do Curso (PPC, 2018, p. 14) já observamos a seguinte definição: “Os estudantes do Curso Técnico em Administração Integrado são estimulados a participar dos projetos e atividades na área de ensino, pesquisa e extensão, os quais poderão ser aproveitados no âmbito do currículo como atividade complementar, conforme normativa prevista neste PPC”. Neste sentido, é importante ressaltar que a proposta de curricularização se trata de algo posterior a vigência do atual PPC do curso (IFFAR, 2019), encaminhada por meio de Instrução Normativa ainda em construção pelo IFFar. Observamos nas reuniões de discussão sobre o assunto e na construção da proposta-piloto sobre o tema aspectos relacionados às práticas já desenvolvidas na instituição, tal como os projetos individuais de docentes e grupos de pesquisa, o desenvolvimento das Práticas Profissionais Integradas (PPI), a realização de visitas técnicas e o envolvimento nas mostras científicas como momentos já articulados dentro das atuais práticas e que se já se aproximam da proposta da curricularização. É interessante ressaltar que, neste processo, as pró-reitorias envolvidas e o Grupo de Trabalho formado para desenvolver a Instrução Normativa (IN, 2019) e auxiliar no processo de desenvolvimento da curricularização, tem por desafio em particular integrar as disciplinas técnica e básica e sua aproximação com a comunidade: como se aproximar ou desenvolver práticas de pesquisa e de extensão articuladas com as práticas de ensino? Como tornar essa prática algo contínuo e não pontual e compartimentado como a proposta de PPI atualmente realizada? Como se dará a prática docente para organizar esses elementos em meio a sua carga horária e quanto a registros acadêmicos? Estas são algumas questões em aberto, observadas a partir da reflexão em torno da proposta de curricularização nos cursos integrados, além de desafios evidenciados no esforço ainda em construção de, efetivamente, inserir os diferentes componentes curriculares e os professores em suas temáticas específicas de modo integrado à esta nova proposta. Neste sentido, para além da noção de integração como formação acadêmica e relação com o mundo do trabalho, expresso como: “A concepção do currículo do Curso Técnico em Administração Integrado tem como premissa a articulação entre a formação acadêmica e o mundo do trabalho, possibilitando a articulação entre os conhecimentos construídos nas diferentes disciplinas do curso com a prática real de trabalho, propiciando a flexibilização curricular e a ampliação do diálogo entre as diferentes áreas de formação” (PPC, 2018, p. 25), temos uma nova preocupação: integrar a formação científica e em extensão de forma também integrada a formação acadêmica e relacionada ao mundo do trabalho.

Publicado
2019-07-19
Como Citar
GOIS, Pedro Henrique de; MELZ, Rodrigo Luís. ENSINO TÉCNICO INTEGRADO E CURRICULARIZAÇÃO DA PESQUISA E DA EXTENSÃO: INTERFACES E DESAFIOS. II Encontro de Debates sobre Trabalho, Educação e Currículo Integrado, [S.l.], v. 1, n. 1, jul. 2019. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enteci/article/view/11503>. Acesso em: 21 set. 2019.