A CRIANÇA E A CIDADE: CONHECENDO, INTERPRETANDO E PRESERVANDO O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO

  • Helena Copetti Callai PPGEC UNIJUI
  • Gabriel da Silva Wildner Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIJUI
  • Jandha Telles Reis Vieira Müller Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIJUI
  • Tarcísio Dorn de Oliveira Curso de Arquitetura e Urbanismo UNIJUI
  • Cláudia Eliane Ilgenfritz Toso Pós-doutoranda PPGEC Unijui

Resumo

As crianças são consideradas sujeitos capazes e responsáveis e ao conhecer o patrimônio arquitetônico do lugar em que vivem, podem se posicionar e construir entendimentos com relação a preservação deste patrimônio e da história.  O patrimônio histórico cultural e arquitetônico é forma materializada de se contar a história do povo, de uma sociedade que viveu em determinado lugar. Com o objetivo de apresentar o patrimônio arquitetônico da região central da cidade de Ijuí/RS, bem como seu contexto histórico, para as crianças dos primeiros anos do ensino fundamental, o projeto de pesquisa intitulado A criança e a cidade: conhecendo, interpretando e preservando o patrimônio arquitetônico tem por finalidade, fomentar o conhecimento e o interesse sobre a historicidade local de modo a contribuir para a construção do sentimento de pertencimento, para a constituição de uma identidade coletiva e preservação dos monumentos da memória. Apresenta intencionalidades que podem contribuir com a construção de conhecimentos sobre a cidades pelas crianças. As pesquisas relacionadas ao projeto sustentam-se em levantamento bibliográfico e no conhecimento empírico sobre temas pertinentes. O projeto origina-se do contato entre duas frentes de pesquisas: o itinerário arquitetônico da cidade de Ijuí/RS, desenvolvido por Oliveira (2018) e as metodologias aplicadas no processo de educação patrimonial. Assim, foi planejado a produção de um material literário que expõe o patrimônio da cidade de maneira lúdica e instigante para crianças, numa perspectiva de estudo da cidade. Da mesma maneira que a literatura conta, cria, recria e ressignifica uma história, o patrimônio histórico cultural - seja ele material ou imaterial - tem grande potencial para esta comunicação. A arquitetura patrimonial por si só, com a sua materialidade e concreticidade, possibilita diversos diálogos a serem interpretados pelo seu meio, e a comunicação de sua historicidade e movimentos socioculturais dos quais a constituíram fisicamente e simbolicamente em determinados períodos. Para a viabilização e desenvolvimento do projeto percebeu-se a necessidade de desenvolver o estudo em duas etapas: 1. O estudo do patrimônio, desenvolvido por sua vez pelos arquitetos urbanistas, historiadores e geógrafos, e 2. A dimensão pedagógica do projeto, essa diz respeito a educação patrimonial possibilitando a formação cidadã e preservação. Os embasamentos teóricos que sustentam o estudo são a base para a formulação de proposições e atividades para crianças. O produto desse processo consiste em materiais literários no formato de livretos ilustrados que abordarão algumas edificações de relevância histórica e arquitetônica localizadas no centro da cidade de Ijuí/RS. A partir disso, e de forma lúdica, este material literário possibilitará maior reconhecimento, valorização, sentimento de pertencimento, preservação e cidadania, partindo da primeira fase do ser e se fazer cidadão: a infância. Ao articular diferentes áreas do conhecimento o projeto tem a preocupação com a formação humana do sujeito. Ao sentir-se pertencente ao lugar é possível que as crianças tenham um olhar ímpar sobre o patrimônio e sua preservação. Essa preocupação tem relação com o que o Grupo de Pesquisa Ensino e Metodologia em Geografia e Ciências Sociais, principalmente no que se refere a questão da cidadania.

Publicado
2019-07-21
Como Citar
CALLAI, Helena Copetti et al. A CRIANÇA E A CIDADE: CONHECENDO, INTERPRETANDO E PRESERVANDO O PATRIMÔNIO ARQUITETÔNICO. II Encontro de Debates sobre Trabalho, Educação e Currículo Integrado, [S.l.], v. 1, n. 1, jul. 2019. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/enteci/article/view/11484>. Acesso em: 21 set. 2019.