RETENÇÃO DE ÁGUA EM ARGAMASSAS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DO AGREGADO MIÚDO POR RESÍDUO DA CONSTRUÇÃO CIVIL

  • Kátia Carolina Hunhoff Botelho UNIJUÍ
  • Diego Alan Wink Consatti
  • Bruna Gioppo Bueno
  • Flávia Bandeira
  • Lucas Fernando Krug

Resumo

Atualmente muito se discute sobre questões ambientais, no mercado global da construção não seria diferente, tendo em vista que a construção civil é responsável pela grande demanda de matérias-primas naturais, portanto, tem-se o conhecimento que a exploração desses recursos limitados é um dos grandes responsáveis pela incorporação de resíduos em nosso meio. Sendo assim observou-se a necessidade de reutilizá-los de maneira a minimizar os problemas causados ao meio ambiente, no momento em que são descartados, já que tudo que nos cerca um dia se tornará resíduo. Desta maneira, nada mais coerente que a fonte geradora de resíduos, neste caso, a própria construção civil, fazer a reutilização destes materiais, uma vez que é também de responsabilidade dos próprios profissionais desse âmbito, dar uma destinação adequada para os RCC’s (Resíduos da Construção Civil). Tendo em vista esta problemática que cerca os profissionais da área, através deste estudo visou-se analisar o desempenho de argamassas de revestimento com substituição parcial do agregado miúdo por resíduo de concreto da construção civil. Assim sendo realizou-se estudos das propriedades das argamassas no estado fresco, sendo analisados diferentes traços usuais, sendo eles: 1:1:4, 1:1:6 e 1:1:8, com substituição parcial de 10, 20 e 30%, comparados com um traço referência. O ensaio realizado foi o de retenção de água de acordo com os parâmetros da NBR 13277 (2005).
Publicado
2018-02-15
Seção
Engenharia Civil