MOVIMENTO SUFRAGISTA E A CONQUISTA DO VOTO FEMININO NO BRASIL

  • Julia Monfardini Menuci
Palavras-chave: Direito. Feminismo. Movimento Sufragista. Mulheres. Política

Resumo

Em virtude da cultura patriarcal, o qual segregava as mulheres à submissão diante do masculino, a sociedade começa a se transformar com a união feminina que luta para modificar o status quo. Em que pese durante toda a caminhada humana tenha havido desigualdades pautadas no gênero, o momento que pauta este trabalho reflete o período Iluminista, quando rompe-se a dicotomia público-privado em consequência da remodelação do papel feminino diante à composição social. O Século das Luzes clamava por Direitos Humanos, mas ainda assim excluía as mulheres desses. Em consequência disso, o movimento feminista se modifica, criando um novo referencial teórico que irá gerar novas discussões em busca da conquista do direito ao voto feminino. O cenário internacional influenciou diretamente os acontecimentos no Brasil, e, somente após muitas reivindicações e tentativas frustradas as brasileiras alcançam o voto em 1932, momento em que a mulher adquire uma nova percepção social de si mesma e reflete diante da coletividade suas novas possibilidades de atuação, o espaço público.

Publicado
2018-07-17
Seção
GT III – BIOPOLÍTICA, GÊNERO E IDENTIDADE