DA ZOÉ A BIOS: A REPRESENTAÇÃO DA MULHER NA MÍDIA DE FRONTEIRA

  • Marjorie Barros Bock
  • Rafaela Weber Mallmann
Palavras-chave: mulher; mídia; fronteira; direitos humanos.

Resumo

Com a emancipação feminina, a mulher desloca-se do âmbito privado para o público, passando a bios, sendo uma pessoa com a vida politicamente qualificada. Busca-se abordar, a partir deste conceito, as relações de poder delimitadas entre os sexos e de que forma isto influencia nos papeis socialmente construídos para cada um. Com uma abordagem inicial histórica da mulher, transita-se pelo conceito de gênero para se compreender a autonomia, a fim de dialogar a respeito das relações de trabalho e, posteriormente, sobre como as mulheres ganharam espaço no sistema carcerário brasileiro, a partir do tráfico de drogas. A análise final se baseia em notícias sobre mulher e direitos humanos na mídia de fronteira e revela que a representação da mulher está relacionada ao tráfico de drogas e ao predomínio de estereótipos.

Publicado
2018-07-17
Seção
GT III – BIOPOLÍTICA, GÊNERO E IDENTIDADE