A ESCRAVIZAÇÃO E AS CONTRADIÇÕES SOCIAIS NA CONTEMPORANEIDADE: UMA ANÁLISE À LUZ DE O LADO NEGRO DO CHOCOLATE E DE A LOUCURA DO TRABALHO

  • Diovanna Vitória Fritsch Unijuí
  • Jacson Gil Schossler Unijuí

Resumo

O modelo exploratório vigente, assimilado como única alternativa após o fim da guerra-fria, não se apresenta suficiente para atender às necessidade e interesses da classe trabalhadora. Primeiramente, mostra-se inviável à efetivação dos Direitos Humanos, com os quais as nações capitalistas pretendem-se comprometidas. Em segundo lugar, porque, somado à distopia, ao mal-estar atual nos movimentos sociais e à exploração da força de trabalho imposta às grandes massas mundiais, configura-se como uma via de mão única, em que só o trabalhador se doa, sem que haja contrapartida sensível por parte do Estado. Todos esses fatores causam uma espécie de revolta individual, que parece não encontrar eco na coletividade, aprofundando os sintomas de uma sociedade doente e que, consequentemente, adoece os seus membros.

Publicado
2018-07-17
Como Citar
FRITSCH, Diovanna Vitória; SCHOSSLER, Jacson Gil. A ESCRAVIZAÇÃO E AS CONTRADIÇÕES SOCIAIS NA CONTEMPORANEIDADE: UMA ANÁLISE À LUZ DE O LADO NEGRO DO CHOCOLATE E DE A LOUCURA DO TRABALHO. I Congresso Nacional de Biopolítica e Direitos Humanos, [S.l.], jul. 2018. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/conabipodihu/article/view/9286>. Acesso em: 18 ago. 2019.
Seção
GT II – DIREITOS HUMANOS, JUSTIÇA E INCLUSÃO SOCIAL