AS MARCAS GRÁFICAS E DESENHOS COMO LINGUAGEM DA INFÂNCIA: DESAFIOS À FORMAÇÃO DAS PROFESSORAS

  • Andréia da Silva Oliveira UNIJUI
  • Luana Barbosa Preto
  • Maria Regina Johann

Resumo

Este trabalho reflete sobre as marcas gráficas e os desenhos das crianças, bem como a sua importância para a formação da professora pedagoga. O pressuposto básico é o de que estas manifestações plásticas são linguagens próprias da infância e se constituem nas primeiras formas de expressão e comunicação que a criança usa para interagir, conhecer, expressar e significar. Esta é, portanto, uma das linguagens fundamentais da Educação Infantil e dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, porém nem sempre esta compreensão é clara entre as professoras que atuam nestas etapas da educação escolar. Em vista disso, o curso de Pedagogia da Unijuí assume que este tema é fundamental para a formação da professora pedagoga e dá ênfase para as linguagens artísticas em seu projeto de curso (fizemos referência às professoras pedagogas, pois na tradição desta área as mulheres têm ocupado um lugar de destaque, uma vez que prevalece o gênero feminino na procura do Curso, e particularmente nesta turma.). Assim, o relato de experiência que nos propomos a compartilhar nasce de um estudo teórico-prático que incluiu leituras, observações e análises de marcas gráficas e desenhos que crianças, com diferentes idades, produziram em ambientes escolares e domiciliares.
A reflexão desta atividade permitiu a compreensão de que as marcas gráficas e, mais tarde, os desenhos são linguagens que se estruturam e se complexificam ao longo do desenvolvimento das crianças e podem perdurar por muitos anos, desde que se cultive o desenho como linguagem. O processo de aquisição da linguagem visual se dá na inter-relação da corporeidade e capacidade cognitiva do indivíduo, em que o corpo se estrutura articulado à capacidade de observação, pensamento, gesto, percepção e construção de sentidos a partir das vivências coletivas e individuais de cada criança. De nosso ponto de vista, a professora necessita compreender como se dá a construção da linguagem visual nos diferentes momentos da infância para então estar preparada para propor e mediar situações nas quais a linguagem visual venha ser um aspecto importante da vivência escolar.

Para compreender sobre o modo como as crianças constroem seus desenhos e como os mesmos se configuram em processos que ilustram os conhecimentos de mundo, as percepções visuais, as relações intersubjetivas e as capacidades motoras e cognitivas das crianças buscamos em autores como Edith Derdyk, Maria Letícia Vianna, Luciana E. Ostetto referências conceituais para embasar este estudo. Dessa forma, procuramos compreender o desenho infantil como linguagem essencial para o desenvolvimento da criança, como uma dimensão da sua constituição estética e cognitiva.

Publicado
2018-02-15
Como Citar
DA SILVA OLIVEIRA, Andréia; BARBOSA PRETO, Luana; JOHANN, Maria Regina. AS MARCAS GRÁFICAS E DESENHOS COMO LINGUAGEM DA INFÂNCIA: DESAFIOS À FORMAÇÃO DAS PROFESSORAS. Seminário Internacional de Alfabetização, [S.l.], fev. 2018. Disponível em: <https://publicacoeseventos.unijui.edu.br/index.php/alfabetizacao/article/view/8635>. Acesso em: 17 ago. 2019.